Search
Close this search box.

Praga de caruru palmeri é encontrado no MS

26 de dezembro de 2022

Mapa alerta que é fundamental a notificação imediata de quaisquer suspeitas de ocorrência da praga às autoridades fitossanitárias locais
Compartilhe no WhatsApp
Praga de caruru palmeri é encontrado no MS
Praga foi detectada em propriedade rural com cultivo de soja, no distrito de Porto Caiuá – Foto: CNA/Wenderson Araujo/Trilux

Durante ações oficiais de vigilância, um foco da praga quarentenária presente Amaranthus palmeri (caruru palmeri ou caruru gigante) foi detectado em propriedade rural com cultivo de soja, no distrito de Porto Caiuá, município de Naviraí, no estado do Mato Grosso do Sul. A confirmação foi obtida por meio de técnica molecular (sequenciamento genético), realizada pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Goiânia (LFDA-GO), em amostras coletadas pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do Estado de Mato Grosso do Sul (Iagro).

Amaranthus palmeri é uma planta daninha exótica de crescimento rápido e extremamente agressiva. A planta está no topo da lista do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) de pragas com maior risco fitossanitário para o Brasil, com risco potencial de reduzir a produtividade de soja, milho e algodão em aproximadamente 80% a 90%, além da possibilidade de cruzamento com outras espécies do gênero, inclusive com transferência de genes de resistência aos herbicidas.

No estado do Mato Grosso do Sul, o Iagro tem adotado as medidas fitossanitárias devidas para identificação da origem, via de introdução e a dispersão da praga, visando adoção de medidas fitossanitárias estratégicas de supressão e controle, bem como recolhimento de evidências objetivas para subsidiar o inquérito epidemiológico da praga, o qual possibilitará a identificação das formas de dispersão da planta invasora, promovendo medidas de erradicação dos focos existentes e ações preventivas para não ocorrência de novos casos.

Controle da praga

Os produtores também devem adotar medidas fitossanitárias para o controle da praga, como monitoramento quinzenal nos cultivos agrícolas; restringir o trânsito de maquinários (caminhões, implementos e colhedora) de fora da propriedade rural; em talhões infestados promover a desinfestação do maquinário agrícola na propriedade rural, antes de utilização em outra área sem a ocorrência da praga; e em caso de presença de plantas de caruru com resistência a herbicidas, ensacar a planta antes do arranque e promover a incineração do material vegetal.

O Mapa alerta que devido ao seu potencial de disseminação e de danos às culturas que atinge, é de fundamental importância a notificação imediata de quaisquer suspeitas de ocorrência da praga às autoridades fitossanitárias locais – Iagro ou SFA-MS – visando evitar sua dispersão e mitigar os impactos diretos e indiretos que a praga pode causar.

Fonte: Mapa

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Produção de soja estimada pela Conab é 10 milhões de toneladas menor
Ajuste foi motivado por um período de tempo quente e seco em janeiro e no começo de fevereiro.
Exportações do agronegócio cresceram 14,8% em janeiro
Recorde de exportações de soja impulsiona o Paraná