Search
Close this search box.

Pesquisa mineira sobre controle de pragas desperta interesse na Holanda

12 de abril de 2024

Professor europeu visitou Unidade da Epamig em Viçosa para conhecer o trabalho de perto e disse que gostaria de levar nossa tecnologia para seu país
Compartilhe no WhatsApp
Pesquisa mineira sobre controle de pragas desperta interesse na Holanda
Visita_professor_à_propriedade_cafeeira.png Professor Gerben em visita à propriedade cafeeira no município de Paula Cândido

O controle biológico de pragas – que evita o uso excessivo de agrotóxicos – é uma das prioridades da Empresa de Pesquisa Agropecuária (Epamig) e, exatamente, por isso tem despertado o interesse da comunidade científica e acadêmica internacional. No último mês de março, o professor Gerben Messelink, que leciona sobre o tema na Universidade de Wageningen, na Holanda, visitou a sede da Epamig Sudeste em Viçosa.

Ele veio conhecer os experimentos que têm sido feitos para controle biológico de pragas conduzidos pela pesquisadora Madelaine Venzon. “Foi uma experiência maravilhosa visitar as áreas de café da região, onde a pesquisadora Madelaine e sua equipe têm feito um excelente trabalho no controle biológico de pragas, utilizando néctares extraflorais e inimigos naturais. Eu espero aprender mais sobre estes sistemas quando eu retornar no inverno”, comentou o professor.

Viagem foi custeada pela Embaixada da Holanda

A pesquisadora Madelaine contou que Gerben veio ao Brasil com recursos da Embaixada da Holanda com o objetivo de identificar alguns projetos para “colaboração futura”. “Ele trabalha com o mesmo tema e veio conhecer nosso trabalho de controle biológico conservativo nos cafezais que tem tido muita visibilidade”, explicou a pesquisadora.

Gerben conheceu o laboratório e a Casa de Vegetação e ficou muito interessado, fazendo várias anotações sobre como são feitos os experimentos. Ele também conheceu as plantas dos chamados “corredores ecológicos” e disse que adoraria levar nossa tecnologia para a Holanda. “No segundo dia, nós o levamos para conhecer uma fazenda próxima à Epamig no município de Paula Cândido, onde temos implantados os corredores e os mixes de cobertura, que são espécies de plantas semeadas entre as linhas do café. Todos esses testes também são frutos de pesquisas nossas, sempre visando aumentar os inimigos naturais das pragas”, explicou Madeleine.

Em outubro do ano passado, a pesquisadora da Epamig foi listada pela Revista Forbes entre as “Cem Mulheres Doutoras do Agro”. Ela acredita que a troca de experiência será bastante produtiva para ambas as partes. “O professor Messelink ficou muito interessado em nosso trabalho. No segundo semestre deste ano, ele voltará e ficará três meses no Brasil, sendo grande parte do período em Viçosa”, contou.

Por Itatiaia (*) Com informações da Epamig

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Mestre de torra da Mokado Lab de Cafés, da capital federal, supera 23 concorrentes e representará o Brasil no mundial da categoria, em Copenhagen, na Dinamarca
Rio grande do Sul havia colhido grande parte de sua produção de arroz antes das inundações
Este atraso da colheita pode ser atribuído a diversas condições climáticas adversas, especialmente no estado do Rio Grande do Sul.
Investimento em usina foi possível devido ao financiamento do Sicoob