Search
Close this search box.

Perspectivas e tendências para os serviços digitais no agronegócio

30 de agosto de 2023

Atividade reuniu governo com entidades da iniciativa privada
Compartilhe no WhatsApp
Perspectivas e tendências para os serviços digitais no agronegócio

A tecnologia e a era digital aplicadas nas produções rurais são pautas norteadoras desta 46ª Expointer, cujo tema é “A inovação faz o agro mais forte”.  Ao encontro disso, um painel reuniu representantes do Executivo estadual e da iniciativa privada, na manhã desta segunda-feira (28), para discutir “Perspectivas e tendências para os serviços digitais no agronegócio”. A atividade ocorreu no auditório do governo do Estado, localizado no Pavilhão Internacional, e teve participação da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), do Escritório de Desenvolvimento de Projetos (EDP) e do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul (Procergs).

Mediado pelo diretor do Departamento de Governança de Tecnologia da Inovação (DGTIC) da SPGG, Lucas Benz, o painel abordou a convergência entre serviços digitais e o agronegócio. O diretor-geral do EDP, Hiparcio Stoffel, apresentou alguns dos crescentes números de uso dos serviços estaduais específicos do setor no portal rs.gov.br, além de projetar o uso de novas tecnologias na produção rural.

“A incorporação de tecnologias emergentes permite avançar para outros modelos de negócio, novos nichos e geração de valor. A tecnologia já está presente no agronegócio e é preciso cada vez mais pensar políticas públicas que faça com que ela seja acessível para todos, especialmente o pequeno e médio produtor”, afirmou Stoffel.

A diretora de Infraestrutura e Operações da Procergs, Karen Lopes, apresentou exemplos de aplicações no campo de tecnologias como machine learning, digital twins e deep learning. “A revolução está nos dados, pois a Inteligência Artificial só se dá a partir dos dados. O Estado tem o compromisso de promover as tecnologias que ajudem a lidar com incertezas e riscos, muito presentes no agro”, disse Karen.

Rafael Abreu, diretor de Tecnologia da Be220, empresa focada em inovação e transformação digital, apresentou no evento o AbigeApp, aplicativo que ajuda a combater o abigeato por meio da identificação da propriedade de animais e aceleração na investigação em crimes de furto.

Por Agrolink

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Produtores do Vale do São Francisco utilizam técnicas de esterilização de machos e captura das pragas com armadilhas no campo
A nanotecnologia integra conhecimentos da química, biologia, eletrônica, computação e física para estimular o crescimento de plantas.
Colmeias podem fornecer uma colheita de aproximadamente 50 kg de mel em dois meses durante a floração de soja. Fora das lavouras, colheita de mel é estimada em 19 kg por ano.
Dados mostram que serão produzidos 193,15 mil litros, abaixo do recorde de 580,22 mil litros do período anterior