Search
Close this search box.

Pecuaristas miram saída de crise e virada de ciclo em 2025

4 de setembro de 2023

Apesar da queda nos preços do boi, especialistas dizem que é preciso manter investimentos estratégicos
Compartilhe no WhatsApp
Pecuaristas miram saída de crise e virada de ciclo em 2025

Apesar do momento delicado vivido pela pecuária brasileira, em que a queda de 20% no preço da arroba do boi gordo no acumulado do ano já afeta a decisão dos pecuaristas sobre novos investimentos, especialistas afirmam que é preciso manter o “otimismo” e vislumbrar a virada do próximo ciclo pecuário.

A pecuária precisa de um olhar de otimismo no país”, diz o pecuarista Raphael Houayek, da Fazenda Esperança, de Alegrete (RS), que demonstra preocupação com as notícias de abandono da atividade por muitos colegas.

“O pessimismo precisa ser trocado pelo olhar de oportunidade, sempre com atenção à gestão, aos números e às possibilidades que os baixos preços da genética oferecem no ano de 2023”, disse.

Segundo Houayek, a partir de setembro, com a chegada da primavera, pode haver um marco da virada para os pecuaristas, que estarão com os melhores resultados em 2025. Ele reuniu especialistas para falar sobre o cenário e compilou em um material divulgado à imprensa.

O chefe-geral da Embrapa Pecuária Sul, Fernando Cardoso, disse que o movimento coletivo que pensa de forma mais “imediatista” leva um grupo representativo de pecuaristas a tomar decisões erradas em situação como a atual, de preços baixos.

“Em tempo de crise existem as melhores oportunidades para crescer no negócio pecuário”, apontou no documento. O conselho dele é “fazer investimentos estratégicos, qualificar os processos produtivos, aumentar a eficiência no uso dos recursos e investir em genética superior”.

Nas contas do médico veterinário e diretor consultor em pecuária, Fernando Furtado Velloso, investimentos neste momento podem gerar um resultado 2,7 vezes maior. “Imagine produzir 50% mais terneiros e vendê-los por preço 80% maior que hoje?”, destaca no material.

De acordo com o especialista, esta é a hora de aumentar os rebanhos de cria. “É o ano para adquirir fêmeas de reposição por valores baixos e preparar-se para vender mais terneiros com grande valorização em 2025”, disse. Segundo Velloso, a previsão é de que o preço do terneiro esteja entre 1,8 e 2,2 vezes maior em 2025.

Pecuaristas devem Investir corretamente

Maurício Velloso, presidente da Associação Nacional dos Confinadores (Assocon), disse no compilado de opiniões que os valores para reposição estão convidativos e os bezerros adquiridos agora estarão prontos para o abate em até um ano e meio, em cenário promissor de preços.

Na lista das dicas para o pecuarista enfrentar essa baixa no mercado está a necessidade de ter um “caixa-oportunidade”, espécie de reserva financeira para poder tomar decisões rápidas em negócios estratégicos, e aprender a usar as ferramentas de hedge.

Eduardo Madruga, gerente técnico da DSM Tortuga para pecuária de corte, apontou a necessidade de o criador investir nos insumos certos para ter maior produção de pasto, taxa de lotação de gado e maior rendimento de carne por hectare. Segundo ele, há oportunidade de aquisição desses itens a um custo bem menor quando comparado a 2022.

Por Globo Rural

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Confinamento alcança 7,379 milhões de cabeças e destaca a importância da tecnologia e gestão para aumentar a produtividade no setor
Produção de frangos e ovos é destaque no Distrito Federal. A grande demanda da região por produtos de origem animal resulta nos quase 6 mil produtores cadastrados na Emater-DF
A Pecuária é responsável por US$ 1,37 bilhão das exportações sul-mato-grossense
Comitivas internacionais da América Latina, África e Ásia são esperadas no Parque da Gameleira