Search
Close this search box.

O que é e como funciona a agricultura de precisão?

5 de julho de 2023

Agricultura de precisão aumenta a produtividade dos cultivos e protege o meio ambiente
Compartilhe no WhatsApp
O que é e como funciona a agricultura de precisão?

Agricultura é uma das atividades mais antigas desenvolvidas pela humanidade, e sempre foi influenciada pelas tecnologias que surgiam. Técnicas de irrigação, de plantio, de tratamento de solo e de controle de pragas foram elaboradas nas mais diversas sociedades e compartilhadas ao longo dos anos. 

Com o desenvolvimento da internet e das comunicações sem fio, a tecnologia ganhou uma importância sem precedentes para a agricultura, tanto que foi definido um termo para se referir às melhorias que essas inovações podem oferecer ao setor: agricultura de precisão. 

O que é agricultura de precisão? 

Agricultura de precisão é um modo de gestão dos processos do agronegócio que utilizam máquinas modernas e tecnologias que ajudam a alcançar uma produtividade melhor. Nesse sentido, todo o processo produtivo é considerado, desde a análise de solo, fertilização, plantio e colheita, até a transformação e comercialização dos produtos. 

O diferencial da agricultura de precisão é que o máximo de dados possíveis são coletados por meio das mais diversas técnicas, e também se aplica o melhor modo de interpretação para basear a tomada de decisão nessas informações, um exemplo é a otimização da aplicação de fertilizantes.  

Com o desenvolvimento científico da análise de pragas, é possível saber quais são as ameaças em ação em cada momento da lavoura, e, dessa forma, aplicar o insumo correto na quantidade correta. Isso ajuda o produtor a economizar e oferecer um produto mais saudável, exposto a menos produtos químicos ou biológicos. 

Outra característica fundamental da agricultura de precisão é garantir que cada área da lavoura tenha suas características analisadas, e que os insumos e corretivos sejam aplicados em taxas variáveis.  

A agricultura tradicional tende a tratar toda a lavoura como se ela fosse uma área uniforme, sujeita às mesmas características de solo, clima e pragas. Entretanto, variações importantes ocorrem nesses espaços, principalmente em grandes áreas de monocultura, e a variabilidade no tratamento garante a otimização da produção e redução de custos. 

image 2
Uso de drones já é uma realidade no campo. (Fonte: Pixabay/Reprodução) 

Como funciona a agricultura de precisão? 

De modo simplificado, a agricultura de precisão funciona em três etapas: coleta de dados; planejamento; e aplicação de insumos e outras técnicas. 

A coleta de dados reúne informações sobre características do solo, relevo, pragas e previsões climáticas. Esses dados podem ser reunidos por máquinas como drones, sensores de solos, equipamentos com Global Positioning System (GPS), Geographic Information System (GIS), equipamento de manuseio de dados geográficos e outras máquinas agrícolas. 

Uma vez que as informações são coletadas, elas precisam ser analisadas por softwares ou por profissionais especializados, para gerar um plano de ação que mitigue eventuais problemas. Nesse momento, é importante definir as técnicas a serem utilizadas, visando alternativas que economizem tempo e mão de obra, que sejam opções mais sustentáveis (como controle biológico de pragas, por exemplo) e use os melhores insumos. 

Por fim, no momento da ação, um plano bem executado pode fazer a diferença para garantir uma safra mais lucrativa. 

image 3
Produtividade da agricultura brasileira deu um salto nas últimas décadas. (Fonte: Pexels/Reprodução) 

Vantagens e desafios da agricultura de precisão 

A importância do desenvolvimento científico e tecnológico para a agricultura é facilmente comprovada. Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), realizado em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP), divulgado em 2022, é um dos indicativos.  

Na pesquisa, analisou-se dados de 1975 a 2020 e foi constatado que a produtividade da agropecuária brasileira cresceu 400%. A mecanização do campo e o investimento em conhecimento científico e pesquisas de melhoria nos plantios são apontados como alguns dos principais responsáveis por esses números. 

A agricultura de precisão deve ajudar a consolidar o Brasil como líder na produção agrícola. Entre as vantagens conhecidas, estão: 

  • garantia de subsídios para os tomadores de decisão; 
  • aumento da sustentabilidade e proteção do meio ambiente e de fontes de água; 
  • redução do desperdício de água; 
  • otimização do uso de insumos; 
  • redução de custos em todas as fases do processo produtivo; 
  • garantia de melhor controle de pragas e melhora da saúde do cultivo. 

Apesar dos benefícios, a agricultura de precisão enfrenta alguns problemas para a sua popularização. O investimento inicial para aquisição de algumas das máquinas e softwares envolvidos nos processos pode ser impeditivo para alguns produtores. 

Além disso, a complexidade de programas pode fazer que os produtores não utilizem a sua capacidade ao máximo. Soma-se a isso o problema que a agricultura brasileira enfrenta a falta de mão de obra especializada em diversas áreas. Profissionais que dominem a tecnologia e entendam os processos produtivos do campo devem se destacar no mercado de trabalho nos próximos anos. 

Por Summit Agro Estadão

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Produtores do Vale do São Francisco utilizam técnicas de esterilização de machos e captura das pragas com armadilhas no campo
A nanotecnologia integra conhecimentos da química, biologia, eletrônica, computação e física para estimular o crescimento de plantas.
Colmeias podem fornecer uma colheita de aproximadamente 50 kg de mel em dois meses durante a floração de soja. Fora das lavouras, colheita de mel é estimada em 19 kg por ano.
Dados mostram que serão produzidos 193,15 mil litros, abaixo do recorde de 580,22 mil litros do período anterior