Search
Close this search box.

O impacto das Deep Techs no agronegócio

13 de abril de 2024

Para se manter em destaque diante do mercado global, o país tem apostado em inovação e tecnologias avançadas
Compartilhe no WhatsApp
O impacto das Deep Techs no agronegócio

O Brasil é uma das potências mundiais quando se fala em agronegócio. De acordo com dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em 2023, o país é o terceiro maior exportador mundial de produtos agropecuários, com cerca de USD 150,1 bilhões por ano,  atrás apenas da União Europeia e Estados Unidos.

Para se manter em destaque diante do mercado global, o país tem apostado em inovação e tecnologias avançadas, principalmente as oferecidas pelas Deep Techs, startups baseadas em ciência complexa e tecnologia de fronteira, que vêm impulsionando e revolucionando o setor.

As inovações vão desde a Inteligência Artificial, IoT (Internet das Coisas, em tradução livre) e biotecnologia, sendo aplicadas em diversas áreas, da gestão de cultivos, controle de pragas à logística, proporcionando mais eficiência, sustentabilidade e produtividade.

Hoje, graças a essas tecnologias, por exemplo, é possível fazer um monitoramento em tempo real por meio de drones, que integrados a um sistema de dados trazem informações valiosas sobre o manejo agrícola, reduzindo também o uso de água, energia e produtos químicos, além de monitorar problemas com antecedência, auxiliando nas tomadas de decisão.

As Deep Techs também contribuem para a sustentabilidade a partir das tecnologias de rastreamento e monitoramento na cadeia de produção e do impacto ambiental, ajudando a reduzir os gases do efeito estufa, além de trazer mais transparência para os consumidores que conhecem a origem dos alimentos.

Como consequência, novas oportunidades se abrem no mercado e isso impulsiona o desenvolvimento econômico, social e ambiental do país.

Porém, apesar dos grandes avanços das Deep Techs no agronegócio nos últimos anos, ainda há desafios como a infraestrutura digital nas áreas rurais, além da qualificação técnica dos agricultores quanto a insumos e novas ferramentas de trabalho que impactam diretamente na capacidade produtiva no cenário local e macro.

Por fim, é preciso também haver um incentivo às parcerias, tanto públicas quanto privadas, para não ficarmos para trás na evolução tecnológica. Acredito que o futuro para o setor é promissor, porque com a inovação, o Brasil continuará crescendo e se consolidando como referência global em um agronegócio inteligente e sustentável.

Por: Ana Calçado, CEO e presidente da Wylinka. TIINSIDE

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Os pesquisadores vão debater projetos e ações para o desenvolvimento sustentável da piscicultura na Amazônia com uso de tecnologia.
Empresa tem como produtos biofertilizantes e biocombustíveis produzidos a partir da sanitização de resíduos orgânicos que podem ser utilizados no campo.
Modificações na agricultura por intermédio da tecnologia e inovação tentam minimizar os impactos da produção de alimentos no meio ambiente e tornar o setor mais eficaz e sustentável. Um sensor ajuda no processo
Biodigestores estão revolucionando a energia sustentável e agricultura, transformando resíduos orgânicos em biogás.