Search
Close this search box.

Novo boletim sobre exportações da piscicultura brasileira é publicado

13 de maio de 2023

quantidade exportada em toneladas a queda foi maior: 31% a menos de janeiro a março deste ano comparando-se com os mesmos meses de 2022.
Compartilhe no WhatsApp
Novo boletim sobre exportações da piscicultura brasileira é publicado

Apesar de 20% maiores do que no último trimestre de 2022, as exportações da piscicultura brasileira caíram 16% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Isso em termos de valores financeiros envolvidos. Já no que se refere à quantidade exportada em toneladas a queda foi maior: 31% a menos de janeiro a março deste ano comparando-se com os mesmos meses de 2022.

E a que se devem esses números menores? De acordo com o pesquisador da área de Economia Aquícola Manoel Pedroza, da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO), é muito em função dos preços da tilápia, principal espécie tanto produzida como exportada pelo país. “O aumento do preço da tilápia no mercado interno é um dos principais fatores que explicam a queda nas exportações no primeiro trimestre de 2023, pois a venda interna se tornou mais atrativa do que a exportação”, contextualiza.

Manoel relata que, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), ligado à Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo (Esaq / USP), o preço da tilápia aumentou 26% de março de 2022 a março deste ano na região dos Grandes Lagos, em São Paulo, grande produtora da espécie. “Nesse mesmo período, o preço da tilápia inteira congelada exportada apresentou queda de 20%, de acordo com dados do Comex Stat”, complementa. Comex Stat é um sistema de estatísticas sobre o comércio exterior brasileiro disponibilizado pelo Ministério da Economia.

No Brasil, quase a totalidade da produção da piscicultura é consumida internamente. São cerca de 98% que ficam no mercado interno. “O mercado brasileiro não absorve apenas a produção nacional, como também é um grande importador de pescado. Em 2022, o país importou US$ 1,4 bilhão em pescado, o que equivale a cerca de R$ 7 bilhões. Apenas as importações de salmão totalizaram US$ 803 milhões”, explica Manoel, mostrando a competição entre os produtos nacional e internacional no que se refere a preço e qualidade.

Números de Exportações do primeiro trimestre 

Entre as diversas categorias de produtos exportados, a de filés frescos ou refrigerados respondeu por quase a metade dos valores relativos ao primeiro trimestre de 2023. Dos R$ 5,9 milhões, quase R$ 2,8 milhões foram dessa categoria, o que corresponde a mais de 47% do total. Na sequência, com quase 30%, está a categoria de peixes inteiros congelados, que movimentou mais de R$ 1,7 milhão.

Com quase 94% dos valores envolvidos em toda a exportação da piscicultura brasileira no período, a tilápia foi o grande destaque, como tem sido nos períodos avaliados nesse trabalho de acompanhamento que a Embrapa Pesca e Aquicultura e a Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR) desenvolvem conjuntamente desde o primeiro trimestre de 2020. O trabalho é publicado como Informativo de Comércio Exterior da Piscicultura e a edição mais recente pode ser acessada neste link

Mais de 86% do volume financeiro das exportações da piscicultura nacional entre janeiro e março deste ano vêm dos Estados Unidos, que têm se mantido como o principal mercado para o peixe brasileiro. Esse índice é ainda maior (mais de 89%) quando se analisam as exportações apenas de tilápia. Já em termos de estados, os destaques das exportações de tilápia e de seus derivados no período ficaram com Paraná, com 69% dos valores financeiros, e São Paulo, com mais de 19%.

Esses e outros dados, com detalhes, estão na edição do informativo referente ao primeiro trimestre de 2023. O periódico é fruto do Centro de Inteligência e Mercado em Aquicultura (CIAqui), um dos produtos do BRS Aqua, principal projeto da Embrapa nesta cadeia produtiva. O BRS Aqua envolve mais de 20 Unidades e cerca de 270 empregados da Embrapa, além de bolsistas. Com forte caráter estruturante, já que por meio dele a empresa está incrementando sua infraestrutura de pesquisa em aquicultura, o BRS Aqua também se destaca na formação de recursos humanos especializados na área, sobretudo por conta das bolsas disponibilizadas.

São quatro as fontes de financiamento: o Fundo Tecnológico do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Funtec / BNDES); o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), cujo recurso está sendo operacionalizado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa); e a própria Embrapa.

Por Embrapa

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Capital do Frango” recebe evento GRATUITO para produtores rurais no Parque de Exposições da cidade
Exportações de peixes de cultivo chegam a US$ 8,7 milhões e crescem 48% no primeiro trimestre de 2024, veja mais informações a seguir
A tilápia se destaca nacionalmente, representando quase 95% das exportações de peixes
A tecnologia já é empregada no exterior em peixes como salmão e truta, e o maior desafio era adaptá-la para o tambaqui