Search
Close this search box.

Na contramão de outras proteínas presença da carne suína nos lares brasileiros dobra nos últimos dois anos

16 de junho de 2023

Ação de incentivo ao consumo promovida pela ABCS fortalece resultado de novo patamar da proteína, comprovado por dados da Kantar
Compartilhe no WhatsApp
Na contramão de outras proteínas, presença da carne suína nos lares brasileiros dobra nos últimos dois anos

A carne suína in natura conquistou seu espaço na mesa dos consumidores brasileiros, não apenas pelo preço competitivo, mas pela preferência da proteína. É o que revela a pesquisa da Kantar, empresa líder mundial em dados e insights, com informações que analisam do primeiro trimestre de 2021 ao mesmo período de 2023.

Considerando as diversas ocasiões de consumo, como almoços de fim de semana, celebrações, lanches rápidos, jantares, a carne suína in natura cresceu em quase 5%, mesmo em um cenário em que o consumo da carne bovina caiu cerca de 4% e o frango cresceu menos de 1%.

Segundo a empresa de pesquisa, cada ocasião de consumo é diferente e tem suas principais motivações e preferências. E nesse caso, a proteína suína foi a única opção in natura que aumentou sua participação, o que comprova a mudança do patamar da carne suína no mercado interno e o espaço que ela já conquistou na mesa dos brasileiros com iniciativas como a Semana Nacional da Carne Suína (SNCS), campanha promovida pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), em parceria ao varejo há 11 anos.

Ainda, se comparado os dados de 2021 – demonstrados na pesquisa -, o aumento da presença é mais positivo. Nesta comparação, a carne suína quase dobrou sua participação na escolha dos consumidores, um crescimento de 97,83% se comparado a 2021 e a versão in natura é quem tem ganhado a preferência, pois o consumo de salsichas e linguiças tem perdido espaço.

tabela share
Fonte: ABCS/Iuri Machado
Grafico Kantar
Fonte: Kantar

A carne suína ganha adeptos e reforça sua presença junto a clientes já consolidados a cada visita ao supermercado e esse crescimento é potencializado no período de 1 a 17 de junho, quando está acontecendo a SNCS de 2023 nas maiores e melhores redes de varejo do país, que juntas compõem 23 bandeiras distribuídas de norte a sul do Brasil e são responsáveis por mais de 20% do faturamento total do varejo alimentício. A expectativa é que a campanha sensibilize cerca de 130 milhões de consumidores em canais on-line (redes sociais, e-mail, e-commerce) e off-line (lojas e impressos).

No varejo, os índices de consumo se confirmam. Para David Buarque, gerente comercial de aves e suínos nacional do Carrefour, o maior grupo de varejo do país, “a perspectiva da categoria é positiva”, afirma. “Notamos o cliente bem engajado com a compra da carne suína. Identificamos que ele manteve a escolha da proteína, mesmo com a oferta de opções como filé de frango e contrafilé bovino cerca de 30% mais barato do que se comprava no ano passado nesse mesmo período”, explica. Sobre a atuação da SNCS para consolidação do consumo, David ressalta que “toda ação de incentivo que trazemos durante a Semana reforça essa opção de proteína para o cliente e aumenta as vendas no período”, esclarece.

E esse é justamente o foco do trabalho da ABCS, fortalecido com a estratégia eficiente da maior vitrine da proteína no varejo no país: a inserção da carne suína in natura na cultura dos consumidores brasileiros e a mudança efetiva de comportamento de compra e consumo, através da experimentação, educação, engajamento de todos os elos da cadeia e diálogo com os consumidores.

O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, explica que se orgulha dessa conquista feita em conjunto com a cadeia de valor da suinocultura, que inclui produtores, frigoríficos e varejo.  “A nossa cadeia reforça esse trabalho ao construir estratégias que trazem a carne suína como personagem constante da alimentação diária do brasileiro. Agregamos experiência, transformamos a ocasião de consumo e conseguimos que a carne suína ocupe de forma cada vez mais efetiva um espaço na mente dos consumidores, e isso é fundamental para a sustentabilidade da suinocultura”, conclui. 

Por ABCS

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Gravada e publicada em parceria com o Chef de cozinha Jimmy Ogro, a série que desmistifica a suinocultura a carne suína já soma quase 120 mil visualizações no Instagram
Uma jornada de imersão na pecuária de confinamento americana revela práticas inovadoras e abre novas perspectivas para o agronegócio brasileiro
A feira contou com 1500 animais de 160 expositores das raças Girolando, Gir Leiteiro, Holandês, Guzerá, Guzolando, Jersey, Simental e Búfalos
Confinamento alcança 7,379 milhões de cabeças e destaca a importância da tecnologia e gestão para aumentar a produtividade no setor