Search
Close this search box.

Mudança na estratégia nutricional em ovinos da raça Santa Inês gera redução de 30% nos custos

6 de setembro de 2023

O experimento, que utilizou 60 fêmeas ovinas da raça Santa Inês, foi realizado na área experimental do Grupo de Estudos em Forragicultura e Produção de Ruminantes (GEFORP), instalada na Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias da UFRN, localizada em Macaíba
Compartilhe no WhatsApp
Mudança na estratégia nutricional em ovinos da raça Santa Inês gera redução de 30% nos custos
Ovinos raça Santa Inês. Foto: Stella Antas UFRN

A diminuição da duração da estratégia nutricional de 60 para 42 dias não prejudica os desempenhos produtivos e reprodutivos de ovinos da raça Santa Inês e ainda gera redução de custos da ordem de 30% na alimentação. Este é o resultado da pesquisa publicada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) em seu recente Boletim de Pesquisa de nº 41 “Desempenho produtivo, reprodutivo e econômico de matrizes ovinas submetidas a diferentes estratégias de suplementação concentrada no período de pré-cobrição”.

A pesquisa contou com a contribuição de sete pesquisadores – entre eles a médica veterinária da Embrapa Semiárido/Emparn, Marciane Maia teve como objetivo avaliar o desempenho produtivo, reprodutivo e econômico de matrizes ovinas submetidas à estratégia de suplementação concentrada com diferentes durações.

O experimento, que utilizou 60 fêmeas ovinas da raça Santa Inês, foi realizado na área experimental do Grupo de Estudos em Forragicultura e Produção de Ruminantes (GEFORP), instalada na Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias da UFRN, localizada em Macaíba-RN.

“Esse tipo de resultado de pesquisa é muito importante, principalmente para o pequeno produtor rural. A redução no custo com alimentação tem uma repercussão positiva no retorno econômico, ou seja, o criador obterá índices reprodutivos satisfatórios com um investimento menor, o que é importante para os produtores menos capitalizados”, comentou Marciane Maia.

Pesquisa

Esta é a segunda publicação científica realizada pelo Comitê Editorial da Emparn em 2023. O primeiro foi o Comunicado Técnico nº 37 ”Cajueiro Anão Precoce: Desenvolvimento e indicação de clones para o Rio Grande do Norte”. Desde a sua fundação já foram publicados mais de 120 documentos técnicos difundindo conhecimento e tecnologia destinadas para o agronegócio.

Por Agora Rn

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Confinamento alcança 7,379 milhões de cabeças e destaca a importância da tecnologia e gestão para aumentar a produtividade no setor
Produção de frangos e ovos é destaque no Distrito Federal. A grande demanda da região por produtos de origem animal resulta nos quase 6 mil produtores cadastrados na Emater-DF
A Pecuária é responsável por US$ 1,37 bilhão das exportações sul-mato-grossense
Comitivas internacionais da América Latina, África e Ásia são esperadas no Parque da Gameleira