Search
Close this search box.

FAESP/SENAR analisa indicação do novo ministro da Agricultura

2 de janeiro de 2023

Presidente da Federação, Fábio Meirelles, espera que o senador Carlos Fávaro mantenha a atual estrutura do Mapa e adote políticas públicas que respondam aos anseios do agro
Compartilhe no WhatsApp
FAESPSENAR analisa indicação do novo ministro da agricultura
Carlos Fávero – Novo Ministro da Agricultura

O novo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o senador Carlos Fávaro, anunciado na quinta-feira (29 de dezembro) é um nome com experiência acumulada para comandar a pasta, responsável por um setor que movimenta 27% do PIB do País. A avaliação é do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP), Fábio de Salles Meirelles. “O senador ingressou na vida pública após anos de trabalho no agronegócio e conhece os nossos anseios. Os produtores brasileiros e paulistas esperam que o ministro adote políticas públicas que atendam às reais necessidades do Agro, com geração de empregos e investimentos, direito à propriedade privada e paz no campo”, afirma. “O Agro defende uma política econômica que estimule a produção, além da necessária segurança jurídica. Pedimos atenção especial ao Plano Safra, fundamental para que o Agro tenha os recursos necessários para continuar a produzir”, complementa.

Carlos Fávaro foi vice-presidente da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil) e presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja-MT). Também presidiu a Cooperativa Agroindustrial dos Produtores de Lucas do Rio Verde (Cooperbio Verde). No Senado, é membro titular das comissões de Meio Ambiente (CMA), Agricultura e Reforma Agrária (CRA) e Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR).

O presidente da FAESP lembra ainda que Fávaro é próximo do ex-ministro e ex-governador do Mato Grosso, Blairo Maggi, outro político com grande conhecimento das demandas do setor agropecuário brasileiro.

Meirelles salienta que a Federação defende a manutenção da atual estrutura administrativa do Mapa, que já demonstrou ser a mais eficiente para atender o setor. “Entendemos que a unificação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e do Ministério do Desenvolvimento Agrário trouxe muitos ganhos para a construção das políticas voltadas à agropecuária brasileira. Por isso nos posicionamos contra a cisão em documento enviado ao Grupo de Transição do Agro, que foi liderada por Fávaro,”, ressalta.

O presidente acredita que é essencial que o governo incentive as exportações do agro, sem taxações extras que onerem as vendas externas, e combata medidas protecionistas baseadas em discutíveis alegações ambientais. “A maior parte do Agro brasileiro adota práticas sustentáveis e desejamos que essa realidade seja mostrada pelo novo governo no Brasil e no Exterior”, salienta.

“O presidente acredita que é essencial que o governo incentive as exportações do agro, sem taxações extras que onerem as vendas externas, e combata medidas protecionistas baseadas em discutíveis alegações ambientais. “A maior parte do Agro brasileiro adota práticas sustentáveis e desejamos que essa realidade seja mostrada pelo novo governo no Brasil e no Exterior”, salienta.

“Desejamos uma boa gestão ao novo ministro e ressaltamos que a Federação continuará alinhada com as melhores práticas do setor e oferecendo amplo apoio à agropecuarista paulista”, finaliza.

Mais sobre o novo Ministro da Agricultura

Carlos Henrique Baqueta Fávaro tem 53 anos, nasceu em Bela Vista do Paraíso, no Paraná, e aos 17 anos se mudou para o Mato Grosso onde já foi vice-governador e secretário estadual de Meio Ambiente. Fávaro era um dos principais cotados para assumir o comando da pasta e foi um dos coordenadores do grupo técnico de agricultura durante o período de transição.

Em seu perfil no Twitter falou da importância do avanço “sustentável, responsável e contemporâneo” para que o país possa continuar evoluindo na segurança alimentar.

  • Delegado da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja-MT) — 2006;
  • Presidente da Cooperativa Agroindustrial dos Produtores de Lucas do Rio Verde (Cooperbio Verde) — 2007;
  • Delegado-coordenador da Aprosoja pelo município de Lucas do Rio Verde — 2008;
    Vice-presidente da Aprosoja-MT e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil) — 2010; e
  • Presidente da Aprosoja-MT — eleito em 2012 e reeleito em 2014, mas teve que se licenciar para ser candidato a vice-governador de Mato Grosso.

Leia mais em: https://conexaosafra.com/brasil/quem-e-carlos-favaro-o-novo-ministro-da-agricultura/

Fonte: FAESP/ Conexão Safra

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Valor é 4,4% maior que os US$ 35,85 bilhões em exportações registrados no primeiro trimestre do ano passado
Impulsionadas pela soja em grão, pelo açúcar bruto e açúcar refinado, as exportações do Paraná cresceram 4,7% em valor no primeiro trimestre do ano em relação a igual período do ano passado, informou em nota a Agência Estadual de Notícias.
ABCZ foi escolhida para sediar a segunda edição do COMCEBU; evento é aliado à 89ª ExpoZebu
Desembolsos nos primeiros oito meses da safra cresceram 13%, diz Seapa