Minas baterá recorde nas exportações do agro em 2021

No acumulado de janeiro a novembro, o valor alcançou US$ 9,5 bilhões. Projeção para o encerramento do ano é de R$ 10,3 bilhões, o maior valor desde o início da série em 2005.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Minas baterá recorde nas exportações do agro em 2021
Áudio

As exportações do agronegócio mineiro somaram US$ 9,5 bilhões, no acumulado de janeiro a novembro deste ano. A expectativa é de que as vendas internacionais do setor encerrem ano, ultrapassando a marca de US$ 10 bilhões, superando o recorde histórico de R$ 9,7 bilhões registrados em 2011.

“Se registrarmos em dezembro o valor médio do ano alcançado nas exportações, em torno de R$ 800 milhões, vamos fechar 2021 com valor histórico de R$ 10,3 bilhões. O valor acumulado até novembro já é o 2° melhor resultado da série histórica, iniciada em 2005, mesmo contabilizando o registro total dos meses (janeiro a dezembro) dos anos anteriores”, aponta a secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Maria Valentini.

O valor registrou crescimento de 19,2% em relação ao período de janeiro a novembro do ano passado e queda de 2,2% no volume exportado de 11,6 bilhões de toneladas. A diferença é justificada pelo aumento do valor médio pago pelas commodities no mercado internacional, cerca de US$ 816,32 a tonelada. O agronegócio respondeu por 26,1% das exportações totais do estado.

Principais Mercados

Os principais destinos do agronegócio mineiro no período foram a China (US$ 2,6 bilhões), Estados Unidos (US$ 990 milhões), Alemanha (US$ 839 milhões), Itália (US$ 423 milhões) e Japão (US$ 420 milhões). Os produtos agropecuários produzidos no estado alcançaram 176 países no total.

Cafe

Principal produto da pauta de exportações do agronegócio mineiro, o café representou 40,8% do total comercializado, no período de janeiro a novembro. O volume exportado foi de 24,9 milhões de sacas, que totalizaram US$ 3,9 bilhões.

As exportações do complexo soja (grão, farelo e óleo) totalizaram US$ 2,3 bilhões, com volume embarcado de 4,9 milhões de toneladas. O setor registrou crescimento tanto no valor (+31,3%) quanto no volume (+2,3%). O setor sucroalcooleiro (açúcar de cana ou beterraba, álcool e demais açúcares) obteve receita de US$ 1,1 bilhão com o embarque de 3,3 milhões de toneladas.

soja

Carnes

As carnes mantiveram boa performance com o registro de US$ 1,08 bilhão e 320 mil toneladas embarcadas para 110 diferentes mercados no mundo. O setor tem se mantido competitivo e, puxado pela alta do preço da commodity no mercado externo, obteve valorização na receita em todos os seus segmentos (bovino, frango, suíno e demais carnes/preparações).

Em relação às exportações específicas de carne bovina, a China manteve a liderança na comercialização e aumentou em 10% a receita das compras de carne bovina mineira, alcançando US$ 480 milhões, na comparação com período de janeiro a novembro do ano anterior. “As compras aquecidas do país asiático durante todo o ano ajudaram a manter o resultado do acumulado com bons números, mesmo com o embargo da carne bovina nos meses de setembro, outubro, novembro”, analisa a secretária Ana Valentini. Hong Kong seguiu no 2º lugar do ranking com US$ 75 milhões.

Ovos

As vendas de ovos para o mercado externo somaram US$ 1,6 milhão, crescimento de 11%. Enquanto países latinos como Equador, México e Bolívia deixaram de comprar, outros parceiros estrearam na pauta como Serra Leoa, Libéria, Gâmbia e Japão.

Produtos Apícolas

As exportações de produtos apícolas foram de US$ 14,9 milhões e 5,9 mil toneladas, crescimento de 150% e 105%, na receita e volume, respectivamente. Os EUA lideram as compras do segmento representando 67% da fatia. O país americano tem sido o principal destino do mel mineiro. Malásia e Hong Kong foram países estreantes neste ano.

Principais produtos exportados (janeiro a novembro)

Café: Valor: US$ 3,9 bilhões / Volume: 24,9 milhões de sacas
Complexo Soja: Valor: US$ 2,3 bilhões / Volume: 4,9 milhões de toneladas
Carnes: Valor: US$ 1,1 bilhão / Volume: 320 mil de toneladas
Complexo sucroalcooleiro: Valor: 1,1 bilhão / Volume: 3,3 milhões de toneladas.

Fonte: Seapa-MG/Márcia França

Crédito: Divulgação/Seapa

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Projeto Conexão Campo e Cidade traz o IPA, instituto que atua na representação da agropecuária na política nacional. Ele entende que governos devem focar na redução de custos para o produtor
Bunge disse, em nota, que “esta transação contribuirá para a capacidade de originação de grãos”. A nova aquisição é uma empresa especializada em insumos agrícolas
Querendo ou não, a tecnologia chegou para ficar e é claro que ela está muito além do sinal de internet, na comunicação. Ela vai até novas técnicas e formatos de manejo dos animais
Desarranjo nas cadeias globais e a retomada da demanda em grandes portos exportadores do mundo ajudam a explicar a situação que afeta a distribuição de café, carnes, grãos e insumos.