Search
Close this search box.

MetSul: El Niño mostra valores mais altos dos últimos 40 anos, não está sozinho e pede o dobro de atenção

24 de julho de 2023

Consultoria afirma que no Sul do Brasil, com chuva e temperatura acima da média, efeitos começam a ser sentidos no final do inverno
Compartilhe no WhatsApp
MetSul: El Niño mostra valores mais altos dos últimos 40 anos, não está sozinho e pede o dobro de atenção

Todo setor produtivo do país está com as atenções voltadas para o El Niño, confirmado oficialmente pela Administração Atmosférica e Oceânica (NOOA) no mês passado, mas para Estael Sias, meteorologista da MetSul o que chama atenção é que o fenômeno se desenvolve de forma muito diferente do que os observados em 1982-1983 e 1997-1998. 

Isso porque além do aquecimento do Pacífico, as águas estão superaquecidas em várias regiões do mundo, inclusive, favorecendo grandes ondas de calor atingindo vários oceanos. “Há grande anomalias positivas de temperatura do mar no Atlântico Norte, no Mediterrâneo e no Pacífico Norte”, afirma. 

Comenta ainda que o Atlântico Norte, por exemplo, jamais esteve tão quente com recordes diários de anomalia de temperatura da superfície do mar desde 1º de março. A temperatura oceânica nesta parte do planeta desvia e muito da climatologia histórica neste verão setentrional, o que tem contribuído para ondas de calor atmosféricas brutais no Hemisfério Norte.

Veja a comparação do Pacífico em 1997 e as condições atuais: 

El Nino
Fonte: NOAA/MetSul

Segundo a análise, o El Niño segue em atuação no Oceano Pacífico e deve persistir, pelo menos, até o início de 2024. “Os dados de temperatura da superfície do mar na faixa equatorial mostram gradual e constante intensificação do aquecimento que marca o El Niño”, afirma a publicação. 

Ainda de acordo com a especialista, atualmente o fenômeno apresenta valores para ter intensidade considerada como moderado, entre +1,0ºC e +1,4ºC. 

“Por outro lado, a região Niño 1+2, estava com anomalia de +3,4ºC, em nível de El Niño costeiro muito intenso junto ao Peru e Equador, aquecimento intenso na região que persiste desde o mês de fevereiro. Os valores nesta parte do Pacífico na última semana foram os mais altos em quase 40 anos”, afirma. 

El Nino_2

Os modelos indicam que o El Niño vai seguir ganhando força durante os próximos meses, e segundo Estael, a maioria dos modelos já indicam o evento climático com intensidade forte durante a primavera, enquanto algumas simulações mostram um evento com intensidade de muito forte a intenso, podendo ser configurar um Super El Niño. 

“O El Niño mexe com a circulação geral da atmosfera e interfere no clima no mundo inteiro. Nas vezes passadas, falando de forma muito clara e simples, o fenômeno era o “dono do campinho”. Era ele o grande motor das alterações no clima. Quase só o Pacífico Equatorial estava superaquecido. Agora, há outros jogadores em campo, com outras partes dos oceanos do planeta também superaquecidas”, afirma a consultoria. 

A consultoria ressalta que apesar das diferenças observadas neste ano, é esperado que os efeitos comecem a ser sentidos no Sul do Brasil, com mais chuva e temperatura acima da média, já no final deste inverno e com mais intensidade a partir da primavera. 

“Os últimos três a quatro meses do ano podem ter grandes excessos de chuva no Sul do Brasil, em particular no Rio Grande do Sul, com enchentes e temporais frequentes, exatamente o que poderia se esperar sob El Niño e que deve estar com intensidade forte a muito forte durante o último trimestre deste ano”, finaliza. 

Por Noticias Agrícolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Criação de canais de atendimento exclusivos e especializados e melhorias na rede elétrica no interior integram série de ações previstas no Cemig Agro.
O saldo alcançou US$9,42 bilhões, aumento de 14,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior
Programas de destaque incluem “Vivenciando a Prática”, que já mostrou realidade do agronegócio a mais de 30 mil estudantes e professores, e a Agroteca Digital
O estudo foi realizado pela HR Tech Mereo, plataforma integrada de gestão de pessoas presente em cerca de 40 países, responsável por atender a 10% das 500 maiores empresas do Brasil.