Search
Close this search box.

Como o mercado de milho se comportou na última semana?

31 de janeiro de 2023

Na última semana houve quedas nas cotações do milho, de acordo com o Centro de Pesquisa Econômica (CEPEA).
Compartilhe no WhatsApp
Como o mercado de milho se comportou na última semana?

A semana passada foi marcada pelo início da queda da demanda externa de milho brasileiro, pelo conflito geopolítico entre Rússia e Ucrânia e reaquecimento das exportações norte-americanas. Sendo assim, as cotações do milho na bolsa brasileira tiveram quedas expressivas, finalizando a semana cotadas a R$87,85 por saca (-2,93%) no contrato de março/23, ficando descolada da bolsa de Chicago, na qual terminou a sexta-feira (27) sendo cotada a U$6,83 o bushel (+0,89%) para o contrato de março/23.

O indicativo de preço CEPEA tem como referência as várias cidades no entorno de Campinas-SP. De acordo com isso, podemos observar uma diminuição nos preços do mercado físico.
Esse fato se dá, devido à atenção voltada para a safra de soja, e pelo motivo do milho verão ser mais voltado para o mercado interno.

O conflito entre Rússia e Ucrânia voltou a atrair atenções do mercado. Após o anúncio do envio de tanques de guerra dos EUA e Alemanha para a Ucrânia, a Rússia atacou o país ucraniano com
mísseis, em retaliação ao anúncio. Isso afetou o funcionamento do Porto de Odessa, que é o principal exportador do cereal do país. Esse cenário coloca em dúvidas a oferta do cereal para o mundo neste ano.

Em relação às exportações de milho norte-americano, houve um aumento de 28% em relação à semana anterior, atingindo em torno de 912 mil toneladas, de acordo com o Departamento de Agricultura dos
Estados Unidos (USDA). O México foi o principal comprador, representando 40% desse volume, e a China, o último, com apenas 71 mil toneladas.

O que esperar do mercado de milho?

De acordo com a previsão climática do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), haverá chuvas volumosas para todo o Brasil. Esse cenário será favorável para as lavouras em desenvolvimento, mas pode
atrasar o plantio da safrinha 2023 diante do atraso na colheita da safra atual de soja. Para a Argentina, o Serviço Meteorológico Nacional (SMN) sinaliza a continuidade de chuvas mais volumosas em boa parte do cinturão produtor. Caso todas essas condições se confirmem, poderá
haver contínua melhora nas condições das lavouras.

Nos EUA, o mercado já começa a olhar a expectativa de área para plantio do milho e soja. A safra norte-americana tem como diferença da brasileira o fato de plantar o milho e a soja em uma única safra
durante o ano, então, as culturas competem por área de plantio. Visto que o milho apresenta patamares melhores na relação custo/retorno, pode-se esperar então um aumento na área dedicada ao plantio de milho.

Sendo assim, as cotações brasileiras poderão ter uma semana de desvalorização em relação à semana anterior, prevalecendo a queda da demanda externa.

Fonte: Grão Direto

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Colmeias podem fornecer uma colheita de aproximadamente 50 kg de mel em dois meses durante a floração de soja. Fora das lavouras, colheita de mel é estimada em 19 kg por ano.
Dados mostram que serão produzidos 193,15 mil litros, abaixo do recorde de 580,22 mil litros do período anterior
Safra total de milho foi estimada em 114,14 milhões de toneladas, um acréscimo de 2,5 milhões de toneladas em relação ao previsto no mês passado; área plantada deve crescer 1% e produtividade deve avançar 1,2%
Essa parceria confirma a missão do AgroApp que é levar informações de qualidade para o produtor rural e profissional do campo.