Manejo de nascimentos em propriedades de cria

Quais os primeiros cuidados com a vaca e o bezerro? O que os pecuaristas precisam ter em mente?
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Manejo de nascimentos em propriedades de cria
Durante as primeiras horas de vida, os bezerros recém-nascidos precisam de uma série de cuidados, já que estão suscetíveis a infecções – Foto: Divulgação Biogénesis Bagó
Áudio

Durante as primeiras horas de vida, os bezerros recém-nascidos precisam de uma série de cuidados, já que estão suscetíveis a infecções. O chamado manejo de nascimento ou de maternidade deve ser orientado para que se garanta o bom estado nutricional do animal e a higiene do umbigo, que pode ser porta de entrada para diversas doenças.

O manejo de nascimento precisa ser programado desde o diagnóstico de gestação (DG). “Com essa antecedência e sabendo a época de prenhez das vacas, a equipe que faz o rodeio da vacada terá tempo para organizar e planejar os partos, tendo em vista que será necessário atender às necessidades tanto da vaca quanto do bezerro, logo após a concepção”, explica o médico-veterinário e gerente de Serviços Técnicos da Biogénesis Bagó, Reuel Gonçalves. 

Segundo ele, o cenário ideal é que a partir do oitavo mês, as vacas já estejam no pasto maternidade, que deve ser um ambiente limpo, com área de sombreamento, água e alimento à vontade, além da disponibilidade de sal mineral. A estrutura deve ser analisada também para que não possua declive ou áreas de acúmulo de água, já que ocorre de a estação de nascimento iniciar na seca e terminar na época das águas.

Manejo de nascimentos em propriedades de cria
A ingestão de colostro pelos bezerros é fundamental para a aquisição de imunidade por parte das crias – Foto: Divulgação Biogénesis Bagó

Importância das rondas e importância do colostro

Dentro de todo esse processo, a rotina de vistorias é um fator de suma importância para dar continuidade no trabalho. Gonçalves enfatiza que as rondas precisam ser feitas rigorosamente e a recomendação é que sejam duas por dia: uma de manhã e outra à tarde. Isso para que o animal passe pelo processo de cura de umbigo nas primeiras horas após o nascimento. Depois do parto, as rondas podem ser espaçadas para uma vez ao dia nos primeiros 15 dias e uma vez a cada dois dias até o 30º dia para que seja verificado se há algum animal com diarreia, pneumonia ou tristeza parasitária, situações nas quais o tratamento deve ser iniciado rapidamente.

O médico-veterinário e coordenador de serviços técnicos da Biogénesis Bagó, João Paulo Mendes Lollato comenta que o manejo de maternidade é de fundamental importância dentro do processo de cria e o bezerro deve ser tratado com o maior cuidado possível.

“Os primeiros pontos são: fazer a cura do umbigo e verificar se o bezerro mamou o colostro. Além de ser a sua primeira fonte de nutrientes, a importância do colostro está ainda relacionada ao fato de as vacas não transferirem via placenta os anticorpos para os bezerros, por isso, garantir que ele tenha consumido esse primeiro leite é fundamental. Será fonte de minerais, vitaminas, imunoglobulinas e hormônios de crescimento, que farão com que o bezerro se desenvolva, além de ser a sua primeira fonte de imunidade”, explica o veterinário.

Outro manejo que pode ser iniciado é o tratamento com pasta à base de prébióticos e probióticos para auxiliar o bezerro na formação da sua flora intestinal, o que ajudará na absorção dos nutrientes. Em algumas fazendas também nessa fase são feitas as tatuagens para identificação do bezerro e o furo da orelha para que haja tempo de cicatrizar antes de o brinco ser colocado no manejo de virada do mês. 

Reuel Gonçalves reforça ainda a importância de se manter um banco de colostro na fazenda para quando a vaca não produz leite, o animal tem mastite ou outro problema eventual. Ele lembra que o colostro deve ser aquecido e a recomendação é fornecer dois litros de manhã e dois à tarde, com início, preferencialmente, antes das seis horas de nascimento para que haja melhor absorção dos nutrientes do leite.

É nessa fase que também podem ser feitas as primeiras anotações zootécnicas, em que serão registrados o peso do bezerro, o nome da mãe, a raça e o sexo. São informações que servirão para que seja feito o acompanhamento da fazenda e comparar os resultados do animal, imprescindíveis para o pecuarista mensurar os seus ganhos.

Fonte: Biogénesis Bagó/Attuale Comunicação
Foto: Divulgação Biogénesis Bagó

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Canchim, a raça sintética proveniente do Charolês (francês) e do Nelore (brasileiro) integra banco de dados do Promebo.
Já no parto, o coto umbilical precisa cicatrizar de forma correta para evitar problemas futuros aos animais e prejuízos ao pecuarista.
Em tempos onde o preço da produção do leite sobe menos que os custos, nutrição de qualidade e assistência técnica ajudam a manter alta produtividade
Entre tantas,mais uma pesquisa comprova que ingerir mais “ouro branco”, a gordura láctea, oferece menor risco de doenças cardíacas.