Leite materno é fundamental para o meio rural

Movimento "Todos a Uma Só Voz" incentiva a doação de leite materno no meio rural, com o apoio do projeto Lactare. Ação busca levar informação às mulheres enfatizando doação
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Leite materno é fundamental para o meio rural
Movimento “Todos a Uma Só Voz” incentiva a doação de leite materno no meio rural – Foto: Divulgação/Papinhas Fora de Série
Áudio

A ausência de estudos sobre o aleitamento materno na área rural não faz dela uma prática irrelevante. Afinal, o leite materno é a principal fonte de nutrição dos recém-nascidos e o único alimento recomendável até os seis meses de idade do bebê.

Com uma composição química bem balanceada, o leite materno é capaz de suprir as necessidades fisiológicas do bebê. De fácil digestão, o alimento ainda mata a sede e provê a primeira proteção imunológica ao recém-nascido, ajudando a protegê-lo contra diarreias, inflamações no ouvido e doenças respiratórias.

O ato de sugar também é um exercício importante para o desenvolvimento adequado da musculatura facial do bebê. No entanto, a amamentação exclusiva aos filhos recém-nascidos nem sempre é possível. Desta forma, existem campanhas nacionais de incentivo à doação do leite materno excedente.

Em 2020, por exemplo, mesmo com o novo coronavírus, o volume de leite doado foi 2,7% superior ao ano anterior, segundo dados do Ministério da Saúde. De acordo com o órgão governamental, a partir da doação de 182 mil mulheres foram coletados 229 mil litros de leite materno, sendo que 157 mil litros foram distribuídos, beneficiando 212 mil recém-nascidos.

Doação de leite materno

Apesar do aumento, as instituições de saúde acreditam que é preciso avançar mais. Por isso, existem os bancos de leite espalhados por todo o País como, por exemplo, o Lactare, o primeiro banco de leite privado idealizado por uma farmacêutica, a Eurofarma.

Criado há dois anos, o projeto social orienta as mães que estão em fase de amamentação e as estimula a doar seu leite excedente, ajudando a nutrir recém-nascidos internados em UTIs neonatais.

“A partir do momento que uma mãe doa o leite materno, ela está doando uma vida a mais para o recém-nascido da UTI. Existem comprovações que o bebê que recebe este alimento sai antes da internação. Isso já é um motivo de muito orgulho para nós”, diz a idealizadora do projeto Lactare, Maíra Billi.

Desde o início do projeto, o Lactare coletou mais de 2,6 mil litros de leite, ajudando na recuperação de mais de mil recém-nascidos internados nas UTIs dos Hospitais Gerais de Itapevi, Cotia e Carapicuíba, na Grande São Paulo.

Incentivo a doação no campo

Muito tem se falado sobre a presença da mulher no Agro, mas é preciso ter um olhar mais abrangente que transcenda o exercício laboral. Desde sempre a mulher é protagonista e contribuiu para que o setor alcançasse sua atual posição de liderança.

Entretanto, muito mais que a figura profissional, a mulher desempenha vários papéis, dentre eles o de ser mãe, tendo a amamentação como uma das grandes demonstrações de cuidado e amor pelos seus filhos.

Amamentar também é um ato de proteção e que precisa começar a ser preparado antes mesmo do nascimento do bebê. A alimentação e dieta adequadas, exercícios, aprendizado sobre assepsia e cuidados com os seios, são algumas das muitas informações que a futura mamãe precisa saber. Mas também precisa saber que a doação de leite materno constitui um ato humanitário.

Nesse sentido, projetos como o Lactare são tão importantes para a propagação de conhecimento e de ajuda, tanto para as mamães que precisam receber a doação de leite para amamentar seus filhos, quanto para as mães que podem doar.

“As mulheres do campo são verdadeiras heroínas que desempenham vários papéis: além de produtoras, são mães, educadoras e donas de casa. Muitas dessas mulheres, especialmente as que fazem parte da agricultura familiar – das micros e pequenas propriedades – têm limitação de acesso às informações sobre como doar e como receber a doação do leite materno”, declara o idealizador e mentor do movimento “Todos A Uma Só Voz”, Ricardo Nicodemos.

“Quando conhecemos o projeto Lactare nos encantamos com seus propósitos e entendemos que o nosso Movimento pode contribuir ajudando a disseminar as informações de uma iniciativa tão bonita e louvável como essa. Afinal, assim como o Agro é paz, o amamentar é vida e amor. E nós queremos propagar paz, vida e amor”, acrescenta.

TUV DOE LEITE MATERNO

Quem pode doar

Toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite humano. Basta ser saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira na amamentação. Para ser uma doadora, procure os locais do banco de leite humano mais próximo da sua residência para entregar a sua doação.

O Movimento “Todos a Uma Só Voz” apoia o projeto Lactare. “É um projeto importante porque doar leite é doar esperança. Afinal, um grande gesto pode salvar a vida de quem mais precisa”, afirma Nicodemos.

Para saber mais sobre o projeto Lactare, acesse: www.lactare.com.br.

Todos a Uma Só Voz

Lançado oficialmente em fevereiro de 2021, conta com a ajuda de diversas associações, empresas e profissionais que trabalham unidos em prol de gerar e disseminar conhecimentos de boa qualidade e estimular a empatia da população urbana pelo campo e pelos produtores e produtoras.

O Movimento tem o apoio institucional da ESALQ-USP, ABAG, ABAGRP, ABCC, ABIA, ABIARROZ, ABIEC, ABISOLO, ABITRIGO, ABMRA, ABPA, ABRAFRUTAS, ABRALEITE, ABRASEL, AGRITECH UFLA, AGROLIGADAS, AGRORESET, AIPC, AMA BRASIL, ANDA, ANDAV, APROSOJA-RO, ASBRAM, CAPITALISMO CONSCIENTE, CECAFÉ, CICARNE, CLIMATEMPO, CONGRESSO DAS MULHERES, DE OLHO NO MATERIAL ESCOLAR, FENEP, GRUPO MULHERES DO BRASIL (COMITÊ AGRONEGÓCIO), IBÁ, IBRAHORT, LIGA DO AGRO, PECEGE, SAE BRASIL, SINDAN, SINDIRAÇÕES, SISTEMA OCB, SNA, YAMI. Conta com o apoio comercial das empresas Agroline, Attuale, Coelho&Morello, Companhia de Estágios, Lamarca, RCom, RV Mondel, TrahLahLah. E tem o patrocínio da CROPLIFE.

Fonte: Movimento “Todos a Uma Só Voz”
Crédito da foto: Divulgação/Papinhas Fora de Série

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Projeto Conexão Campo e Cidade traz o IPA, instituto que atua na representação da agropecuária na política nacional. Ele entende que governos devem focar na redução de custos para o produtor
Bunge disse, em nota, que “esta transação contribuirá para a capacidade de originação de grãos”. A nova aquisição é uma empresa especializada em insumos agrícolas
Querendo ou não, a tecnologia chegou para ficar e é claro que ela está muito além do sinal de internet, na comunicação. Ela vai até novas técnicas e formatos de manejo dos animais
Desarranjo nas cadeias globais e a retomada da demanda em grandes portos exportadores do mundo ajudam a explicar a situação que afeta a distribuição de café, carnes, grãos e insumos.