O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Lançamento global de tecnologia brasileira

A tecnologia brasileira desenvolvida pela Embrapa para preservar a qualidade e prolongar o tempo de vida das frutas acaba de ser lançada na Filadélfia (EUA), em âmbito mundial, com o nome de Life Ultra
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
tecnologia brasileira
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

A tecnologia brasileira desenvolvida pela Embrapa para preserva a qualidade e prolongar o tempo de vida das frutas acaba de ser lançada na Filadélfia (EUA), em âmbito mundial, com o nome de Life Ultra pela AgroFresh Solutions, Inc. A inserção no mercado global ocorreu dentro da plataforma de expansão de produtos naturais VitaFresh™ Botanicals da multinacional americana, líder global em soluções pós-colheita. 

Desenvolvida pela Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP) em parceria com a QGP Tanquímica e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a tecnologia preserva a qualidade e prolonga o tempo de vida das frutas por mais tempo, em média, em até 15 dias. O impacto na forma sustentável de produzir e de consumir reflete na redução de perdas e desperdício de alimentos, um problema grave em âmbito mundial. 

O pesquisador Marcos David Ferreira, um dos responsáveis pelo desenvolvimento da nanoemulsão de cera de carnaúba, explica que a triangulação entre as três instituições envolveu um modelo de negócio diferenciado. A QGP Tanquímica, licenciada para fabricar a solução, assinou um contrato de cooperação com a AgroFresh visando alavancar o produto no mercado nacional e internacional. 

“A entrada da AgroFresh está impulsionando a adoção da tecnologia por setores produtivos de países da América Latina, Europa e Ásia, permitindo que um contingente maior seja beneficiado”, diz o pesquisador sobre a primeira tecnologia da Embrapa Instrumentação lançada, distribuída e comercializada internacionalmente. 

“O processo geral da tecnologia de nano emulsão usada para produção do VitaFresh™ Botanicals – Life Ultra produz uma solução excepcional para manutenção de frescor”, acrescentou Marilene Ribeiro, gerente de pesquisa e desenvolvimento da QGP Tanquímica. 

AgroFresh é a maior distribuidora comercializadora, nacional e internacional, da nanoemulsão de carnaúba. Clint Lewis, CEO da empresa, disse ser um prazer unir forças com a empresa brasileira para o lançamento global deste novo recobrimento. 

Tecnologia brasileira: Life Ultra

“O Life Ultra é parte importante do portfólio VitaFresh™ Botanicals e continua o compromisso de décadas da AgroFresh com inovação e redução da perda e desperdício de alimentos. Estamos felizes pela forma como esta solução à base de plantas abre oportunidades de negócios ao consumidor da cadeia de alimentos, empacotadores e varejistas”. Afirma o CEO. 

Entre os fatores que contribuíram para a rápida inserção da tecnologia no mercado estão desenvolvimento sustentável, funcionalidade, facilidade de uso, flexibilidade, inovação, forte conexão com o setor produtivo e segurança. A nanoemulsão mantém as propriedades sensoriais do fruto, reduz a perda de massa e proporciona brilho. 

“A internacionalização dessa tecnologia brasileira em vários continentes confirma a excelência da pesquisa nacional. Demonstra de forma inequívoca que o investimento em C&T alimenta um ciclo virtuoso de impactos econômicos, sociais e ambientais”, lembra  João de Mendonça Naime, chefe-geral da Embrapa Instrumentação. De acordo com o Balanço Social divulgado essa semana, a Empresa gerou um lucro social de R$ 61,85 bilhões no ano passado. Pode se dizer, assim, que o índice de retorno social é de R$ 17,77 para cada real aplicado na Embrapa. 

Ganhos de caráter ambiental e socioeconômico foram decisivos para a alemã Lemon Fresh aplicar o produto em 15% das frutas beneficiadas diariamente. A empresa está revestindo o popular limão Tahiti e exportando para a Europa e Oriente Médio – região da Ásia formada por 15 países -, a partir da Alemanha. 

De acordo com Luís Carlos Rugeri, seu diretor comercial, a expectativa da empresa é utilizar a tecnologia em 100% do fruto, ampliar a participação no mercado europeu e entrar em todo o continente asiático, o mais extenso e populoso do mundo, com quase cinco bilhões de pessoas. “Observamos que a nanoemulsão reduz a perda de peso da fruta, aumentando em até três vezes a vida útil em armazenagem refrigerada, além de melhorar a qualidade do suco e a coloração”, afirma o diretor. 

Essa tecnologia brasileira foi desenvolvida em cerca de sete anos de pesquisa, com o suporte técnico e científico do Laboratório Nacional de Nanotecnologia para o Agronegócio (LNNA), sediado na Embrapa Instrumentação e com o apoio de órgãos de fomentos, entre eles, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 

No Brasil, terceiro maior produtor mundial de frutas, com grande diversidade de espécies cultivadas, os produtores rurais de base empresarial e empresas de beneficiamento pós-colheita de frutos são os principais contemplados pela tecnologia. 

Fonte: Embrapa 
Crédito da foto: Reprodução/Negócio Rural

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil