Search
Close this search box.

Lactucina, o leite da alface, substância que combate o estresse

18 de dezembro de 2022

Além do estresse, devido às propriedades analgésicas e calmantes, a lactucina é usada em cosméticos e produtos para a pele
Compartilhe no WhatsApp
Lactucina, o leite da alface, substância que combate o estresse
A lactucina é conhecida assim por, de fato, ser um lácteo que tem propriedades analgésicas – Foto: Divulgação

Quem tem uma hortinha em casa pode já ter percebido um líquido branco saindo da alface na hora da colheita. A lactucina, líquido conhecido popularmente como leite de alface, é, na verdade, uma seiva que está presente nas folhas e no caule da hortaliça.

A lactucina é conhecida assim por, de fato, ser um lácteo que tem propriedades analgésicas, sedativas e calmantes. Por causa desses componentes, a alface é recomendada para o consumo à noite, diz Simone da Costa Mello, professora do Departamento de Produção Vegetal da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo (Esalq/USP).

Bom para a pele

Devido às propriedades analgésicas e calmantes da lactucina, ela é usada em cosméticos e produtos para a pele. O lácteo também tem funções antioxidantes, combatendo os radicais livres. Assim, diminui o estresse e evita o envelhecimento precoce da pele.

Pode comer a lactucina?

Quando a alface apresenta muita lactucina significa que a hortaliça está passando do tempo. Isso porque o lácteo é uma substância produzida em maior volume quando a planta está em transição do estágio vegetativo – quando a consumimos – para a fase reprodutiva, dando origem às suas flores e sementes.

Ainda assim, não vai fazer mal à saúde provar a alface, mas ela pode não te agradar, pois a lactucina também é responsável por dar o gosto amargo, então seu sabor estará mais forte. Além disso, as folhas podem estar mais espessas, perdendo qualidade.

Se na sua hortinha a alface tem entrado com frequência na fase reprodutiva, isso pode ser culpa do calor, pois temperaturas elevadas induzem a substância associada à reprodução.

Fonte: G1

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Estado de São Paulo produziu 192 mil toneladas de abacate no ano passado
A tendência para 2024 é um primeiro semestre com preços favoráveis e exportações em alta de manga
Com maior disponibilidade de lavouras, produtores visam se capitalizar e/ou adiantar a colheita, comparativamente ao padrão sazonal de anos anteriores.
Durante a cerimônia da Abertura da Colheita também foi assinado um convênio entre o Ibraoliva e o Ministério da Agricultura e Pecuária