Search
Close this search box.

Índice Montana é aprimorado para fortalecer seleção de precocidade sexual

22 de junho de 2023

Atualização objetiva acelerar seleção para precocidade sexual para atender as necessidades da pecuária nacional
Compartilhe no WhatsApp
Índice Montana é aprimorado para fortalecer seleção de precocidade sexual

A Associação Internacional de Criadores de Montana (AIC-MTN) anuncia ajuste no Índice de seleção de bovinos da raça. Com a atualização, a DEP (Diferença Esperada na Progênie) de Perímetro Escrotal (PE), que representava 10% do Índice, dá lugar à Probabilidade de Prenhez aos 14 meses (PP14), com o mesmo percentual. A alteração foi definida a partir de avaliação conjunta dos técnicos da AIC-MTN com o Grupo de Melhoramento Animal e Biotecnologia (GMAB), da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA/USP) – campus de Pirassununga (SP).

“Há várias safras temos calculado as DEPs obtidas diretamente da avaliação de fêmeas – como PP14, idade ao primeiro parto, produtividade acumulada de matrizes e stayability, que são DEPs mais objetivas para seleção de precocidade sexual e fertilidade, por exemplo. Após vários estudos, entendemos ser importante incluir a DEP PP14 no Índice Montana, como forma de modernização da seleção da raça. Com isso, nos atualizamos e somos mais assertivos na seleção voltada à precocidade sexual, para continuar contribuindo com o avanço do Montana no Brasil”, assinala Gabriela Giacomini, superintendente técnica da AIC-MTN.

O geneticista José Bento Sterman Ferraz, pós-doutor pela Universidade de Nebraska (Estados Unidos), livre-docente da USP e um dos responsáveis pela seleção do gado Montana, explica que a alteração é realizada após análises de anos de dados que comprovam a baixa correlação do perímetro escrotal com precocidade sexual. “A seleção por perímetro escrotal para precocidade sexual foi válida, mas é uma crença da década de 1960, que se tornou ultrapassada. Após interpretação de informações genéticas, entendemos que a correlação é bem baixa – algo em torno de 25%”, destaca José Bento.

Dessa forma, o Índice Montana, principal critério de seleção do programa de melhoramento genético da raça, é agora composto por 30% para Peso ao Sobreano (PSOB), 20% para Ganho de Peso ao Sobreano (GPSOB), 20% para Peso à Desmama (PD), 20% para Musculosidade (MUSC) e 10% para Probabilidade de Prenhez aos 14 meses (PP14), que substitui o Perímetro Escrotal (PE).

“Além de não fazer diferença expressiva para a seleção de animais sexualmente precoces, o perímetro escrotal tem grande relação com pesos elevados de bovinos. O que fez com que, após anos de seleção apoiados nessa DEP, começássemos a produzir bovinos extremamente pesados, principalmente ao nascer, algo indesejável na pecuária moderna”, explica José Bento Ferraz. “As mudanças modernizam o Índice e o adequa às necessidades da pecuária brasileira”, finaliza.

Ao lado de Joanir Pereira Eler, Elisângela Chicaroni de Mattos e Rafael Espigolan, José Bento é membro do grupo de melhoramento que administra o maior banco de dados de animais cruzados e compostos do mundo, com o uso de tecnologias para aumentar a confiabilidade das informações genéticas geradas, como a genômica.

Sobre a Associação Internacional de Criadores de Montana

A Associação Internacional de Criadores de Montana reúne pecuaristas no Brasil e no Uruguai e oferece diversos serviços, como assessoria de geneticistas para produção e comercialização de touros Montana, seleção do rebanho comercial, acasalamento dirigido e seleção de animais com CEIP, além da possibilidade de fazer parte de um grupo de pecuaristas efetivamente interessados em melhorar seus rebanhos.

São mais de 30 anos de seleção buscando o aumento contínuo da produtividade e a geração de heterose, apoiados no maior banco de dados de animais cruzados e compostos do mundo, com uso de tecnologias de última geração nas análises. O programa de melhoramento genético do Montana é realizado pela entidade e os criadores, em parceria com a USP, campus de Pirassununga, responsável pela avaliação de dados. Para mais informações, acesse: www.montana.org.br/.

Por Texto Assessoria

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Confinamento alcança 7,379 milhões de cabeças e destaca a importância da tecnologia e gestão para aumentar a produtividade no setor
Produção de frangos e ovos é destaque no Distrito Federal. A grande demanda da região por produtos de origem animal resulta nos quase 6 mil produtores cadastrados na Emater-DF
A Pecuária é responsável por US$ 1,37 bilhão das exportações sul-mato-grossense
Comitivas internacionais da América Latina, África e Ásia são esperadas no Parque da Gameleira