Search
Close this search box.

Índia deve proibir exportação de açúcar e já mexe com mercado: quais ações de empresas brasileiras podem ganhar nesse cenário?

27 de agosto de 2023

Falta de chuva reduziu a produção de cana e deve levar a maiores restrições, levando a uma alta do açúcar e favorecendo empresas do setor
Compartilhe no WhatsApp
Índia deve proibir exportação de açúcar e já mexe com mercado quais ações de empresas brasileiras podem ganhar nesse cenário

A Índia, segundo maior exportador mundial de açúcar, depois do Brasil, responsável por 8% ou 9% do comércio global, deve proibir as usinas de exportar açúcar na próxima temporada a partir de outubro, interrompendo os embarques pela primeira vez em sete anos, já que a falta de chuva reduziu a produção de cana, segundo reportagem da Reuters.

Uma proibição na Índia provavelmente aumentaria os preços de referência em Nova York e Londres, que já estão sendo negociados em torno das máximas de vários anos, provocando temores de mais inflação nos mercados globais de alimentos.

Na safra 2022/23, o governo indiano permitiu exportações de 6,1 milhões de toneladas, já abaixo dos 11,1 milhões de toneladas da temporada anterior.

Para Morgan Stanley, a falta de exportações de açúcar da Índia, se a proibição for implementada, deverá sustentar preços mais elevados do açúcar por mais tempo.

Na véspera, o contrato para outubro do açúcar bruto ​​fechou em alta de 0,45 centavo, ou 1,9%, a 23,85 centavos de dólar por libra-peso, repercutindo a notícia.

Além disso, segundo o banco americano, a ausência da Índia no comércio global deixa o Brasil como o único grande fornecedor no mercado a exigir preços melhores.

Tendo isso em vista, o banco lembra que as ações do setor no Brasil já tiveram forte alta na véspera, com São Martinho (SMTO3) disparando 7,6% e Raízen (RAIZ4) subindo 2,56% na véspera.

Já o Bradesco BBI destaca que a restrição na Índia fez fez com que os preços internacionais no mercado spot (á vista) aumentassem 3%. “Isso indica também que o El Niño, que deve ganhar força nos próximos meses, deverá impactar negativamente a safra global de açúcar em 2023/24, o que seria positivo para São Martinho e Jalles Machado JALL3)”, explica, por conta do aumento de preços. Ontem, JALL3 também subiu forte, 5,20%.

A XP Investimentos comenta que as usinas devem continuar priorizando o açúcar em relação ao álcool após essas notícias, apesar do recente aumento dos preços da gasolina pela Petrobras (PETR4) que aumentou a competitividade do etanol.

O time de análise da XP mantém visão positiva para todos os players de açúcar e etanol dentro de sua cobertura devido à visão positiva de longo prazo sobre os preços do açúcar, além de menores custos e rendimentos mais elevados, empurrando para uma maior diluição de custos.

Apesar do desempenho positivo mensal (+7,7%) e acumulado no ano (33,8%), analistas da XP acreditam que os preços atuais ainda estão um ponto de entrada interessante para o São Martinho, que deverá ser precificado mais rapidamente do que as variáveis ​​acima mencionadas devido ao seu perfil puramente commodity e maior exposição ao açúcar.

O Bradesco BBI mantém recomendação neutra para São Martinho e Jalles Machado, com preço-alvo de, respectivamente, R$ 40 e R$ 10.

As ações do setor têm uma nova sessão de ganhos. Às 11h15 (horário de Brasília) desta quinta-feira, JALL3 subia 2,14%, SMTO3 avançava 1,72% e RAIZ4 tinha alta de 1,66%.

Por Info Money

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Safra total de milho foi estimada em 114,14 milhões de toneladas, um acréscimo de 2,5 milhões de toneladas em relação ao previsto no mês passado; área plantada deve crescer 1% e produtividade deve avançar 1,2%
Essa parceria confirma a missão do AgroApp que é levar informações de qualidade para o produtor rural e profissional do campo.
Na comparação com a média diária de junho de 2023, há queda de 16,6% no valor obtido diariamente pelas exportações de açúcar em junho de 2024.
Em grande parte do Rio Grande do Sul, a colheita de arroz já foi finalizada