Search
Close this search box.

Impacto do Plano Safra no agronegócio

10 de agosto de 2023

Plano Safra da história, com recursos de R$364,22 bilhões
Compartilhe no WhatsApp
Impacto do Plano Safra no agronegócio
Crédito: Paulo Whitaker/Reuters

Em um momento de evidência mundial, o setor do agronegócio brasileiro acaba de receber mais um impulso para buscar crescimento: o anúncio do maior Plano Safra da história, com recursos de R$364,22 bilhões, e que tem como principal objetivo apoiar a produção da agricultura e da pecuária no Brasil.

Com foco no desenvolvimento do setor e no fortalecimento dos sistemas de produção sustentáveis, essa iniciativa do governo federal vai ao encontro da previsão de novo recorde em 2023, para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, que segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deve totalizar 305,4 milhões de toneladas até o final do ano, com uma área a ser colhida de 76,6 milhões de hectares.

A partir de números tão positivos e expressivos, como os citados acima, vários segmentos ligados ao agronegócio, como o de consórcio de veículos pesados, que inclui máquinas e implementos agrícolas, já verificam o impacto do aumento das vendas e do investimento em suas operações. Por se tratar de uma forma mais simples e econômica para a aquisição de bens e serviços, o produtor tem cada vez mais investido no consórcio, que oferece prazos mais flexíveis, datas de pagamentos adequadas, linha de crédito sempre disponível, entre outros benefícios e facilidades.

Segundo uma recente pesquisa da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), divulgada em junho deste ano, somente as adesões ao consórcio de máquinas e implementos agrícolas cresceram mais de 350% em cinco anos. Ao contribuir para o desenvolvimento do agronegócio no Brasil, os consórcios injetaram potencialmente quase R$ 12 bilhões de 2019 a 2023. Ainda segundo a entidade, de janeiro a maio deste ano, o segmento de veículos pesados apresentou resultados positivos em créditos comercializados e contemplações, com aumentos de 15% e 22,8%, respectivamente.

E os pontos positivos deste crescimento não param por aí. A compra de equipamentos e serviços aumenta a produtividade e reduz as despesas com produção. E é a partir da modalidade que os empresários do setor agrícola podem ter acesso a equipamentos sofisticados, que possuem valores elevados, por conta da alta tecnologia embarcada.

Diante de tantas razões e resultados otimistas, fica mais do que evidente que a partir do investimento do governo e das facilidades oferecidas pelo consórcio, quem ganha realmente é o produtor, que pode investir no segmento considerado um dos mais importantes da economia brasileira, ampliando assim ainda mais a visibilidade e o reconhecimento do país como celeiro do mundo e um dos maiores exportadores globais.

Por Diário do Comércio

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Em 2022, quando a Guerra na Ucrânia começou, houve um salto de 188% nas exportações de fertilizantes de Israel ao Brasil
Para Arnaldo Jardim, tendência é a ampliação das possibilidades do produto
Esse fenômeno tem gerado impactos positivos no desenvolvimento de municípios do Piauí que, anteriormente, apresentavam indicadores econômicos mais modestos, transformando suas realidades.
Ambiente de negócios aponta para encurtamento das escalas de abate, o que pode levar ao maior apetite de compra