Search
Close this search box.

Hipismo: Yuri Mansur chega perto do pódio na Copa do Mundo de saltos

14 de abril de 2023

Compartilhe no WhatsApp
Hipismo: Yuri Mansur chega perto do pódio na Copa do Mundo de saltos

O paulista Yuri Mansur, montando o cavalo Vitiki, obteve a quarta colocação na Copa do Mundo de hipismo de saltos, em Omaha, nos Estados Unidos. A competição, uma das mais importantes da temporada para o brasileiro, teve início na última terça-feira (5) e reuniu 40 conjuntos, sendo que 30 estiveram na final, disputada no sábado (8) à noite.

Yuri e Vitiki encaram duas vezes o percurso com obstáculos. Na primeira passagem, o conjunto cometeu dois erros e teve a dedução de 11 pontos. Na segunda, a parceria não teve falhas e cumpriu a volta em 62s40, a 15 centésimos da norte-americana Hunter Holloway (montando Pepita Con Spita), que também teve 11 pontos perdidos, mas levou a medalha de bronze pelo menor tempo gasto na pista. A vitória foi do sueco Henrik von Eckermann, atual campeão mundial, que montou King Edward.

Apesar de a medalha ter escapado, Yuri comemorou o desempenho e a superação de Vitiki. O cavalo, de 15 anos, sofreu uma fratura séria na perna direita em 2018, durante um evento em Aachen (Alemanha). O animal foi submetido a uma cirurgia e retornou às pistas dois anos depois, após uma lenta recuperação.

“Agradeço por toda energia positiva dos amigos e torcida e especialmente ao Vitiki, não apenas pelo resultado, mas porque ele mudou minha vida. Ele é um cavalo que prova que quando você realmente acredita em algo e trabalha duro, tudo é possível. Ver o esforço e a motivação dos cavalos é incrível”, disse o cavaleiro, ao site da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH).

Em 44 edições da Copa do Mundo de saltos, o brasileiro com melhor desempenho na história é Rodrigo Pessoa. O campeão olímpico venceu o evento por três anos consecutivos (1998, 1999 e 2000) e esteve no pódio outras três vezes, sendo duas como vice (2001 e 2003) e uma na terceira posição (2002).

Hipismo no Pan e Olimpíada

A parceria entre Yuri e Vitiki é uma das 38 candidatas a representarem o Brasil nas disputas de saltos dos Jogos Pan-Americanos, em novembro. Até 1º de setembro, o suíço Philippe Guerdat, técnico da seleção brasileira e treinador da equipe da França – campeã olímpica nos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro – escolherá seis conjuntos (cinco titulares e um reserva) para competir em Santiago, no Chile.

A classificação à Olimpíada de Paris, no ano que vem, depende de a seleção chegar ao pódio no Pan. Outra possibilidade é pela Copa das Nações, em outubro, em Barcelona, na Espanha. Há, ainda, 15 vagas individuais em disputa pelos brasileiros: três via Santiago e 12 pelo ranking mundial de dezembro da Federação Equestre Internacional (FEI).

As três medalhas olímpicas do Brasil no hipismo vieram nos saltos. Nos Jogos de Atlanta (Estados Unidos), em 1996, o país foi bronze por equipes, com Rodrigo Pessoa, Doda Miranda, André Johannpeter e Luiz Felipe de Azevedo, repetindo o feito quatro anos depois, em Sydney (Austrália). Por fim, na edição de Atenas (Grécia), em 2004, Pessoa conquistou o ouro no individual, após punição por dopping ao conjunto do irlandês Cian O’Connor.

Por Agência Brasil

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Confinamento alcança 7,379 milhões de cabeças e destaca a importância da tecnologia e gestão para aumentar a produtividade no setor
Produção de frangos e ovos é destaque no Distrito Federal. A grande demanda da região por produtos de origem animal resulta nos quase 6 mil produtores cadastrados na Emater-DF
A Pecuária é responsável por US$ 1,37 bilhão das exportações sul-mato-grossense
Comitivas internacionais da América Latina, África e Ásia são esperadas no Parque da Gameleira