Search
Close this search box.

hEDGEpoint reduz em 4,9% previsão de safra de café do Brasil, ainda vê alta ante 2023

3 de abril de 2024

Em relatório, a empresa afirmou que a produção de café arábica deverá atingir 45,6 milhões de sacas, cerca de 2 milhões abaixo da projeção anterior.
Compartilhe no WhatsApp
hEDGEpoint reduz em 4,9% previsão de safra de café do Brasil, ainda vê alta ante 2023

 A produção de café no Brasil, o maior produtor e exportador do mundo, foi projetada em 67,46 milhões de sacas de 60 kg, com problemas climáticos reduzindo a expectativa em 4,9% na comparação com a estimativa anterior, de acordo com números da empresa de consultoria e gestão de riscos hEDGEpoint Global Markets divulgados nesta segunda-feira.

A produção de robusta/conilon foi projetada em 21,85 milhões de sacas, corte de 1,43 milhão de sacas.

A produção total de café do Brasil ainda teria um crescimento de 1,8% na comparação com a temporada anterior, com impulso do colheita de arábica, já que a de conilon deve ficar abaixo das 22,5 milhões de sacas no ciclo passado.

O número é bem abaixo do potencial. Em uma das primeiras projeções divulgada no ano passado, a hEDGEpoint havia estimado a safra brasileira em um recorde de 74,24 milhões de sacas de 60 kg na temporada 2024/25.

A analista do hEDGEpoint Natalia Gandolphi disse que nas regiões de conilon os níveis de precipitação acumulada terminaram 2023 em uma mínima de dez anos.

“A recuperação no 1º trimestre/24 estancou o sangramento, mas qualquer dano que tenha ocorrido no 4º trimestre/23 já se consolidou. As temperaturas também são uma preocupação: o El Niño atinge com mais força o Espírito Santo…”, disse ela.

No caso do arábica, fenômeno climático também afetou as áreas produtoras, “embora em um grau muito menor”.

Segundo ela, as chuvas favoráveis até o último trimestre de 2023 ajudaram a manter os níveis de umidade do solo, “evitando uma quebra de safra substancial na região”.

Por Notícias Agricolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Estado é o maior produtor da região Norte
Segundo o IBGE, 90% das empresas têm perfil familiar no Brasil, respondem por mais da metade do PIB, e empregam 75% da mão de obra do país.
Número de produtores de sementes registrados no Mapa passou de 7 para 27 em menos de dez anos; área de campos de produção quadruplica no país
Professor europeu visitou Unidade da Epamig em Viçosa para conhecer o trabalho de perto e disse que gostaria de levar nossa tecnologia para seu país