Search
Close this search box.

Futuros de soja e grãos caem com redução do apetite por risco

31 de julho de 2023

Os futuros de soja e milho operaram instáveis à medida que o dólar norte-americano se fortaleceu, disseram analistas.
Compartilhe no WhatsApp
Futuros de soja e grãos caem com redução do apetite por risco

Os futuros de soja e grãos em Chicago caíram nesta quinta-feira, com os investidores começando a reduzir o apetite por risco em meio a sinais de que o clima quente no Meio-Oeste dos Estados Unidos esta semana pode durar pouco.

Soja

A soja caiu acentuadamente, com os operadores ignorando um relatório do Departamento de Agricultura dos EUA que indicava que a soja dos EUA foi vendida para destinos desconhecidos. Os futuros de trigo também enfrentaram uma sessão volátil, enquanto os participantes do mercado aguardavam uma visão mais clara sobre as exportações globais de grãos no Mar Negro, disseram negociadores.

Mas foram as perspectivas climáticas do Meio-Oeste que alimentaram a volatilidade no mercado de grãos, pesando mais sobre os preços nesta quinta-feira, disseram.

Vários meteorologistas estão prevendo um clima mais favorável para as safras à medida que o milho da região termina a polinização, uma fase crucial para determinar os rendimentos, enquanto a soja se aproxima da fase de formação de vagens em agosto, disse Karl Setzer, líder de pesquisa da corretora Mid-Co Commodities.

O contrato de trigo mais ativo na Chicago Board of Trade (CBOT) fechou com queda de 7,25 centavos a 7,1275 dólares por bushel.

O milho caiu 6 centavos a 5,4225 dólares o bushel, e a soja caiu 22 centavos, para 13,98 dólares o bushel.

(Por P.J. Huffstutter em Chicago; reportagem adicional de Naveen Thukral em Cingapura e Sybille de La Hamaide em Paris)

Por Investing.com

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Exportações do agronegócio cresceram 14,8% em janeiro
Produzido a partir de dados do Caged, o levantamento mostra que as atividades que envolvem a colheita da laranja foram responsáveis por 54.232 contratações
Com maior disponibilidade de lavouras, produtores visam se capitalizar e/ou adiantar a colheita, comparativamente ao padrão sazonal de anos anteriores.
Em uma análise recente divulgada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), as projeções apontam para um futuro promissor para o agronegócio brasileiro, especialmente para o setor de milho.