Search
Close this search box.

Finep apoia projetos que visam obtenção de bioinsumos de alta eficiência 

3 de novembro de 2023

Empresa catarinense desenvolve novos fertilizantes sólidos granulados
Compartilhe no WhatsApp
Finep apoia projetos que visam obtenção de bioinsumos de alta eficiência 

Com apoio da Finep( Financiadora de estudos e projetos), empresa catarinense referência na produção de fertilizantes minerais e líder na industrialização e comercialização de sulfato de cálcio no Sul do Brasil, a MaxiSolo, divisão de nutrição vegetal da SulGesso, investe em pesquisas e no desenvolvimento de três novos fertilizantes sólidos granulados. As tecnologias inovadoras, de alta eficiência e sustentáveis, serão elaboradas a partir da transformação de matérias-primas minerais nacionais, e contam com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), além de parcerias com centros de pesquisas e universidades.

Uma das propostas é voltada para a obtenção de bioinsumos de alta eficiência, baseados em microrganismos ativos imobilizados. As outras duas linhas de pesquisa também estão alinhadas com a inovação. Os denominados sulfatos múltiplos integrativos e os fertilizantes reativos vitrominerais fosfo-potássicos serão fontes multinutrientes, ambos com aplicação via solo com liberação controlada e de eficiência agronômica aumentada, para maximização da fertilização do sistema solo-planta.

Segundo Eduardo Silva e Silva, diretor técnico da empresa, os projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) pretendem diminuir a dependência da agricultura brasileira por fertilizantes importados, que atualmente é de mais de 70%, conforme dados recentes da Associação Nacional para a Difusão de Adubos (Anda).

“O uso de fertilizantes reativos fontes de P e K, obtidos industrialmente pela transformação híbrida de minerais nacionais com potencial agronômico, via processos físicos, químicos e térmicos, traduz-se em uma excelente estratégia de substituição e/ou redução de fertilizantes produzidos no exterior. Investimentos em tecnologias eficientes e sustentáveis de bioinsumos são fundamentais para o país conseguir elevar sua produção agrícola e diminuir o cenário de incertezas no setor”, afirma o especialista em solos.

Os novos projetos devem incrementar o portfólio da Maxisolo/SulGesso, que é focado em soluções tecnológicas e inovadoras e apresenta uma linha completa de fertilizantes granulados e briquetados, voltada para a nutrição, condicionamento e fertilidade do solo, com aplicabilidade em todas as culturas agrícolas. Com sede em Imbituba (SC), a empresa tem 46 anos de atuação no mercado – 23 anos no agro – e está em constante busca pela inovação. 

Finep selecionou os projetos através de editais

Segundo Matheus Mattos, gerente de PD&I, os projetos foram selecionados em concorridos editais da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), que é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. A MaxiSolo foi a única empresa do país com três propostas aprovadas e participa com cerca de 40% do valor do projeto com recursos próprios, como contrapartida financeira.

“Conseguimos nos diferenciar em meio às quase 200 propostas de todo o Brasil que foram apresentadas. Nossos projetos se mostraram bem consistentes e inovadores”. Mattos relata, ainda, que eles estão alinhados com o Plano Nacional de Fertilizantes (PNF 2050), ação do Governo Federal que visa diminuir a atual dependência do produtor rural brasileiro em relação aos fertilizantes importados e aumentar a produção nacional até o ano de 2050.

A exemplo de desenvolvimentos anteriores de novas tecnologias, estão previstas parcerias com centros de pesquisa para atuarem como prestadores de serviços especializados. “Nossa estratégia consiste em manter uma estrutura técnica de altíssimo nível, com profissionais de mestrado, doutorado e pós-doutorado, junto a institutos de ciência e tecnologias (ICTs) e universidades”, reforça o gerente de PD&I.

ASCOM Maxisolo

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

O estudo indicou que a conectividade no agro, que antes era uma novidade, agora se tornou uma tendência emergente.
Agrônomo diz que é necessário ação humana eficaz para que os resultados sejam satisfatórios.
Para um mercado desse tamanho ainda temos muito espaço para o desenvolvimento de soluções que façam sentido à realidade brasileira.