Search
Close this search box.

Faec elabora plano para fomentar polos cotonicultura no Ceará

7 de março de 2024

Segundo presidente da Federação, a meta é fazer com que o Ceará retome a liderança na produção de algodão
Compartilhe no WhatsApp
Faec elabora plano para fomentar polos cotonicultura no Ceará

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec) prepara um plano para ampliar a produção de algodão no Ceará. Na última segunda-feira (26), o presidente da Faec, Amílcar Silveira, se reuniu com produtores da região da Chapada do Apodi, em Limoeiro do Norte, para tratar do desenvolvimento da atividade em outras áreas do Estado.

A ideia, segundo o presidente da Faec, é criar polos de cotonicultura no Sertão Central e no Cariri. Hoje, a Chapada do Apodi produz algodão de fibra longa, com tecnologia desenvolvida pela Embrapa. “Estamos trabalhando para que o Ceará retome sua condição de liderança na produção do algodão brasileiro”, diz Amílcar Silveira. “É uma meta ousada, mas só a ousadia nos permitirá alcançá-la”.

“O algodão foi feito para ser cultivado no Ceará, que tem o melhor índice de luminosidade do País, além de um solo que, com o tratamento das novas e modernas tecnologias, produz o que for plantado”, diz o presidente da Faec.

A expectativa é de que a chapada do Apodi, que hoje concentra um polo de fruticultura e de pecuária leiteira, se torne também em um grande polo de produção de algodão.

O município de Quixadá iniciou, em fevereiro, um programa para resgatar a cultura algodoeira na região. Foram fornecidas sementes de algodão a 40 produtores rurais do município. Para 2025, a expectativa é de que mais de 100 agricultores recebam o insumo.

Por Notícias Agrícolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Estado é o maior produtor da região Norte
Número de empregados no setor atinge maior patamar desde 2012; informação é do boletim sobre o Mercado de Trabalho do Agronegócio em Goiás
Descubra como a GENEX Brasil está comprometida com o desenvolvimento da pecuária brasileira através do programa “Encontros que Conectam”, focado no aprimoramento da pecuária de cria e destacando a liderança feminina no setor.