Exportações do agro crescem 16% em divisas e 6% em volume

Com faturamento de US$ 36 bilhões no 1º quadrimestre deste ano o setor vem mostrando sua força e importância para a economia brasileira
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Exportações do agro crescem 16% em divisas e 6% em volume
Áudio

Depois de atingirem recordes em volume e faturamento em 2020, as exportações brasileiras do agronegócio seguem em ritmo intenso em 2021. De janeiro a abril de 2021, o volume exportado pelo agronegócio nacional cresceu 6% frente ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia AplicadaCepea, da Esalq/USP, realizadas com base em dados da Secex. 

Quanto ao faturamento, atingiu US$ 36 bilhões no primeiro quadrimestre deste ano, aumento de 16% em relação ao do mesmo período de 2020. Como resultado, de janeiro a abril, as exportações do agronegócio representaram 51% das vendas externas totais brasileiras. 

Segundo pesquisadores do Cepea, esse bom resultado está atrelado, além da demanda externa aquecida, aos preços em alta no mercado internacional – houve avanço de 10% no primeiro quadrimestre deste ano frente ao mesmo período de 2020. 

Destinos 

A China se mantém como parceira comercial mais importante do agronegócio brasileiro, sendo destino de quase 38% de todo valor em dólar gerado pelo setor nos quatro primeiros meses de 2021. Os países que compõem a Zona do Euro continuam com a segunda posição, com participação de quase 15%, e os Estados Unidos, a terceira, com 6,4%. 

O principal produto da pauta de compras da China continua sendo a soja em grão, ficando com mais de 70% do produto exportado pelo Brasil no primeiro quadrimestre de 2021. 

O país asiático também se consolidou como o principal comprador das carnes brasileiras, absorvendo 54% da proteína bovina, 57% da suína e 18% da de frango. 

Os chineses ainda foram destino de 20% das exportações de algodão em pluma, 43% da celulose e 52% do óleo de soja. 

O comportamento do câmbio deve ser o fator mais importante na tomada de decisão do exportador nos próximos meses. Se, por um lado, a recuperação econômica nos países desenvolvidos tem se mostrado cada vez mais firme diante da aceleração na vacinação da população, no Brasil, ainda há dúvidas em relação a essa retomada. Além disso, as crises internas, sanitária, econômica e política devem influenciar o preço do dólar ao longo do ano. 

Desempenho das Exportações do Agronegócio – CEPEA – 
  mai20-abr21/mai19-abr20  jan-abr21/jan-abr20  abr21/abr20 
Volume  11%  6%  10% 
Preço em dólar  -1%  10%  17% 
Faturamento em dólar  10%  18%  29% 
Índice câmbio Agro  9%  -5%  -17% 
Preço em Real (Atratividade)  8%  4%  -2% 
Faturamento em Real  20%  9%  8% 

Fonte: Cepea 
Crédito da foto: Divulgação

Leia outras notícias no portal MAB

 

Relacionadas

Veja também

Linhas de financiamento para investimento foram as mais procuradas no período com alta de 50%, em comparação com o plano safra anterior.
O programa tem como premissa um modelo de exploração sustentável, com respeito ao solo
Medida foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional e é importante para financiar projetos do agronegócio
Esse prêmio é um dos mais prestigiosos do mundo para o assunto de proteção de cultivos, das safras e também de agricultura digital