Search
Close this search box.

Exportações do agro mineiro alcançam US$ 1,8 bilhão no primeiro bimestre do ano

23 de março de 2023

Os produtos agropecuários responderam por 34% dos embarques do Estado no período
Compartilhe no WhatsApp
Exportações do agro mineiro alcançam US$ 1,8 bilhão no primeiro bimestre do ano

As exportações do agronegócio mineiro totalizaram US$ 1,8 bilhão no acumulado de janeiro e fevereiro deste ano, com o embarque de 1,4 milhão de toneladas. O valor registrado no bimestre é o segundo melhor resultado da série histórica, realizada desde 1997, atrás apenas do valor de US$ 1,9 bilhão apurado no primeiro bimestre de 2022.  

Contabilizando somente o mês de fevereiro, o valor das exportações foi de US$ 761,8 milhões com o embarque de 644 mil toneladas, registrando redução de 24% no valor e 6% no volume, na comparação com o mesmo mês do ano passado, puxado pela queda no preço das commodities. 

Nos dois primeiros meses do ano, os produtos agropecuários representaram 34% das vendas de Minas Gerais ao mercado internacional. Dos dez principais grupos de produtos embarcados, a metade foi do agro (café, produtos florestais, carnes, complexo soja e complexo sucroalcooleiro). 

Mesmo com o crescimento de 8,1% do volume exportado no bimestre, a receita registrou queda de 8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Na avaliação do Superintendente de Inovação e Economia Agropecuária da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Feliciano Nogueira de Oliveira, a retração do preço médio pago pelas commodities em fevereiro influenciou o resultado do bimestre. “Os preços registraram queda em torno de 14%, puxados, principalmente, pelo arrefecimento nas vendas de café. Como se trata do principal item da pauta exportadora do agro mineiro, essa queda influenciou o resultado geral das vendas”, analisa. 

Mercados 

Os produtos foram enviados para 145 países. Os principais destinos foram China (22%), Estados Unidos (13%), Alemanha (11%), Itália (6%) e Países Baixos (5%). A pauta foi liderada pelas vendas de café, que responderam por 49,6% do valor exportado, produtos florestais (11,5%), carnes (11,4%), complexo soja (11,2%) e complexo sucroalcooleiro (10,9%). 

Café 

Líder das exportações do setor agropecuário mineiro, o café alcançou a receita de US$ 869 milhões nos dois primeiros meses do ano, com o embarque de 3,9 milhões de sacas. Os dados apontam queda de 28,3% na receita e de 26,2% no volume. Além dos preços menos atrativos que reduziram os embarques, o período de entressafra e as intempéries climáticas também influenciaram na queda.  

Os principais destinos do café mineiro, no bimestre, foram Estados Unidos (US$ 183 milhões), Alemanha (US$ 169 milhões), Itália (US$ 72 milhões), Bélgica (US$ 58 milhões) e Japão (US$ 36 milhões).  

Produtos florestais 

As exportações de produtos florestais (celulose, papel e borracha) somaram US$ 202 milhões e 252 milhões de toneladas embarcadas e seguem batendo recorde. O bom período das vendas de produtos florestais vem atrelado, principalmente, pela boa performance das exportações de celulose, principal produto do segmento. A China é a principal importadora de celulose e se destacou na aquisição deste produto. 

 Carnes 

As vendas externas de carnes somaram US$ 200 milhões, com o embarque de 59 mil toneladas. O destaque são as vendas das carnes de frango que registram US$ 55 milhões, com aumento de 25% na receita e 6% no volume. Os principais mercados foram a China, Emirados Árabes e Hong Kong. 

As carnes suínas também vêm apresentando boa performance, com receita de US$ 5,3 milhões e 2,5 mil toneladas, com acréscimo de 3,5% no valor e recuo de 1,1% no volume. 

O segmento das carnes bovinas também foi impactado pela redução dos preços. As vendas atingiram US$ 3 milhões e 29 mil toneladas, com queda de 12% no valor e 1% no volume no bimestre de janeiro e fevereiro. Por outro lado, houve crescimento das compras no mês de fevereiro de importantes parceiros comerciais como Arábia Saudita (20%), Emirados árabes Unidos (801%) e Chile (124%). 

Complexo Soja 

O complexo soja (grãos, farelo e óleo) obteve receita de US$ 195,7 milhões (+11%) e 318 mil toneladas (+0,3%). A expectativa é de aumento nos preços da commodity já que o cenário atual ainda é de atraso da colheita e escoamento, o que deverá ser revertido nos meses seguintes. A China segue como principal cliente dos grãos de soja, com participação de 72% das compras. 

Complexo Sucroalcooleiro 

O complexo sucroalcooleiro (açúcar, álcool e demais açucares) obteve receita de US$ 190 milhões e 414 mil toneladas. Tradicionalmente, o açúcar é o segmento mais comercializado, representando 82% das vendas. Arábia Saudita, Marrocos e China foram os principais parceiros comerciais, todos com destaque no aumento das compras em 684%, 153% e 197%, respectivamente.  

Por Notícias Agrícolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Em 2022, quando a Guerra na Ucrânia começou, houve um salto de 188% nas exportações de fertilizantes de Israel ao Brasil
Para Arnaldo Jardim, tendência é a ampliação das possibilidades do produto
Esse fenômeno tem gerado impactos positivos no desenvolvimento de municípios do Piauí que, anteriormente, apresentavam indicadores econômicos mais modestos, transformando suas realidades.
Ambiente de negócios aponta para encurtamento das escalas de abate, o que pode levar ao maior apetite de compra