Search
Close this search box.

Exportação de café verde do Brasil salta 60,8%, recorde para abril

15 de maio de 2024

Os embarques de café verde e industrializado atingiram em abril a maior receita cambial já registrada pelo país em qualquer mês
Compartilhe no WhatsApp
Exportação de café verde do Brasil salta 60,8%

As exportações de café verde do Brasil bateram recorde para meses de abril, somando 3,9 milhões de sacas de 60 kg no mês passado, com alta de 60,8% na comparação com o mesmo período de 2023, à medida que o país conta com boa oferta, preços favoráveis e demanda internacional firme, avaliou nesta segunda-feira (13) o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil).

Considerando os embarques de café industrializado, notadamente solúvel, o Brasil exportou um total de 4,22 milhões de sacas (53,3%), volume também recorde para o mês, superando o desempenho de abril de 2021.

Os embarques de café verde e industrializado atingiram em abril a maior receita cambial já registrada pelo país em qualquer mês, com 935,3 milhões de dólares, afirmou o Cecafé em nota, citando também os preços em abril.

O presidente do Cecafé, Márcio Ferreira, ressaltou que “as volumosas” exportações foram puxadas pelos cafés in natura, principalmente os canéforas (conilon e robusta), que também batem recordes, à medida que o Brasil vem ocupando espaços deixados pela menor oferta de Vietnã e Indonésia.

“Esse desempenho é possível devido à recuperação da colheita em 2023 (do Brasil), o que possibilita que os embarques de arábica tenham volumes consideráveis e, em especial, que os de conilon e robusta apresentem performances históricas”, disse Ferreira.

Os embarques de arábica aumentaram 40% ante abril de 2023, para 3,22 milhões de sacas, enquanto os de canéforas dispararam 444,8%, para 676,7 mil sacas.

As exportações de café vêm sido fortes neste ano. Em março já tinham sido as maiores para o mês na história, somando ao todo 4,29 milhões de sacas, marcando um recorde também registrado para um primeiro trimestre.

Com isso, as exportações brasileiras de café também são recorde no primeiro quadrimestre deste ano, ao atingirem 16,24 milhões de sacas, alta de 45,6% na comparação anual. O faturamento no período somou 3,44 bilhões de dólares, também o maior montante para os quatro primeiros meses.

A máxima histórica na receita cambial obtida com as exportações no primeiro quadrimestre também aconteceu por preços favoráveis. “As bolsas internacionais dispararam em abril, potencializando o valor dos embarques como um todo e, claro, do Brasil. Isso foi importante para mitigar os elevados custos nas operações dos exportadores brasileiros…”, comentou.

A performance foi alcançada apesar de o Cecafé ter registrado, somente em abril, atrasos ou alteração na escala em 95 navios na exportação de café pelo porto de Santos, o que eleva custos.

Ferreira lembrou ainda que o desempenho dos canéforas segue sendo reflexo do cenário internacional do mercado, com disponibilidade menor do café robusta indonésio e vietnamita, “espaço que foi ocupado pelo Brasil”.

“Outros países produtores, inclusive, vêm importando cafés brasileiros para atenderem seus compromissos de consumo e reexportação, como México, Colômbia, Vietnã e Indonésia. Os mexicanos, por exemplo, voltaram a ampliar as importações do nosso café verde, principalmente de canéforas, para utilização da matéria-prima em sua planta fabril de solúvel”, disse.

Por Forbes

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Mestre de torra da Mokado Lab de Cafés, da capital federal, supera 23 concorrentes e representará o Brasil no mundial da categoria, em Copenhagen, na Dinamarca
Rio grande do Sul havia colhido grande parte de sua produção de arroz antes das inundações
Este atraso da colheita pode ser atribuído a diversas condições climáticas adversas, especialmente no estado do Rio Grande do Sul.
Investimento em usina foi possível devido ao financiamento do Sicoob