Search
Close this search box.

Desafios e Triunfos na pecuária de corte em 2023

6 de janeiro de 2024

Na pecuária, produção e exportação de boi foram destaque na retrospectiva de 2023
Compartilhe no WhatsApp
Desafios e Triunfos na pecuária de corte em 2023

A pecuária de corte brasileira experimentou um ano de altos e baixos, influenciada por uma série de fatores que moldaram o mercado da pecuária. Desde questões sanitárias até desafios climáticos, cada elemento desempenhou um papel crucial na cadeia produtiva.

No início de fevereiro, o boi gordo surpreendeu, atingindo valores superiores a R$ 300 por arroba. No entanto, até o final de agosto, esse cenário havia se invertido drasticamente, com os preços despencando para menos de R$ 200 por arroba. O mercado, porém está encerrando o ano com uma recuperação notável e preços em torno dos R$ 250 por arroba.

No último ano, Mato Grosso experimentou a fase de baixa mais intensa da história da agropecuária. Uma queda significativa nos preços do boi gordo desafiou os produtores, marcando um período de ajustes e reestruturação. As adversidades enfrentadas em 2023 lançam as bases para a tão esperada transição que se desenha em 2024.

Vaca Louca e os Desafios Internacionais: Uma Reviravolta no Comércio com a China

O ponto de inflexão em 2023 foi o episódio isolado (clique aqui para ver sobre) da “vaca louca” em fevereiro, resultando na suspensão temporária das exportações de carne para a China. Apesar desse contratempo, a nação asiática consolidou-se como o maior importador da carne bovina brasileira ao longo do ano. A superação desses desafios evidencia a robustez do setor agropecuário nacional.

Brasil no Topo das Exportações de Carne Bovina

Impulsionadas por uma demanda externa aquecida, as exportações de carne bovina alcançaram patamares significativos em 2023. O mercado internacional foi essencial para absorver o excedente de oferta no Brasil, conforme dados do IBGE indicam que o abate de animais foi o mais expressivo desde 2014, de janeiro à setembro.

Perspectivas para 2024: Inovação e Sustentabilidade no Agronegócio

À medida que nos despedimos de 2023, o agro brasileiro se projeta para um novo ano com otimismo. Inovação e sustentabilidade emergem como pilares fundamentais para enfrentar desafios futuros e posicionar o país como líder global.

A transição do ciclo da pecuária em 2024 promete ser importante para o setor, especialmente no estado de Mato Grosso (maior produtor de bovinos). Após uma fase de baixa intensa em 2023, a expectativa é que o próximo ano traga consigo um avanço nos preços do boi gordo, impulsionada por nuances peculiares do ciclo.

Em um cenário de complexidades, o agronegócio brasileiro demonstrou sua capacidade de adaptação. 2023 será lembrado como um ano de desafios superados, com a pecuária de corte fortalecida e pronta para enfrentar os ventos da mudança que poderão vir no ano de 2024.

Mato Grosso, o maior celeiro de grãos do mundo está em apuros! previsão de 20% de quebra na próxima safra

Além de uma quebra prevista em 20% na produção de soja em Mato Grosso, a próxima safra de milho (safrinha), que é plantada em seguida, também deve encolher 24,6%.

Clima e adversidades em Mato Grosso

Parece que a terra do agronegócio Brasileiro, Mato Grosso, está enfrentando um golpe devastador da mãe natureza. E, meus amigos, não é um drama leve. Preparem-se para uma reviravolta sem precedentes, porque o El Niño decidiu mudar o tom climático e desafiar os agricultores desta região tão importante para o país.

Ao contrário dos anos de glória sob o comando do La Niña, que trouxe colheitas recordes por três anos consecutivos, o El Niño resolveu desafiar o status quo. temperaturas elevadas e chuvas escassas transformaram o cenário agrícola, levando a atrasos no plantio e obrigando os agricultores a replantar a soja – mais de uma vez. As perdas estimadas já atingem a marca assustadora de 20%.

Por Agronews

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Somado à complexa conjuntura global, o recuo das importações chinesas de leite tem mantido os preços internacionais estáveis, mas abaixo da média histórica.
Ambiente de negócios aponta para encurtamento das escalas de abate, o que pode levar ao maior apetite de compra
Pelo decreto, laticínios ou cooperativas que comprarem leite no Brasil poderão ser beneficiadas com até 50% de créditos presumidos.
Serviços serão disponibilizados aos produtores que participam dos projetos de monitoramento da qualidade dos Queijos Artesanais