“Desafio da Pecuária Responsável” têm o apoio de 100 empresas

Aumento de produtividade está ligado diretamente com o bem-estar bovino e o pecuarista pode ganhar dinheiro apresentando o melhor manejo da fazenda.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
“Desafio da Pecuária Responsável” têm o apoio de 100 empresas
As inscrições poderão ser feitas no site pecuariaresponsavel.com até o dia 15 de outubro e não têm limite de inscritos – Foto: Mundo Agro Brasil – MAB/Ivaris Júnior
Áudio

No Giro do Boi desta quarta-feira, 22, programa levado ao ar pelo Canal Rural, o zootecnista e diretor global de marketing da Phibro Saúde Animal, Danilo Grandini, apresentou mais detalhes sobre a maior campanha de bem-estar animal já deflagrada no Brasil. Trata-se do “Desafio da Pecuária Responsável”, encabeçada pela companhia e que conta com o apoio institucional de quase 100 empresas ligadas ao setor pecuário, entre elas a Consultoria BE.Animal, a Friboi e a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC), esta última que reúne 39 empresas frigoríficas, responsáveis pela exportação de 97% da carne bovina nacional.

Este desafio é a primeira grande ação da Phibro sobre manejo racional das fazendas brasileiras. O pecuarista poderá enviar fotos, vídeos e relatórios dos impactos positivos obtidos com a implementação das práticas na propriedade e os dez melhores projetos serão acompanhados por técnicos por quase um ano para verificação de suas eficácias. Desses, os três mais bem pontuados irão para júri popular onde os produtores escolherão o melhor. O vencedor receberá como prêmio R$ 15 mil e, se for cliente/fornecedor da Friboi, o valor é dobrado.

“As inscrições poderão ser feitas no site pecuariaresponsavel.com até o dia 15 de outubro e não têm limite de inscritos”, disse Grandini, salientando que esta iniciativa da empresa é por causa das exigências mercadológicas e dos benefícios em produtividade que os fazendeiros terão ao introduzirem técnicas de BEA nas propriedades. “EUA e Europa já exigem carne de fazendas que respeitam os animais. Na Austrália, por exemplo, quem maltrata gado e for pego transportando animal com chifre curvado que machuca a cara do gado, é multado em US$ 25 mil e pode pegar 15 anos de prisão. “O pecuarista brasileiro precisa saber das leis em outros países que são duras para quem não respeita o gado”, finalizou.

Fonte: Canal Rural
Foto: Mundo Agro Brasil – MAB/Ivaris Júnior

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Canchim, a raça sintética proveniente do Charolês (francês) e do Nelore (brasileiro) integra banco de dados do Promebo.
Já no parto, o coto umbilical precisa cicatrizar de forma correta para evitar problemas futuros aos animais e prejuízos ao pecuarista.
Em tempos onde o preço da produção do leite sobe menos que os custos, nutrição de qualidade e assistência técnica ajudam a manter alta produtividade
Entre tantas,mais uma pesquisa comprova que ingerir mais “ouro branco”, a gordura láctea, oferece menor risco de doenças cardíacas.