Cultivo da banana apoia a agricultura familiar

Emater-MG incentiva a produção de banana orgânica em Sabará, município da Região Metropolitana de Belo Horizonte e ajuda famílias a se manterem na terra.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Cultivo da banana apoia a agricultura familiar
A cultura é tão importante no lugar que o distrito realiza todos os anos o famoso Festival da Banana de Ravena, atraindo cerca de dois mil visitantes.
Áudio

O distrito de Ravena, no município de Sabará, Região Metropolitana de Belo Horizonte, sempre se destacou pela produção de banana e, há décadas, a tradição do cultivo da fruta é passada de pai para filho. A cultura é tão importante no lugar que o distrito realiza todos os anos o famoso Festival da Banana de Ravena, que chega a atrair cerca de dois mil visitantes para o pequeno lugarejo.

Mas a produção familiar tem sentido a pressão da concorrência dos grandes empreendimentos, que conseguem produzir com custos menores. Para não deixar que a atividade desapareça em Ravena, a Emater-MG formou um grupo de agricultores e está orientando eles na migração do sistema tradicional para o orgânico, que remunera melhor o produtor.

O primeiro produtor a receber o certificado de orgânico foi Paulo César Néris da Costa. Ele vem de uma família com tradição no cultivo da banana no distrito de Ravena. O produtor planta banana em nove hectares, das variedades prata, maçã, ouro e caturra. Ele já produzia no modo agroecológico e, com a ajuda da Emater-MG, resolveu investir no modelo de produção orgânica certificada.

“O processo de certificação trouxe vários desafios. Não é simplesmente produzir banana orgânica, tem todo um cuidado com o meio ambiente com a preservação do solo. Para mim, trabalhar em busca da certificação, não é só para produzir uma banana de qualidade, é buscar uma melhor remuneração no mercado e trabalhar por melhores condições de vida, visando sobretudo a busca de um produto saudável, ambientalmente correto e economicamente justo” diz o produtor.

O selo de orgânico é concedido pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento (IBD). Esse selo significa que o produto é cultivado sem substâncias químicas nem transgênicas e está em conformidade com as leis sanitárias, ambientais, trabalhistas e nacionais.

De acordo com a técnica da Emater-MG, Shelen Mainente de Souza, foi formado inicialmente um grupo com seis agricultores que receberam assistência técnica da Emater. Além disso, eles tiveram apoio da prefeitura, pois a cultura da banana no distrito de Ravena, não tem só valor comercial, mas também tem um valor histórico, pois é uma cultura agrícola plantada há muitos anos e a cultura passa de pai para filho.

“Devido à baixa remuneração da atividade muitos agricultores foram desanimando, mas com a mudança para orgânico a cultura se torna mais rentável”, explica. Com a produção de banana orgânica certificada em Ravena, a caixa de 18 a 20 quilos está sendo vendida entre R$ 90 e R$ 120. Antes, os valores estavam entre R$ 50 e R$70.7

Produção

Banana

O município de Sabará tem 154 hectares plantados de banana, sendo 102 hectares do tipo prata e o restante da variedade nanica. Agora no mês de dezembro, algumas plantações tiveram perdas por causa da chuva de granizo. A produção anual do município é de 1,3 mil toneladas da fruta, sendo a agricultura familiar responsável por 83% da safra, segundo dados da Emater-MG.

“A prefeitura tem se preocupado em fortalecer as ações do projeto para que os produtores possam desenvolver o melhor trabalho possível, sempre respeitando o meio ambiente e assim fortalecendo a cultura local e o turismo”, salienta o secretário de Cultura e Turismo de Sabará, André Gustavo Alves.

Os estados de São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina e Pará são responsáveis por 60% da produção nacional de banana. De acordo com dados da Emater-MG em Minas, a produção anual no estado é de 887 mil toneladas.

Fonte: Emater-MG/Raquel Paes e Flávia Freitas

Crédito: Divulgação Emater-MG

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Com a procura internacional crescente, o clima favorável para a produtividade, a qualidade dos produtos e os novos mercados crescem as vendas externas da fruticultura brasileira
Um novo levantamento divulgado pela Emater-MG mostra que milho, feijão e hortaliças foram as culturas mais afetadas pelo excesso de chuvas. As perdas são grandes
Embrapa lança edital para viveiristas interessados em produzir mudas e sementes de amendoim forrageiro. Trata-se de uma oportunidade dos agricultores diversificarem produtos
Desempenho no ano passado representa uma evolução de 10,3% em receita cambial, na comparação com 2020. Já no montante de quedas houve queda importante e esperada