Search
Close this search box.

Conheça o confinamento de 44.000 bois que é sucesso no coração de Goiás

9 de setembro de 2023

Uma das maiores operações pecuárias do país, o Confinamento da Fazenda Santa Fé, é um ícone do agronegócio brasileiro e seu pioneirismo é sucesso no coração de Goiás
Compartilhe no WhatsApp
Conheça o confinamento de 44.000 bois que é sucesso no coração de Goiás

No coração de Goiás, mais especificamente em Santa Helena de Goiás, encontra-se a Fazenda Santa Fé, um verdadeiro ícone da agropecuária brasileira. Sob atual administração do empresário Pedro Merola, essa fazenda tem conquistado destaque por seus resultados impressionantes no setor de criação de gado e agricultura. Neste artigo, vamos explorar um pouco da história, as práticas inovadoras e a contribuição da Fazenda para o desenvolvimento do agronegócio no Brasil. Conheça o confinamento gigante que é sucesso no coração de Goiás!

A Santa Fé foi adquirida em 1933 pelo seu bisavô, Misael Rodrigues de Castro. Em 1950, foi a vez do avô, Francisco Merola Neto, assumir a fazenda. No final da década de 1970, o bastão foi passado para seu pai, Ricardo Merola, que administrou a empresa até 2012. Neste momento a chave girou com uma sucessão familiar que é exemplo para o setor, foi o que aconteceu na família Merola, mais especificamente na quarta geração à frente dos negócios. Filho único, Pedro Merola cresceu superando os desafios apresentados pelo pai, Ricardo de Castro Merola, considerado um dos maiores empreendedores do agronegócio brasileiro e pioneiro no uso de várias tecnologias.

Nasci em São Paulo, mas fui criado na fazenda. Meu pai sempre me incentivou a ter meu negócio. Quando tinha 10 anos, ele me orientou a usar o dinheiro que eu tinha na poupança para comprar boi, pois era um investimento muito mais lucrativo. Aos 12 anos, já trabalhava na fazenda no período das férias e recebia salário.

Fiz todo tipo de serviço, desde os mais simples, como gradear a terra, levar peças até a supervisão no confinamento e negociar com clientes em outro estado. Isso me ajudou a conhecer melhor todo o processo de produção da fazenda e a aprimorá-lo”, conta Pedro, hoje à frente dos negócios. Entretanto, a decisão de entregar a administração da Santa Fé ao filho Pedro não foi unilateral. A sucessão aconteceu no momento em que os dois se sentiram preparados para finalizar a transição.

História da Fazenda Santa Fé A história da Fazenda Santa Fé remonta há décadas atrás, mais precisamente, há 80 anos, quando foi comprada por Mizael Rodrigues de Castro. O território traz em si o legado de 4 gerações, cada uma com as suas próprias especificidades, com uma contribuição genuína pelo campo e por tudo aquilo o que o agronegócio pode proporcionar.

A fazenda ganhou notoriedade nacional por ser uma das pioneiras na adoção do sistema de integração entre a agricultura e pecuária. Esse sistema revolucionário combina o sucesso da produção agrícola com a criação de gado, proporcionando um grande êxito nas operações feitas. Confinamento de 44.000 bois que é sucesso no coração de Goiás

A Fazenda Santa Fé é um dos maiores confinamentos da América Latina em volume de bois terminados no modelo de engorda terceirizada. Com capacidade estática para 44.000 cabeças confinadas, em 2021 a fazenda engordou 74.000 bovinos. A estrutura é enxuta e prática, com capacidade de armazenamento de 440 mil sacos de milho ou sorgo. Ali são produzidas cerca de 40 toneladas de ração/hora, distribuída por três caminhões no sistema Total Mix ao longo dos quase 12 km de cocho e em 244 currais de engorda. Podem ser alojados 180 animais por baia na época da seca e 90 animais nos meses chuvosos.

Confinamento Fazenda Santa Fé

O confinamento na Fazenda Santa Fé, do empresário Pedro Merola, cresce ano a ano. Confinou 51.262 animais em 2022 e projeta 65.000 para 2023. Além de animais próprios, o confinamento oferece engorda em sistema de boitel, a preço fixo ou diária, com auxílio e/ou execução de operações de hedge. O principal diferencial da operação são as balanças de precisão para o monitoramento de peso em tempo real, que começaram a ser instaladas em 2017 e hoje somam mais de 210 unidades, uma por piquete. Todo dia, cada animal é pesado oito vezes nesse sistema. A Santa Fé é nacionalmente conhecida por ter sido o “berço” do sistema de integração lavoura pecuária que leva seu nome.

À medida que o gado dos parceiros, como eles chamam os clientes, vai chegando, passa por identificação e rastreamento, pesagem, aplicação de vacinas preventivas e de vermífugos. Com esses cuidados sanitários e de manejo, a taxa de mortalidade do Confinamento Santa Fé situa-se abaixo de 0,3%, um bom índice para um confinamento comercial que recebe animais de diferentes origens e condições de manejo, atestando a saúde  e o bem-estar dos animais durante a fase de engorda.

Desde a entrada no confinamento até o 10º dia de cocho, os animais recebem uma dieta de adaptação para evitar distúrbios metabólicos e minimizar a taxa de refugo de cocho. Após o período de adaptação, são transferidos para os currais de engorda, onde recebem a dieta de terminação até o momento do abate. Desde o início, os animais recebem uma dieta balanceada específica para cada fase, composta por silagem de milho como principal fonte volumosa, sorgo moído, WDG ou DDG (coprodutos da produção de etanol de milho ou sorgo), caroço de algodão, melaço de soja, ureia e núcleo mineral.

A frequência de tratos diários varia de 6 a 8 vezes, sendo ajustado diariamente conforme leitura de cocho, evitando-se, assim, cochos vazios ou demasiadamente cheios, ofertando sempre um alimento fresco e em quantidade adequada. Além do monitoramento de cocho via leitura diária, a fazenda conta com um sistema automatizado de fornecimento com descarga programada e coleta simultânea da quantidade de alimento fornecido e individualizado por curral.

Alta produtividade na agricultura Além do impressionante complexo na criação de gado, a Fazenda Santa Fé também se destaca por suas importações agrícolas. Com uma vasta extensão de terras, a fazenda cultiva nada menos que 8.500 hectares de terra a cada ano, sendo 440.000 sacas de capacidade de silo. A área irrigada consta com 2.200 hectares e 24 pivôs de irrigação. Entre os insumos produzidos estão o milho (semente – silagem – grão), feijão, tomate (indústria) e sorgo (grão). Essa extensão de terra cultivada é essencial para a produção de alimentos e forragem de alta qualidade para os rebanhos.

Muito mais que uma trajetória de sucesso, a Fazenda Santa Fé é um concreto exemplo da importância do agronegócio e da capacidade de transformação do campo brasileiro. À medida que a fazenda continua a escrever sua história, podemos esperar mais conquistas notáveis ​​e contribuições engrandecedoras para o setor pecuário e agrícola do país.

Por Compre Rural

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

42 ª Exposição Internacional do Cavalo Puro Sangue Lusitano acontece de 20 de maio a 02 de junho no Parque da Água Branca
O aumento do uso de coprodutos representa uma solução sustentável para a destinação de resíduos
São Paulo enfrenta desafios ainda maiores devido aos altos custos para o setor produtivo do leite e por ser o maior mercado consumidor do país.
Volume alcançou em 178,8 mil toneladas até a quarta semana, sendo que no ano anterior foram exportadas 168,4 mil toneladas