O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Como serão as feiras agropecuárias em 2021?

Apenas para fazer uma reflexão, organizadores de eventos no Brasil ainda não sabem muito bem como agir ou reagir a essa questão: Como serão as feiras agropecuárias neste ano de 2021
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Agrishow – Ribeirão Preto -SP
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

Editorial MAB Janeiro 2021

Apenas para fazer uma reflexão, organizadores de eventos no Brasil ainda não sabem muito bem como agir ou reagir a essa questão: Como serão as feiras agropecuárias neste ano de 2021? Uma coisa é verdade, nada será como antes, pelo menos por enquanto. Quem participava com frequência dessas feiras sabe dizer o quanto se movimentava o setor com a realização de tais eventos. Evento presencial – Nossa, acho que a maioria das pessoas não pensou que isso fosse tão forte e quão necessário é. O mundo digital é, sem dúvida, bastante eficaz e, em certos aspectos, hoje, imprescindível. Contudo, não preenche algumas lacunas, não substitui o olho no olho na hora de uma entrevista, nem tampouco descortina aquela grandeza de oportunidades de negócios feitos ali, no calor do momento. Digo isso, porque o agronegócio é bem mais que ‘negócio’, que ‘mercado’, ele é movido por gente, por pessoas que querem se encontrar, se relacionar. Produtores, criadores, fornecedores, expositores, investidores, diretores e equipes de entidades, apoiadores e admiradores querem sim estar presentes num mesmo ambiente, nem que seja apenas uma vez por ano.

Enfim, acompanhamos o ano de 2020 com as notícias de exposições e feiras por lives, vídeos, posts, palestras, tudo na telinha do celular e do computador. Trabalho dobrado para os profissionais de comunicação do agronegócio, com suas infinitas reuniões online, ansiedade redobrada de produtores rurais, empresários, todos querendo mostrar que não haviam paralisado suas atividades e que a vontade de produzir estava cada vez maior forte.  Bom, esse é o lado positivo, a face que mostrou a união das pessoas diante de uma pandemia que pegou a todos de surpresa, exigindo mudanças de rotinas.

É bem verdade que algumas associações vêm mantendo suas programações de exposições para 2021, seguindo protocolos de segurança e promovendo muitas adaptações, mas a presença do público ainda é algo a ser discutido neste ano. E é nesse ponto que entra a questão do investidor, aquele que expõe sua marca e seus produtos, e conta com a visitação de um público potencialmente consumidor de seus produtos. Estamos diante de um fator diferencial na esfera mercadológica ou seria apenas um período de mudanças estratégicas? De qualquer maneira, algo mudou, e com isso se desencadeiam efeitos que poderemos analisar mais para frente.

Recentemente, a Massey Ferguson e Valtra, indústrias de máquinas da multinacional AGCO, comunicaram que não irão participar das feiras agropecuárias neste ano na América do Sul. A justificativa é a pandemia. Segundo o grupo, a decisão faz parte das medidas para garantir a segurança e a saúde de colaboradores, concessionários, clientes, fornecedores e comunidade, em face à pandemia do novo coronavírus. A desistência já foi comunicada aos organizadores dos eventos no Brasil.

Além de não participar, as indústrias não vão apoiar concessionários de suas marcas que decidam estar presentes nos eventos. “Não obstante referida decisão, a AGCO entende e reconhece a importância do agronegócio brasileiro, que fornece alimentos a quase 1,2 bilhão de pessoas em todo o mundo, e seguirá trabalhando para que o país mantenha essa posição de destaque e para que o setor continue como o propulsor da economia nacional”, esclareceram.

A Copercampus cancelou Show Tecnológico 2021, programado para o período de 23 a 25 de fevereiro. As vitrines vegetais da área foram implantadas e a cooperativa manteve até 12/01 todos os procedimentos para a realização do evento, acreditando em uma redução de casos da doença. O coordenador técnico do evento destacou que a organização esteve debatendo junto aos órgãos sanitários, protocolos para a realização do evento, porém, a fim de preservar a saúde de todos, cancelar o evento foi uma atitude sensata. “Esperamos o público em 2022 para um evento ainda mais forte e que proporcione conhecimentos para mover o nosso agronegócio”, disse o coordenador.

Mesmo nutrindo o otimismo, é provável a postagem de mais cancelamentos de eventos neste ano, dando até a impressão de que 2021 seja um ano ‘sanduíche’, jogando as expectativas para 2022. Mas, vendo pelo lado do Agro, que não parou e nem vai parar, a ideia é seguir produzindo e aproveitando o lado bom das mudanças. 

Equipe do Portal Mundo Agro Brasil, trazendo o agronegócio para mais perto de você.