Líder ou chefe?

Rogério Luiz Iuspa explica as principais diferenças entre líder e chefe dentro das corporações, enfatizando, sobretudo, a importância de quem ocupa papéis de liderança se adaptarem às novas exigências do mercado.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Líder ou chefe
Enquanto o chefe exerce uma relação de poder autocrático com seus subordinados, o líder exerce uma relação de poder democrático – Foto: Divulgação

A liderança é algo que será cada vez mais importante nas corporações, e um líder é um gestor de recursos humanos além de simplesmente cumprir as tarefas e gerar os resultados esperados ou mesmo superá-los. Sabe-se hoje que as empresas dependem cada vez mais das pessoas e as pessoas necessariamente precisam representar de forma digna a empresa a que representa, e nesse processo a empresa fica refém de seus gestores para garantir a multiplicação da cultura e uniformização do discurso a campo, porém já me adianto este é o estilo moderno de liderança e precisa ser compreendido pelas corporações de qualquer tamanho. 

Me inspira escrever este artigo a quantidade de líderes que encontro pelo meu caminho profissional, digo líderes porque é o que todos dizem ser e para facilitar, vou dividir em dois grandes grupos, os líderes tipo líderes e os líderes tipo chefes. 

Um líder do tipo líder é alguém que inspira pessoas, que ajuda, que tem conhecimento de coaching que gosta de lidar com pessoas, que está lado a lado de seu liderado. É despertar nos outros a vontade de romper suas próprias barreiras, motivador, impulsionador, gera conhecimento e divide com a equipe. Muitos sabem destes tópicos, mas poucos colocam em prática. O líder deve influenciar pessoas a serem melhores e assim alcançar os objetivos estabelecidos sem que o liderado se sinta pressionado. 

Os líderes do tipo chefes são em sua maioria pessoas mais “experientes”, já tem uma vivência maior de mercado e admitem uma sistemática de trabalho de muitos, mas muitos anos atrás caso não tenha se transformado. Um líder do tipo cobrador, sem nenhum envolvimento com a equipe e muito menos com o trabalho de cada um, gerencia de uma mesa no escritório, olhando planilhas em Excel que os outros fazem (ele não sabe trabalhar com a ferramenta). É adepto ao chicote e ameaças, deixando a equipe extremamente insegura e passível de incorrer no erro da busca incessante por resultados e errar no meio do caminho, o liderado vive em estresse contínuo. O líder tipo chefe se gaba disso, gerencia pelo medo e pelo terror, suas ideias nem sempre coerentes são impostas à equipe sem mesmo conhecer o mercado onde atua, normalmente esse tipo não vai a campo, não conhece os clientes e imagina como deve ser o trabalho no campo. 

O líder tipo chefe existem aos montes, mas ninguém assume, ninguém olha para seu umbigo para ver como está fazendo seu trabalho. É mais fácil avaliar os outros do que a si próprio e é assim desde que o mundo é mundo! Porém o mundo muda, as relações empresa-colaborador mudam, o relacionamento entre líder e liderado evoluiu, inclusive, com leis que o protegem e é necessário cada vez mais se atualizar, observar o mercado, os clientes, ajustar a equipe às expectativas dos clientes, ouvir a equipe, decidir com eles e montar planos estratégicos juntos com a orientação e monitoramento do líder. 

Acredito que todos os exímios leitores se lembraram de alguém que passou na sua vida profissional que pertença a cada um desses grupos. 

Na verdade o que importa é uma convivência pacífica, com bom ambiente de trabalho, sem pressões, onde cada um da equipe sabe claramente suas funções, num ambiente de conversa franca, cortesia, transparência e objetivos claros sem estressar negativamente a equipe, estando em linha com o líder tipo líder mesmo!

E você que é líder? Faça um sincero exame de consciência e veja qual o seu estilo? Boa sorte aos líderes de boa vontade! 

Por Rogerio Luiz Iuspa, Diretor Comercial e Marketing Polinutri Nutrição e Saúde Animal

Leia mais notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Será que o frango que compramos no supermercado tem hormônio para crescimento?
Afinal, trata-se de um alimento rico em proteína, cálcio e nutrientes, proporcionando, assim, o seu consumo diversos benefícios para a saúde humana
O ovo é nutritivo, fonte de proteína, tem fácil digestão, é saboroso, prático, barato e apreciado pela maioria das pessoas. Na coluna, você confere mais sobre os benefícios do ovo para a saúde humana
O colunista do portal MAB, Rogério Luiz Iuspa fala sobre o hábito alimentar e o comportamento humano, frisando que o homem sempre consumiu carne animal desde o principio e questiona: “É natural uma alimentação feita apenas com vegetais?”.