Search
Close this search box.

ApexBrasil e empresas de castanha-do-brasil unem esforços para ultrapassar fronteiras 

3 de março de 2024

Visando conquistar o mercado internacional, empresas, cooperativas e associações de castanha-do-brasil se reuniram para identificar mercados-alvo e alinhar estratégias de como alcançá-los. O encontro faz parte do Exporta Mais Amazônia, programa da ApexBrasil que visa promover produtos compatíveis com a floresta
Compartilhe no WhatsApp
ApexBrasil e empresas de castanha-do-brasil unem esforços para ultrapassar fronteiras 

Para promover as exportações de castanha-do-Brasil, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) realizou, na última terça-feira (27/2), na sede da Cooperacre, em Rio Branco (AC), a segunda reunião da Mesa Executiva de Exportação de castanha-do-brasil A iniciativa compõe o escopo de ações do Exporta Mais Amazônia, programa criado pela Agência em 2023 que visa impulsionar as exportações de produtos compatíveis com a floresta. O objetivo é destravar gargalos à exportação do setor.

Neste segundo encontro, que contou com mais de 20 representantes de empresas, cooperativas e associações, o foco foi discutir e definir os mercados-chave para a exportação do produto. De acordo com o analista da gerência do Agronegócio da ApexBrasil, Pedro Henrique de Souza Netto, essa seleção é de extrema importância para o planejamento das próximas ações. “Definir esses mercados prioritários é fundamental para organizarmos ações que aproximam empreendimentos da castanha a compradores internacionais de países com alto potencial de comércio. A escolha desses mercados ainda nos ajuda a identificar requisitos específicos – inclusive sanitários – para a exportação da castanha para esses destinos”, explicou.

Os melhores mercados para a castanha-do-brasil

Para a priorização de mercados do produto, foram utilizadas 46 variáveis de seis bases de dados diferentes: Comtrade/ONU, Passport/Euromonitor, Fundo Monetário Internacional (FMI), Fitch Solutions, Banco Mundial e FAOStat/FAO. No total, foram considerados mais de 2000 pontos de dados, analisando o comércio exterior da castanha do Brasil, a concorrência com outros fornecedores, a macroeconomia dos destinos de exportação e os mercados internos de castanhas e nozes em 45 países.

Após a análise de dados e a votação entre os participantes da Mesa Executiva, foram selecionados sete destinos que serão os mercados prioritários para o projeto: Estados Unidos, Reino Unido, China, Alemanha, Itália, França e Emirados Árabes Unidos.

Segurança alimentar

Durante o encontro, também foram abordados a qualidade e a segurança alimentar da castanha-do-brasil. Ana Cantanhede e Maurício Quaresma, representantes do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) apontaram a legislação que deve ser cumprida para a produção e comercialização do produto.

Com base na Legislação brasileira, Lei N°11/2006: “a segurança alimentar e nutricional consiste na realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimento de qualidade”, o que significa livre de agentes patogênicos ou nocivos à saúde humana.

Segundo Maurício, oferecer alimentos com alta qualidade é imprescindível garantir segurança aos consumidores no Brasil e no mundo: “Quando falamos de segurança alimentar, estamos falando de vida humana. A empresa precisa trabalhar para atender a legislação”.

Sobre a Mesa Executiva 

A fim de preparar as empresas e cooperativas da região Amazônica para ampliar a presença no mercado internacional, a ApexBrasil lançou as Mesas Executivas de Exportação em novembro de 2023. Essa metodologia de trabalho foi desenvolvida para garantir a troca constante de informações e sugestões sobre entraves que prejudicam as exportações de setores da região, focando em problemas com soluções de curto e médio prazo. O projeto foi elaborado em parceria com o professor Salo Coslovsky, autor do estudo ‘Mesas Executivas de Exportação e o Fomento aos Produtos Compatíveis com a Floresta Amazônica’.

Como um fórum permanente, as Mesas Executivas são realizadas mensalmente, reunindo empresas, cooperativas, representantes da ApexBrasil, especialistas e instituições parceiras, como o Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA).

Para saber mais sobre as Mesas Executivas, acesse o estudo sobre as Mesas elaborado pelo projeto Amazônia 2030.

ASCOM APEX BRASIL

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Dados mostram que serão produzidos 193,15 mil litros, abaixo do recorde de 580,22 mil litros do período anterior
Safra total de milho foi estimada em 114,14 milhões de toneladas, um acréscimo de 2,5 milhões de toneladas em relação ao previsto no mês passado; área plantada deve crescer 1% e produtividade deve avançar 1,2%
Essa parceria confirma a missão do AgroApp que é levar informações de qualidade para o produtor rural e profissional do campo.
Na comparação com a média diária de junho de 2023, há queda de 16,6% no valor obtido diariamente pelas exportações de açúcar em junho de 2024.