Search
Close this search box.

Cargill interromperá carregamentos de grãos em seu terminal de exportação na Rússia

30 de março de 2023

A Cargill vai deixar de movimentar grãos em seu terminal de exportação a partir de julho
Compartilhe no WhatsApp
Cargill interromperá carregamentos de grãos em seu terminal de exportação na Rússia

Cargill disse nesta quarta-feira que dará mais um passo atrás no mercado russo ao deixar de movimentar grãos do principal fornecedor de trigo em seu terminal de exportação a partir de julho, embora sua unidade de transporte continue a carregar grãos dos portos do país.

A medida alimentou preocupações sobre o fornecimento global de grãos interrompido pela guerra de 13 meses na região do celeiro do Mar Negro, elevando os preços futuros de referência do trigo em relação às perdas anteriores.

A maioria das tradings internacionais de grãos interrompeu novos investimentos na Rússia desde o ano passado, após a invasão da Ucrânia por Moscou, mas continuou exportando trigo russo.

“À medida que os desafios relacionados à exportação de grãos continuam aumentando, a Cargill vai parar de elevar o grão russo para exportação em julho de 2023, após o término da temporada 2022/2023”, disse a empresa em comunicado por e-mail.

“Elevar” refere-se ao levantamento de grãos em navios de exportação.

A Cargill, que possui uma participação no terminal de grãos no porto de Novorossiisk, no Mar Negro, não especificou se estava vendendo a participação.

Os futuros de trigo de referência da Bolsa de Chicago subiram para um pico de um mês nesta quarta-feira e o trigo de moagem de maio da UE atingiu uma máxima de duas semanas, com a notícia provocando nervosismo sobre os fluxos de grãos do maior exportador de trigo.

“Os exportadores estatais russos afirmam que serão capazes de manter os grãos no mesmo ritmo, mas os principais fundos especulativos que mantêm grandes posições vendidas não têm confiança nisso atualmente”, disse Arlan Suderman, economista-chefe de commodities da StoneX, em nota ao mercado.

Ministério da Agricultura da Rússia havia dito anteriormente que a Cargill informou que interromperia suas atividades de exportação de grãos a partir do início da próxima temporada.

“A cessação de suas atividades de exportação no mercado russo não afetará o volume de embarques domésticos de grãos para o exterior. Os ativos de exportação de grãos da empresa continuarão a operar independentemente de quem os administre”, disse o Ministério da Agricultura em um comentário à Reuters.

Além disso, a trading de grãos Viterra, de propriedade da gigante suíça de mineração e negociação Glencore, está planejando interromper o comércio de grãos na Rússia, informou a Bloomberg News, citando fontes familiarizadas com o assunto.

Um porta-voz de Viterra se recusou a comentar, mas disse que um comunicado seria emitido posteriormente.

Viterra e Cargill estão entre os maiores exportadores de trigo russo.

De acordo com o jornal de negócios RBC, a Cargill exportará 2,2 milhões de toneladas de grãos russos na temporada de exportação de 2022/23, ou cerca de 4% das exportações totais de grãos da Rússia.

Por Reuters

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Nesses últimos dias, o ritmo de comercialização diminuiu e as cotações domésticas de algodão também recuaram, na contramão dos referenciais externos
Em farelo de soja, a expectativa é de exportação de 2,225 milhões de toneladas, em comparação com 1,869 milhão de toneladas na projeção anterior
O relatório do estudo completo está em fase final de elaboração e deve ser divulgado no começo de setembro.
Orizicultores têm preferido comercializar a matéria-prima no porto de Rio Grande, onde as ofertas para exportação se mantêm mais vantajosas