Search
Close this search box.

Café: O El Niño poderia continuar pressionando a arbitragem NY-LN?

7 de julho de 2023

hEDGEpoint analisa arbitragem NY-LN do ponto de vista do status ENSO, fenômeno único que oscila entre três fases: quente (El Niño), neutra e fria (La Niña)
Compartilhe no WhatsApp
Café: O El Niño poderia continuar pressionando a arbitragem NY-LN?

Este ano, espera-se que o El Niño se torne ativo (quando o índice ONI ultrapassa 0,5 °C, conforme mostrado no Gráfico # 2, na possível ocorrência mais forte desde 2015/16. O fenômeno geralmente leva a um clima mais quente e seco na maioria das áreas produtoras de café durante as principais janelas de desenvolvimento – incluindo Brasil, Centrais e Vietnã.

“A resposta da arbitragem NY-LN depende da intensidade do evento, mas, via de regra, embora a tendência seja inversamente proporcional, a influência exclusiva do fenômeno na arbitragem pode ter chegado a um limite”, explica Natália Gandolphi, analista de Café hEDGEpoint Global Markets.
 

O gráfico #1, de acordo com o novo relatório de café da companhia, mostra a relação entre o índice ONI e a arbitragem NY-LN. Atualmente, a arb já está em um nível mais baixo do que seria sugerido para o nível atual do ONI.
 

Atualmente na faixa de 40-50 c/lb, a influência do fenômeno sobre o aperto da arbitragem pode estar chegando ao fim. No último mês, a arbitragem ao longo da curva passou de uma diferença de 9% em relação ao contrato de setembro de 2023 para 28% na arbitragem do contrato de novembro/dezembro de 2024.
 

Neste momento, a arbitragem está a um nível de distribuição de frequências comum, ao contrário do preço observado em Londres. Com a preferência por opções mais baratas, aliada à queda na produção no Vietnã (22/23), a expectativa de redução no Brasil (23/24) e queda na Indonésia (23/24), o preço em Londres está em um dos percentis de frequência mais baixos desde 2008 – apesar de um valor padrão na arbitragem.
 

No Brasil, o spread entre arábica e conilon também aperta. Seguindo tanto as influências do mercado externo quanto a dinâmica de disponibilidade interna para 23/24, o spread entre as variedades ficou abaixo de R$ 200/sc. No entanto, o spread interno é menos suscetível ao fenômeno El Niño, pois também pode afetar áreas produtoras de arábica, destaca o relatório.
 

Em Resumo

Com a chegada do inverno ao Brasil sem grandes riscos de geadas, o potencial da safra 24/25 pesa na curva futura. O desenvolvimento da safra 23/24 mostra indicadores mais positivos na Colômbia e no Vietnã, com índice de vegetação positivo, enquanto o quadro na América Central é mais incerto.
 

Na dinâmica NY-LN, o suporte gerado pelo El Niño pode se desgastar. Embora o fenômeno seja altista em geral, já que atrapalha a produção dos principais países produtores de café, os possíveis impactos sobre a safra brasileira 24/25 ainda não estão sendo precificados.
 

Também é importante ressaltar que, embora a relação entre o Índice ONI e a arbitragem NY-LN já se encontre testando os suportes mencionados, outros fatores fundamentais ainda podem influenciar a dinâmica entre as duas bolsas de referência. Em especial, o desenvolvimento da safra 23/24 nos países que colhem em outubro, apetite comprador nos destinos, e o inverno brasileiro.

Confira aqui o relatório completo

Por Conteúdo Net Comunicação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Dados mostram que serão produzidos 193,15 mil litros, abaixo do recorde de 580,22 mil litros do período anterior
Safra total de milho foi estimada em 114,14 milhões de toneladas, um acréscimo de 2,5 milhões de toneladas em relação ao previsto no mês passado; área plantada deve crescer 1% e produtividade deve avançar 1,2%
Essa parceria confirma a missão do AgroApp que é levar informações de qualidade para o produtor rural e profissional do campo.
Na comparação com a média diária de junho de 2023, há queda de 16,6% no valor obtido diariamente pelas exportações de açúcar em junho de 2024.