O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Café: indicador do arábica renova recorde nominal

No acumulado da parcial deste mês (de 31/03 a 27/04), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica subiu 76,67 reais por saca (ou 10,8%), fechando a terça-feira, 27, a R$ 785,11/sc de 60 kg, o maior valor nominal da série
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

Nesta semana, o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, posto na capital paulista, atingiu novo recorde nominal da série histórica do Cepea, iniciada em 1996. Ressalta-se, porém, que, quando deflacionado, o valor atual ainda está bem abaixo do recorde real, de R$ 1.798,98, observado em maio de 1997 (as médias mensais foram deflacionadas pelo IGP-DI de março de 2021).

No acumulado da parcial deste mês (de 31 de março a 27 de abril), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica subiu 76,67 reais por saca (ou 10,8%), fechando a terça-feira, 27, a R$ 785,11/sc. de 60 kg, o maior valor nominal da série.

Segundo pesquisadores do Cepea, além da já esperada quebra de safra em 2021/22 no Brasil por conta da seca em 2020, o início do período mais seco do ano (outono e inverno) tem preocupado agentes. A falta de chuvas vem adiantado a maturação dos grãos e também já gerado alertas quanto ao enchimento final dos grãos.

Além disso, cafeicultores temem que a produção da temporada 2022/23 também seja prejudicada pelo atual contexto climático.

Fonte: www.cepea.esalq.usp.br