Search
Close this search box.

Bunge finaliza fusão de mais de US$30 bi com Viterra dizem fontes

12 de junho de 2023

Sob o comando do CEO Greg Heckman, trading de grãos com sede em St Louis negocia acordo com empresa que pertence à gigante suíça de commodities Glencore
Compartilhe no WhatsApp
Bunge finaliza fusão de mais de US$30 bi com Viterra dizem fontes
Foto divulgação

A Bunge, comerciante de grãos dos Estados Unidos, está dando os últimos retoques em um acordo para se fundir com a Viterra, empresa que tem a Glencore como acionista, e criar um gigante do comércio agrícola no valor de mais de 30 bilhões de dólares, incluindo dívidas, disseram pessoas familiarizadas com o assunto nesta quinta-feira.

O negócio vem em um momento em que a guerra da Rússia na Ucrânia testa a segurança do fornecimento nos mercados globais de alimentos, com o impacto potencial do negócio sendo alvo de análise de órgãos reguladores antitruste.

Bunge tem dívida líquida de 2,7 bilhões de dólares

A Bunge, cujo valor de mercado é de cerca de 14 bilhões de dólares e tem uma dívida líquida de cerca de 2,7 bilhões, pagará a maior parte do negócio com ações, mas também usará dinheiro e já conseguiu financiamento junto a bancos, disseram as fontes. A equipe de gestão da Bunge, liderada pelo presidente-executivo, Greg Heckman, supervisionará a empresa combinada, acrescentaram as fontes.

Os acionistas privados da Viterra, que além da Glencore incluem o Canada Pension Plan Investment Board e a British Columbia Investment Management Corp, podem assinar o acordo já neste fim de semana se as negociações forem concluídas com sucesso, disseram as fontes.

Embora o acordo esteja a caminho de ser anunciado na próxima semana, há sempre a possibilidade de que ele seja desfeito no último minuto, advertiram as fontes. O valor final do acordo pode variar com base no movimento das ações da Bunge no momento em que o acordo for assinado, de acordo com as fontes.

Glencore e a Viterra não comentaram o assunto. A Bunge não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários.

O comércio de produtos básicos, como trigo, milho e soja, já está concentrado entre a Bunge e três outras grandes empresas – Archer-Daniels-Midland , Cargill e Louis Dreyfus. Coletivamente chamadas de “ABCD”, essas companhias vêm obtendo grandes lucros depois que a guerra na Ucrânia interrompeu os embarques e fez com que os preços das safras disparassem.

No ano passado, a Bunge foi classificada como a maior exportadora de milho e soja do Brasil, que é a principal fonte mundial de culturas básicas para a fabricação de ração animal e biocombustíveis, de acordo com dados do agente de transporte Cargonave. A Viterra foi a terceira maior exportadora de milho e a sétima maior exportadora de soja.

A aquisição da Viterra colocará as receitas da Bunge – de 67,2 bilhões de dólares em 2022 – em linha com a Archer-Daniels-Midland, que registrou vendas de quase 102 bilhões no ano passado. O acordo também impulsionará os negócios de exportação de grãos e processamento de sementes oleaginosas da Bunge.

Essa não é a primeira tentativa de acordo. No início de 2017, a Viterra, então conhecida como Glencore Agriculture, tentou uma aquisição da Bunge, que foi avaliada em 11 bilhões de dólares. Em maio de 2017, a Bunge rejeitou a Glencore depois que esta última fez uma abordagem informal para discutir “uma possível combinação consensual de negócios”

A Viterra expandiu seu negócio de compra e venda de grãos nos Estados Unidos por meio da aquisição da Gavilon por 1,1 bilhão de dólares no ano passado.

Fonte: Reuters por Notícias Agrícolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Safra total de milho foi estimada em 114,14 milhões de toneladas, um acréscimo de 2,5 milhões de toneladas em relação ao previsto no mês passado; área plantada deve crescer 1% e produtividade deve avançar 1,2%
O saldo alcançou US$9,42 bilhões, aumento de 14,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior
Programas de destaque incluem “Vivenciando a Prática”, que já mostrou realidade do agronegócio a mais de 30 mil estudantes e professores, e a Agroteca Digital
O estudo foi realizado pela HR Tech Mereo, plataforma integrada de gestão de pessoas presente em cerca de 40 países, responsável por atender a 10% das 500 maiores empresas do Brasil.