Search
Close this search box.

Brasil se destaca no hipismo em Cascais

22 de fevereiro de 2023

Brasil leva duas vitórias de João Victor Oliva e vice do estreante Renderson Oliveira
Compartilhe no WhatsApp
Brasil se destaca no hipismo em Cascais
Duas vitórias para João Victor e Feel Good VO na estreia do conjuntos em GPs; img: Rui Pedro Godinho

O cavaleiro olímpico e medalhista pan-americano João Victor Marcari Oliva montando Feel Good VO em 1º e Renderson Oliveira com Fogoso Campline empatado em 2º fizeram a festa no GP Special do Concurso de Dressage Internacional (CDI3*) em Cascais, Portugal, neste domingo, 19/2, prova que reuniu os 13 melhores conjuntos do GP, disputado em 18/2, e representantes de sete países.

Foi o segundo dia de vitória de João Victor e Feel Good VO, garanhão warmblood criado pelo cavaleiro e seu pai, Victor Oliva, na Alemanha. No GP Special o conjunto registrou 71,340% de nota média final, superando a do GP do dia anterior quando venceu com 69,782% e assegurou o 1º índice com esta montaria rumo aos Jogos Panamericanos de Santiago, em outubro.

Duas vitórias para João Victor e Feel Good VO na estreia do conjuntos em GPs; img: Rui Pedro Godinho

Na avaliação individual, a nota mais alta, 74,149% foi atribuída por Peter Holler, da Alemanha, juíz 5* da Federação Equestre Internacional (FEI). Os outros dois juízes FEI5* atribuíram à dupla as notas: 73,085% do italiano Vinzenzo Truppa e 67,234% do holandês Eduard de Wolff van Westerrode. Os dois juízes FEI4* avaliaram a dupla com as notas: 71,596% de Frederico Pinteus, de Portugal, e 70,638% do argelino Fouad Hasmoud.

“Estou muito contente com o cavalo que se comportou muito bem como se estivesse em casa. Ele estava com energia, disposto a se apresentar, escutando bem as ajudas. É um cavalo que eu conheço muito bem, porque fui eu que o domei, então nossa conexão é muito boa. O Feel Good é muito jovem e, creio, vai dar muitas felicidades daqui pra frente”, comentou o atleta que fez subir a bandeira brasileira e tocar o Hino Nacional por duas vezes nas principais provas do CDI3* de Cascais.

O posto de vice-campeão no pódio foi ocupado por Renderson Oliveira que montando o Puro Sangue Lusitano Fogoso Campline fez uma excelente apresentação cravando 70,234% em sua estréia internacional e em um Big Tour no circuito europeu. Renderson empatou com o português Vasco Godinho montando Iranico que também garantiu 70,234%. “Fumaça”, apelido carinhoso do atleta de 30 anos, no GP , em 18/2, registrou 67,957% e também garantiu um 1º índice em busca de uma vaga no an de Santiago.

image 14
Renderson em ação com Fogoso Campline;
Foto: Rui Pedro Godinho

Fogoso Campline, montaria de Renderson, foi o único representante do Puro Sangue Lusitano na final individual nos Jogos de Tóquio, quando montado por Rodrigo Torres no Freestyle registrou nota histórica para a raça, 78,493%.

Renderson Oliveira e João Victor Oliva integram o Horse Campline Team, em Portugal, projeto idealizado por Thiago Mantovani que tem como objetivo a formação de conjuntos de alta performance para a Dressage com foco em Olimpíadas, Mundiais, Panamericanos etc.

Trajetória impar do brasileiro

Curiosamente, Renderson se tornou cavaleiro profissional por incentivo e apoio de João Victor e seu pai Victor Oliva quando trabalhava como cavalariço no haras dos Oliva, a Coudelaria Ilha Verde, em Araçoiaba da Serra (SP), e para onde foi levado por Rogério Clementino, também formado na coudelaria e que veio a se tornar medalhista panamericano e a intergrar equipe olímpica. Acompanhando João Victor na Europa, Renderson morou na Alemanha e em Portugal e além de ser treinado por seu incentivador também passou a ser orientado por Norbert van Laak, renomado treinador alemão e atual técnico do Time Brasil contratado pela Conferderação Brasileira de Hipismo (CBH).

Emocionado com a conquista do “pupilo”, João Victor declarou: “Fiquei muito feliz de ver o Renderson competindo, eu acho que ele foi muito bem, uma apresentação muito positiva. É o começo de um grande conjunto, tenho certeza disso, que vai dar muitas felicidades para nossa equipe e o Brasil.”

Por Imprensa CBH

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Entre janeiro e junho, foi exportado quase o mesmo volume de peixes, em valores, de todo o ano passado
Doença em um aviário comercial no Rio Grande do Sul gerou fortes reflexos para os frigoríficos na B3
No periódico Current Microbiology, pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Alimentos descreveram três cepas de bactérias do gênero Lactobacillus em queijos que podem beneficiar a saúde humana e atender às demandas da indústria queijeira