Search
Close this search box.

Brasil e Angola retomam parceria

28 de agosto de 2023

Diplomacia presidencial de Lula estreita os laços com o continente africano, reforçando parceria econômica e cultural com Luanda. Presidente participa de Fórum Econômico Angola-Brasil, organizado pela ApexBrasil e AIPEX. "Angola é prioridade para o Brasil e temos a chance de ampliar os negócios entre os dois países", diz Jorge Viana
Compartilhe no WhatsApp
Brasil e Angola retomam parceria


O Brasil está de volta à Africa para estreitar ainda mais os laços com o continente. Depois da visita a Joanesburgo, na África do Sul, onde participou da 15ª Cúpula BRICS, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi a Luanda na última quinta-feira, 24, para uma visita oficial de dois dias com agenda intensa a fim de retomar a relação com Angola.
 
“Um país irmão, com quem compartilhamos a mesma língua, muita história e laços de sangue e cultura em comum”, disse Lula. “Temos um potencial enorme em nossas relações, que tinham sido negligenciadas nos últimos anos”. Lula participou de reuniões com o presidente João Lourenço, visitou a Assembleia Nacional, assinou acordos de cooperação e ainda participou de seminário com 400 empresários angolanos e brasileiros.
 
O Fórum Econômico Angola-Brasil reuniu executivos brasileiros dos setores de alimentos, produtos farmacêuticos, aviação e máquinas agrícolas e mais de 300 empresários angolanos. O evento tratou dos desafios e oportunidades de negócios nas áreas de segurança alimentar e agricultura, transição energética, infraestrutura, mineração, saúde, educação e desenvolvimento humano.
 
“A volta do Brasil para o continente africano, especialmente para Angola, é algo que mexe com o sentimento e a alma brasileira. África e Brasil são complementares. O oceano não nos divide, mas nos une”, disse o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), Jorge Viana, na abertura do evento. “Temos uma oportunidade de reconstruir nossas relações diplomáticas, políticas e econômicas. Isso é estratégico para os nossos povos. Vamos prosperar juntos”.
 
Segundo Viana, a parceria entre Angola e Brasil tem tudo para ganhar um novo ritmo. “A reaproximação entre nossos povos, governos e negócios tem tudo para dar certo. Lamentavelmente, o Brasil nos últimos anos havia abandonado a diplomacia presidencial, mas isso mudou. O presidente Lula vem aqui defendendo os interesses do nosso país, mas também de Angola, país-irmão, para que as coisas aconteçam”, disse.
 
A visita de Lula a Angola é reflexo da elevada prioridade que o governo brasileiro atribui à relação com o continente africano de forma geral, e com Angola em particular. O Brasil exporta automóveis, calçados, carnes de aves, açúcar, melaço, trigo e centeio não moídos para Angola. E importa petróleo e derivados, que têm como destino a Bahia. “Temos a chance de ampliar os negócios entre os dois países, porque o mundo está mudando e estamos diante de uma nova geopolítica com a ampliação dos BRICS e a elevação do Sul Global”, comentou Viana.
 
Angola tem 35,6 milhões de habitantes e um PIB de US$ 125,7 bilhões. Mas o Brasil é o quinto maior fornecedor de produtos aos angolanos, com participação de 4,7% no mercado, de acordo com dados de 2021 divulgados pela ApexBrasil.
 
O Fórum Econômico Angola-Brasil reúne executivos brasileiros dos setores de alimentos, produtos farmacêuticos, aviação e máquinas agrícolas. O evento trata dos desafios e oportunidades de negócios nas áreas de segurança alimentar e agricultura, transição energética, infraestrutura, mineração, saúde, educação e desenvolvimento humano.
 
Angola já é importante mercado para as exportações brasileiras de proteína animal (carne bovina congelada, suína e de aves). E integra um grupo importante de países da África e do Oriente Médio, como Egito, África do Sul e Arábia Saudita, que impuseram barreiras às importações de produtos agrícolas como medida de fomento à economia nacional. A oferta de cooperação técnica na área agrícola e a promoção de investimentos brasileiros atende a pedidos do governo angolano.
 
Uma das prioridades na pauta de cooperação bilateral entre Brasil e Angola é o setor de saúde, que conta com três projetos em execução: criação de Banco de Leite Humano, inaugurado em Luanda, em 2019; implementação de medidas para prevenção e controle do câncer; e aquelas voltadas à atenção integral a pessoas com doença falciforme.
 
Além disso, estão em negociação novos projetos, que versam sobre diagnóstico de hanseníase, formação médica em cardiologia e combate a HIV/AIDS e tuberculose. Em abril de 2023, durante reunião da Comissão Mista bilateral, foi assinado memorando de entendimento entre os ministérios da Saúde dos dois países.
 
Atualmente, Brasil e Angola mantêm sete projetos de cooperação ativos e Lula e Lourenço assinaram outros dez acordos nas áreas de saúde e educação, meio ambiente, geoprocessamento, geologia, saúde, energia, urbanização e segurança pública.

Por Apex Brasil

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

A senadora convidou os críticos a visitarem o interior do Brasil para verem de perto o “agro moderno tecnológico”.
Eleições do Parlamento acontecem esse ano
País asiático reconheceu equivalência de sistemas de inspeção sanitária, atendendo pedido feito pelo governo brasileiro em 2023
Comitiva da associação participa de congresso no país da América Central até este sábado (2)