Search
Close this search box.

Brasil e Angola retomam parceria

28 de agosto de 2023

Diplomacia presidencial de Lula estreita os laços com o continente africano, reforçando parceria econômica e cultural com Luanda. Presidente participa de Fórum Econômico Angola-Brasil, organizado pela ApexBrasil e AIPEX. "Angola é prioridade para o Brasil e temos a chance de ampliar os negócios entre os dois países", diz Jorge Viana
Compartilhe no WhatsApp
Brasil e Angola retomam parceria


O Brasil está de volta à Africa para estreitar ainda mais os laços com o continente. Depois da visita a Joanesburgo, na África do Sul, onde participou da 15ª Cúpula BRICS, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi a Luanda na última quinta-feira, 24, para uma visita oficial de dois dias com agenda intensa a fim de retomar a relação com Angola.
 
“Um país irmão, com quem compartilhamos a mesma língua, muita história e laços de sangue e cultura em comum”, disse Lula. “Temos um potencial enorme em nossas relações, que tinham sido negligenciadas nos últimos anos”. Lula participou de reuniões com o presidente João Lourenço, visitou a Assembleia Nacional, assinou acordos de cooperação e ainda participou de seminário com 400 empresários angolanos e brasileiros.
 
O Fórum Econômico Angola-Brasil reuniu executivos brasileiros dos setores de alimentos, produtos farmacêuticos, aviação e máquinas agrícolas e mais de 300 empresários angolanos. O evento tratou dos desafios e oportunidades de negócios nas áreas de segurança alimentar e agricultura, transição energética, infraestrutura, mineração, saúde, educação e desenvolvimento humano.
 
“A volta do Brasil para o continente africano, especialmente para Angola, é algo que mexe com o sentimento e a alma brasileira. África e Brasil são complementares. O oceano não nos divide, mas nos une”, disse o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), Jorge Viana, na abertura do evento. “Temos uma oportunidade de reconstruir nossas relações diplomáticas, políticas e econômicas. Isso é estratégico para os nossos povos. Vamos prosperar juntos”.
 
Segundo Viana, a parceria entre Angola e Brasil tem tudo para ganhar um novo ritmo. “A reaproximação entre nossos povos, governos e negócios tem tudo para dar certo. Lamentavelmente, o Brasil nos últimos anos havia abandonado a diplomacia presidencial, mas isso mudou. O presidente Lula vem aqui defendendo os interesses do nosso país, mas também de Angola, país-irmão, para que as coisas aconteçam”, disse.
 
A visita de Lula a Angola é reflexo da elevada prioridade que o governo brasileiro atribui à relação com o continente africano de forma geral, e com Angola em particular. O Brasil exporta automóveis, calçados, carnes de aves, açúcar, melaço, trigo e centeio não moídos para Angola. E importa petróleo e derivados, que têm como destino a Bahia. “Temos a chance de ampliar os negócios entre os dois países, porque o mundo está mudando e estamos diante de uma nova geopolítica com a ampliação dos BRICS e a elevação do Sul Global”, comentou Viana.
 
Angola tem 35,6 milhões de habitantes e um PIB de US$ 125,7 bilhões. Mas o Brasil é o quinto maior fornecedor de produtos aos angolanos, com participação de 4,7% no mercado, de acordo com dados de 2021 divulgados pela ApexBrasil.
 
O Fórum Econômico Angola-Brasil reúne executivos brasileiros dos setores de alimentos, produtos farmacêuticos, aviação e máquinas agrícolas. O evento trata dos desafios e oportunidades de negócios nas áreas de segurança alimentar e agricultura, transição energética, infraestrutura, mineração, saúde, educação e desenvolvimento humano.
 
Angola já é importante mercado para as exportações brasileiras de proteína animal (carne bovina congelada, suína e de aves). E integra um grupo importante de países da África e do Oriente Médio, como Egito, África do Sul e Arábia Saudita, que impuseram barreiras às importações de produtos agrícolas como medida de fomento à economia nacional. A oferta de cooperação técnica na área agrícola e a promoção de investimentos brasileiros atende a pedidos do governo angolano.
 
Uma das prioridades na pauta de cooperação bilateral entre Brasil e Angola é o setor de saúde, que conta com três projetos em execução: criação de Banco de Leite Humano, inaugurado em Luanda, em 2019; implementação de medidas para prevenção e controle do câncer; e aquelas voltadas à atenção integral a pessoas com doença falciforme.
 
Além disso, estão em negociação novos projetos, que versam sobre diagnóstico de hanseníase, formação médica em cardiologia e combate a HIV/AIDS e tuberculose. Em abril de 2023, durante reunião da Comissão Mista bilateral, foi assinado memorando de entendimento entre os ministérios da Saúde dos dois países.
 
Atualmente, Brasil e Angola mantêm sete projetos de cooperação ativos e Lula e Lourenço assinaram outros dez acordos nas áreas de saúde e educação, meio ambiente, geoprocessamento, geologia, saúde, energia, urbanização e segurança pública.

Por Apex Brasil

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

O presidente francês, Emmanuel Macron, deixou o Salão da Agricultura em Paris, neste sábado (24), após uma visita marcada por vaias e confrontos.
Em 2022, quando a Guerra na Ucrânia começou, houve um salto de 188% nas exportações de fertilizantes de Israel ao Brasil
Os agricultores ucranianos semearam um total de 12,75 milhões de hectares de culturas de primavera para a colheita de 2023
A Comissão Europeia recomendou nesta terça-feira (6) que a União Europeia reduza as emissões líquidas de gases do efeito estufa em 90% até 2040, uma meta ambiciosa que testará o apetite político pela luta do bloco contra as mudanças climáticas antes das eleições do Parlamento Europeu