O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Balizador GPB completa 3 anos em funcionamento

A princípio, em 2018, o balizador de preços da arroba do boi gordo era realizado apenas pelos integrantes Grupo Pecuária Bauru, atualmente Associação Grupo Pecuária Brasil. Mas, diante do sucesso do projeto, em 2020, o GPB se uniu a DATAGRO a fim de aprimorar a metodologia de apuração a representatividade da amostragem do balizador
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Balizador GPB completa 3 anos em funcionamento
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

Diante da dificuldade dos pecuaristas de terem apenas uma referência de preço da arroba do boi gordo para negociação, Oswaldo Furlan Junior teve uma ideia que iria revolucionar o setor. Foi em fevereiro de 2018, quando ele ainda era presidente do Grupo Pecuária Bauru, que depois ganhou status de entidade e se tornou o que é hoje a Associação Grupo Pecuária Brasil. Na época, ele sugeriu ao Roberto Zillo, outro membro e diretor do grupo, que ele criasse um formulário do Google para fazer um balizador de preço da arroba do boi gordo, onde os pecuaristas informassem diretamente suas negociações.

“A ideia era criar um formulário para os pecuaristas informarem os negócios, falando quanto negociaram a arroba, preço, em qual frigorifico, rendimento. E para que essas informações ficassem sempre armazenadas”, lembra Zillo. Dessa forma, a partir de março de 2018 eles começaram a desenhar o balizador, as perguntas que iriam conter no formulário. “Juntamos 27 perguntas de início, se não me falhe a memória, sobre cada negócio, tipo, raça, pagamento, prazo, como é hoje, mas com um pouquinho mais de detalhes que a gente foi eliminando com o tempo. E chegamos num consenso de um questionário de 26 perguntas, mais ou menos, em abril de 2018”.

Como o GPB sempre atuou fortemente através das redes sociais, passaram a enviar o link deste questionário nos grupos que mantinham para que os pecuaristas respondessem as perguntas. Depois de alguns testes, erros, acertos e ajustes, em 3 de maio de 2018 o GPB lançou, em definitivo a versão 3.0 do Balizador GPB, que seguiu rodando igual até 2019, quando passou por algumas atualizações, como a mudança da alíquota do Funrural, entre outras, e assim saiu a versão 4.0, que é a mesma que está rodando até hoje.

“Ele começou a ser uma referência de preço. Não é um índice, não é um indicador, mas sim um balizador de preço como a gente chama. Ele te dá um norte para a sua negociação em todos os estados. Temos 13 estados brasileiros cadastrados, sendo que em seis é onde estão mais concentradas as negociações. Em alguns conseguimos tirar uma média semanal, mensal, diária, que é o caso de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás e Mato Grosso”, cita Zillo.

Inúmeras vantagens aos pecuaristas

Com o Balizador GPB, os pecuaristas obtiveram inúmeras vantagens, acrescenta o diretor do GPB. Afinal, trata-se de um sistema que funciona 24 horas por dia, on-line, que recebe a informação do preço da arroba do boi gordo e, em questão de segundos, já fica disponível para visualização de todos. “Você pode auditar, quem é cadastrado pode entrar e ver a negociação se está correta ou não, pode mandar mensagens e a gente editar. Eu criei uma senha para cada cadastrado e a partir daí a gente consegue auditar, a gente manda mensagem no WhatsApp, pergunta se a informação está correta, e, com certeza, agrega e muito no seu negócio”.

Zillo ainda aproveita para contar sobre depoimentos que já recebeu sobre o uso do Balizador GPB. “Eu tenho clientes que falaram que estavam negociando em frigorifico, usou o balizador do GPB como referência e teve um ganho positivo, de conseguir R$ 3 a mais na arroba. Olha só o quanto ele ganhou de usar o balizador na hora de negociar com o frigorifico”, lembra.
Além disso, o Balizador GPB incentivou mudanças no indicador do boi gordo CEPEA, proporcionando melhorias para todo o setor da cadeia produtiva da carne no Brasil. “Ter referência de preço não é concorrente do indicador. São complementares. É de suma importância para o pecuarista na hora de negociar a sua arroba da melhor forma possível”, garante Zillo.

Outra vantagem que o a iniciativa do GPB proporcionou para o setor foi um programa quinzenal em um canal de televisão com um resumo das últimas ações do balizador. “Cruzando informações, projetando em gráficos e a gente começou a ganhar corpo em TV, proporcionando muito dinamismo nas negociações dos pecuaristas”.

Victório Amoroso Neto, Roberto Zillo e João Otávio Figueiredo – Foto: Divulgação/GPB
Parceria do Balizador GPB com a DATAGRO

Através do balizador, do reconhecimento dele como uma ferramenta de informação de negócios do boi gordo, vaca e novilha, o GPB começou a ser procurado por algumas startups para transformá-lo em um aplicativo. “A gente se assustou um pouco, na época foram seis empresas, e percebemos que a gente tinha uma coisa muito boa e nós mesmo do GPB não estávamos reconhecendo isso. Então, decidimos refletir sobre isso para ver como melhorar o balizador e criar o aplicativo”, lembra Zillo.

Como na época o GPB ainda não era uma associação, ou seja, não tinha arrecadação dos seus membros, os custos para transformar o balizador em um aplicativo eram muito alto. Assim, resolveram deixar o projeto em stand-by, esperando uma melhor oportunidade futura. E foi aí que surgiu a DATAGRO, uma empresa de consultoria agrícola. Após reuniões e acertos, o GPB selou essa parceria coma empresa em março de 2020 com foco no aprimoramento da metodologia de apuração e a representatividade da amostragem do balizador de preço do boi nas praças consideradas mais relevantes no Brasil.

“E assim passamos a trabalhar juntos e montamos uma equipe, que inclui eu, o João Otávio Figueiredo, como analista sênior e contratamos um economista, o Victório Amoroso Neto, que também era analista da DATAGRO e que trabalha agora comigo na coordenação de todos os balizadores. Isso deu um gás para gente, que passamos a produzir boletins diários que alguns estados que divulgamos sempre às 18h, proporcionando muitos benefícios para os pecuaristas”, reforça Zillo.

Modernização do Balizador GPB DATAGRO

A partir de setembro do ano passado, o projeto do aplicativo do Balizador GPB DATAGRO começou a ganhar corpo. Na época, uma empresa de tecnologia foi contratada e, atualmente, o app já está na fase final. “Ele já está funcionando dentro de uma plataforma de teste, a gente está ajustando, depois passará para a fase de teste com os pecuaristas e daí a gente pretende lançar o app nos dias 14 e 15 de julho, em um fórum que a DATAGRO está organizando junto com o GPB, onde a gente vai ter vários temas dentro da pecuária, e um deles é o lançamento do app em funcionamento, redondinho”.

Mas os planos envolvendo o balizador não param por aí, garante o diretor do GPB. “Nós queremos depois avançar com os relatórios semanais, mensais, diários, unindo a agropecuária agrícola com a pecuária. Pretendemos soltar outros tipos de relatórios, participações em canais de TV, ampliar as funções no app, deixando sempre mais moderno, acessível e fácil para todos os pecuaristas brasileiros usarem. Estamos muito felizes com essa parceria com a DATAGRO e satisfeitos por tudo que o balizador já fez pela pecuária”.

E Zillo ainda finaliza dizendo outros planos que o GPB tem para o futuro. “O balizador pode ser considerado um diferencial na pecuária. Por isso, a gente pretende, um dia, ser um indicador para ser usado em contratos futuros. A gente acredita muito nisso, estamos trabalhando muito, a equipe é pequena, mas a partir do desenvolvimento do App a gente vai aumentar essa equipe e vamos continuar fazendo melhor. O que a gente quer mesmo é deixar um legado para pecuária nacional e, com certeza, o GPB iniciou isso junto com a DATAGRO e vamos alcançar esse objetivo”.

Instagram: @gpb_oficial | Facebook: grupopecuariabrasil | Youtube: Canal GPB – Grupo Pecuária Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa/Redação Agrovenki
Crédito das fotos: Divulgação/GPB

Leia outras notícias no portal MAB