Search
Close this search box.

Balança comercial/SP: Agronegócio exporta US$ 12,63 bilhões no 1º semestre

17 de julho de 2023

Os resultados indicam superávit de US$ 10 bilhões no primeiro semestre do ano, crescimento de 6,4% na comparação.
Compartilhe no WhatsApp
Balança comercial/SP: Agronegócio exporta US$ 12,63 bilhões no 1º semestre

O resultado da balança comercial do Estado de São Paulo do primeiro semestre de 2023 mostrou crescimento de 6,1% nas exportações do agronegócio, setor que mandou ao exterior US$ 12,63 bilhões em produtos no acumulado do período.

Em importações, o setor adquiriu US$ 2,59 bilhões em produtos agrícolas, aumento de 5,3% ante 2022. Os resultados indicam superávit de US$ 10 bilhões no primeiro semestre do ano, crescimento de 6,4% na comparação.

RELACIONADAS

O levantamento da participação do agronegócio na balança comercial paulista foi realizado pelos pesquisadores do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) Carlos Nabil Ghobril, José Alberto Angelo, e Marli Dias Mascarenhas Oliveira. Segundo eles, o principal comprador dos produtos foi a China, com 26% do total enviado ao exterior por São Paulo. O país adquiriu soja e carne, principalmente. O gigante asiático é seguido pela União Europeia (que focou em sucos, produtos do setor sucroenergético e café) e Estados Unidos (sucos e carne).

O agronegócio paulista foi responsável por 38,1% das exportações totais do Estado, enquanto as importações setoriais representaram 7,2%. No primeiro semestre de 2023, as exportações totais do Estado de São Paulo somaram US$ 33,18 bilhões e as importações, US$ 36,03 bilhões.

No acumulado do primeiro semestre de 2023, 29% das vendas externas do agronegócio paulista vieram do complexo sucroenergético, que foi seguido pelo complexo da soja (19,9%) e pelo setor de carnes (11,9%). Respectivamente, esses segmentos movimentaram US$ 3,67 bilhões, US$ 2,51 bilhões e US$ 1,51 bilhão.

Os principais compradores dos produtos do setor sucroenergético paulista foram Nigéria (com representação de 8,6%), Marrocos (7%) e Bangladesh (6,7%). Na cadeia da soja, o produto em grão apresentou variação negativa de valores (-3,7%), mas aumento em volumes (5,9%), quando comparado a 2022. A China (67,6%) foi o principal destino em termos de participação de valores do complexo da oleaginosa, seguida de Tailândia (6,4%), Irã (5,4%) e Indonésia (3,5%).

Já o setor de carnes apresentou perda em valores (-19%) ante 2022 e leve aumento de volume (0,5%). A carne bovina tem 80,6% de contribuição no grupo. Os principais destinos que adquirem as proteínas são China (51,3%), Estados Unidos (12,5%), União Europeia (6,9%), Hong Kong (3,4%) e Arábia Saudita (2,9%).

No que se refere à importação do agronegócio paulista, no primeiro semestre de 2023, os principais produtos adquiridos foram salmão (US$ 195,73 milhões), papel (US$ 195,1 milhões) e trigo (US$ 182,81 milhões), segundo a secretaria do Estado.

Por UOL

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

São Paulo enfrenta desafios ainda maiores devido aos altos custos para o setor produtivo do leite e por ser o maior mercado consumidor do país.
Para participar é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único e viva no meio rural, com renda mensal de até R$ 218 por integrante
Reunião para discutir o tema foi realizada na terça (21), em Brasília
Em 2023, a CNI contabilizou 85 entraves às exportações nacionais contra 77 no levantamento do ano anterior