Search
Close this search box.

Como as altas temperaturas afetam o bem estar animal

1 de novembro de 2023

Uma das estratégias é implantar pequenos bosques que melhoram a condição térmica, reduzem a radiação solar e mantém a umidade
Compartilhe no WhatsApp
Como as altas temperaturas afetam o bem estar animal


Uma das estratégias é implantar pequenos bosques que melhoram a condição térmica

Os picos de temperaturas superiores a 40º já foram registrados em muitos estados no Brasil, neste ano. No norte do Brasil, por exemplo, soubemos da morte de golfinhos por aquecimento das águas. Já no inverno, fomos surpreendidos com a notícia da mortalidade de bovinos por uma onda de frio no estado de Mato Grosso do Sul.

E como o bem estar animal pode contribuir evitando o estresse e até mesmo a morte desses animais?

A resposta começa com a base do bem-estar animal que tem cinco domínios. Um deles, é o cuidado com o ambiente, ou seja, promover local propício pros animais. Porém, o extremo de temperaturas tem nos mostrado que é importante investir no planejamento de sombras e de abrigos naturais pra esses animais.

Dados da literatura afirmam que a carga de energia radiante incidente no animal em regiões tropicais, pode ser maior que três vezes o total calor interno do corpo do próprio animal. Mas, muitos dizem que para o gado queridinho do Brasil, o Nelore, não há essa necessidade. Porém, não é bem assim. Outra pesquisa mostrou que, mesmo muito adaptado a nossa realidade, houve uma redução em vinte e dois por cento do consumo de matéria seca pelos animais nelore, submetidos ao estresse térmico. Portanto, além da perda no bem estar animal, há uma perda produtiva e, na prática, rodando nas fazendas, a gente vê que os animais procuram as sombras e deixam de pastar nos momentos mais quentes do dia.

Lembrando que essa estratégia de pensar sobre as sombras, pode contemplar pequenos bosques, os quais permitem uma condição térmica melhor, reduzindo a incidência da radiação solar e mantendo a umidade, além de servir de abrigo pra momentos de frio. Contudo, as soluções não são tão rápidas de serem plantadas. O plantio de bosque leva pelo menos quatro anos pra começar a projetar uma sombra. Esse é um exemplo em que o bem-estar animal vai nos orientando pra soluções práticas e eficazes no campo.

Por Carmen Perez/Forbes Agro

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Dispersão irrefreada de javalis amplia prejuízos econômicos e ambientais. Cientistas avaliam que ainda é possível erradicá-la.
Uma das estratégias é implantar pequenos bosques que melhoram a condição térmica, reduzem a radiação solar e mantém a umidade
A Indicação Geográfica (IG) do Mel de Melato da Bracatinga entregou em 2022 pelo menos 51.250 selos às unidades de envase e beneficiamento do produto
Com 24 palestrantes, brasileiros e alemães, o evento, intitulado Don’t Forget the Animals, vai abordar diversos aspectos do bem-estar animal durante dois dias