Search
Close this search box.

Alta no preço do boi gordo aquece mercado de reposição

6 de outubro de 2023

Em São Paulo, bezerro teve alta de R$ 100 a cabeça em um mês
Compartilhe no WhatsApp
Alta no preço do boi gordo aquece mercado de reposição

A alta nos preços do boi gordo vistas nas últimas semanas ajudaram a melhorar o cenário no mercado de reposição. A avaliação é da Scot Consultoria, que vê elevação das cotações em todas as categorias. Em São Paulo, o bezerro de desmama vem sendo negociado a R$ 1,8 mil a cabeça, uma valorização de R$ 100 em um mês.

“As expectativas para o médio prazo são positivas, já que o mercado de reposição deve continuar acompanhando os preços no mercado de boi gordo. E com a alta nos preços do bovino terminado, o produtor fica mais estimulado a investir na atividade”, explica a analista de mercado Nicole Santos.

Na terça-feira (3/10), o indicador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para o boi gordo, com base em São Paulo, fechou a R$ 238,80 por arroba. Nos últimos cinco dias, a média é de R$ 234,76.

Em boletim divulgado nesta quarta-feira (4/10), a consultoria Agrifatto pontua que os frigoríficos começaram a oferecer alguma resistência aos atuais valores do boi no mercado físico. Com isso, algumas praças pecuárias registraram estabilidade ou até mesmo algum recuo nas cotações.

Em Goiás, por exemplo, a arroba foi negociada a R$ 222,10 na terça-feira, estável em relação ao dia anterior, segundo a consultoria.

No mercado de carne com osso, o mês de outubro começou com bom ritmo de vendas no atacado e no varejo. O dianteiro começa a recuperar liquidez e pode firmar preço, avalia a Agrifatto. Porém, ao menos por enquanto, os preços da carcaça se mantêm estáveis, entre R$ 15,50 e R$ 16 o quilo.

Por Globo Rural

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

42 ª Exposição Internacional do Cavalo Puro Sangue Lusitano acontece de 20 de maio a 02 de junho no Parque da Água Branca
O aumento do uso de coprodutos representa uma solução sustentável para a destinação de resíduos
São Paulo enfrenta desafios ainda maiores devido aos altos custos para o setor produtivo do leite e por ser o maior mercado consumidor do país.
Volume alcançou em 178,8 mil toneladas até a quarta semana, sendo que no ano anterior foram exportadas 168,4 mil toneladas