Search
Close this search box.

AgTechs: conheça as empresas que estão revolucionando o agronegócio

25 de julho de 2023

Essas empresas desempenham um papel importante na transformação digital da agricultura, promovendo a modernização e a sustentabilidade do setor.
Compartilhe no WhatsApp
AgTechs: conheça as empresas que estão revolucionando o agronegócio

O ecossistema de inovação brasileiro conta com mais de 1,7 mil startups voltadas ao agronegócio, com a metade presente no Estado de São Paulo, de acordo com o Radar AgTech Brasil. Essas empresas desempenham um papel importante na transformação digital da agricultura, promovendo a modernização e a sustentabilidade do setor.

O mercado de AgTechs está em expansão nos últimos anos. O montante investido nas startups do agro foi de quase US$ 2 bilhões em 2022 no Brasil, colocando o País na sexta posição global de aportes no setor, segundo levantamento da AgFunder. O volume de recursos representa mais que o dobro de investimentos do ano anterior.

O que são AgTechs?

A agricultura de precisão é um dos focos das startups do setor de agronegócio. (Fonte: GettyImages/Reprodução)
A agricultura de precisão é um dos focos das startups do setor de agronegócio. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

As AgTechs, ou Agricultural Technologies, são empresas que utilizam tecnologia para desenvolver soluções inovadoras no setor agrícola, combinando conhecimentos em agricultura, Ciência de dados, Inteligência Artificial (IA) e Internet das Coisas (IoT) para melhorar a eficiência, a produtividade e a sustentabilidade nas atividades agropecuárias.

As tecnologias desenvolvidas pelas AgTechs incluem sensores, drones, softwares de análise de dados, aplicativos móveis, sistemas de monitoramento remoto e plataformas de agricultura digital. Com isso, ajudam a coletar informações em tempo real sobre o clima, o solo, as plantas e os animais, permitindo uma gestão mais precisa e eficiente.

Qual é a diferença das startups para as empresas tradicionais do agronegócio?

As AgTechs diferem das empresas tradicionais do agronegócio pela abordagem inovadora e focada em tecnologia. As startups buscam desenvolver soluções disruptivas e aplicar novas tecnologias no setor agrícola, enquanto os negócios tradicionais tendem a ter uma estrutura e processos mais estabelecidos com menor agilidade.

As diferenças não significam que as startups são necessariamente superiores às empresas tradicionais do agronegócio. A colaboração e a cooperação entre os dois modelos de negócio pode impulsionar a inovação e o avanço do setor agrícola como um todo.

Vantagens do modelo de negócio das startups do agro

As soluções desenvolvidas pelas AgTechs permitem uma gestão mais eficiente e precisa das atividades agropecuárias, resultando em otimização do uso dos insumos agrícolas e melhoria da saúde das plantas e dos animais. Isso permite uma produção mais sustentável e rentável para os produtores rurais. Veja as principais vantagens das startups do agro.

  • Agilidade e flexibilidade: startups têm a capacidade de adaptar rapidamente seus produtos e serviços às mudanças do setor agrícola.
  • Foco no cliente: as AgTechs estão mais abertas a ouvir as necessidades dos agricultores e do setor na totalidade, e desenvolvem soluções personalizadas para atender a essas demandas específicas.
  • Escalabilidade: por meio do uso de tecnologias digitais, elas podem atingir um grande número de clientes em um curto período.
  • Parcerias estratégicas: o ecossistema de inovação permite colaborações com grandes empresas agrícolas, fornecedores de insumos, distribuidores, instituições de pesquisa e até mesmo entre AgTechs.
  • Acesso a financiamento: o interesse em soluções inovadoras atrai recursos crescentes para pesquisa, desenvolvimento e crescimento.

As principais AgTechs do Brasil

A região de Piracicaba (SP), que abriga a Esalq/USP, é um dos principais centros de inovação em agropecuária do Brasil. (Fonte: GettyImages/Reprodução)
A região de Piracicaba (SP), que abriga a Esalq/USP, é um dos principais centros de inovação em agropecuária do Brasil. (Fonte: Getty Images/Reprodução)

As AgTechs do Brasil têm ganhado destaque no mercado global do setor agropecuário. Conheça algumas das principais startups brasileiras do agro.

Agrotools

A Agrotools oferece soluções digitais para o agronegócio, fornecendo inteligência na cadeia de suprimentos, compliance socioambiental e análises estratégicas para empresas do setor. Seus sistemas auxiliam na tomada de decisão por meio de um software de gestão e soluções voltadas à IoT.

Grão Direto

A Grão Direto é uma plataforma que facilita a negociação de commodities agrícolas, conectando vendedores, compradores, corretores e armazéns de grãos. Todo o processo é realizado digitalmente, proporcionando acesso a informações de preços e custos médios, além de cotações de moedas e ativos.

JetBov

A JetBov é uma AgTech focada em zootecnia aplicada à pecuária de corte. Sua solução de software monitora o ciclo reprodutivo dos animais, fornecendo dados relevantes para auxiliar na seleção para descarte e no controle de custos, visando otimização financeira.

Pink Farms

A Pink Farms atua no conceito de fazendas verticais, aproximando a produção agrícola das cidades e reduzindo desperdícios na cadeia de produção e distribuição. A empresa trabalha com assinaturas, garantindo entregas periódicas de produtos agrícolas aos clientes.

Safe Trace

A Safe Trace oferece uma solução de rastreabilidade para a cadeia produtiva do agronegócio. Integrando informações de diversas fontes, a empresa assegura a procedência dos produtos e certifica os produtores que adotam boas práticas sanitárias e ambientais.

Por Summit AGro Estadão

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

O estudo indicou que a conectividade no agro, que antes era uma novidade, agora se tornou uma tendência emergente.
Agrônomo diz que é necessário ação humana eficaz para que os resultados sejam satisfatórios.
Para um mercado desse tamanho ainda temos muito espaço para o desenvolvimento de soluções que façam sentido à realidade brasileira.