Search
Close this search box.

Agronegócio impulsiona PIB brasileiro e dá lições para reindustrialização

4 de junho de 2023

Setor agropecuário cresce 21,6% no primeiro trimestre, enquanto indústria perde espaço na economia. Investimento em pesquisa e políticas públicas são cruciais.
Compartilhe no WhatsApp
Agronegócio impulsiona PIB brasileiro e dá lições para reindustrialização

O agronegócio tem sido, frequentemente, o motor do crescimento do PIB brasileiro, e os dados divulgados recentemente pelo IBGE reforçam essa tendência. No primeiro trimestre deste ano, a economia do país registrou um aumento de 1,9%, impulsionada pelo setor agropecuário, que cresceu expressivos 21,6%.

Destaque do Agronegócio

Esse desempenho não é novidade, já que o agronegócio tem se destacado como o segmento mais vigoroso da economia nacional há décadas. Nos últimos 20 anos, a produção de grãos saltou de 120,2 milhões para 310,6 milhões de toneladas anuais, um incremento de 258%, e a área cultivada aumentou de 43,7 milhões para 76,7 milhões de hectares, representando um avanço de 76,5%. Esse crescimento se deve, em grande parte, à melhoria na produtividade do setor.

Tal progresso foi alcançado graças a investimentos significativos em pesquisa e a políticas públicas eficientes voltadas ao campo. A competição no mercado internacional exige que os agricultores brasileiros sejam ágeis e inovadores, e eles têm atendido a essas demandas com sucesso. O desenvolvimento do agronegócio oferece uma valiosa lição no momento em que o governo discute a reindustrialização, ou ‘neoindustrialização’, do Brasil.

Em contraste com a agropecuária, a indústria nacional vem enfrentando dificuldades. No início dos anos 2000, a indústria representava quase 30% da economia brasileira; hoje, esse índice está próximo a 20% e tende a diminuir ainda mais. Para reverter esse quadro, é fundamental que o setor industrial siga o exemplo do agronegócio: investir em pesquisa, aprimorar a mão de obra e integrar-se às cadeias de valor internacionais, evitando práticas como a reserva de mercado, já comprovadamente ineficientes.

O mundo atual exige produtos sustentáveis, e é importante que o Brasil se alinhe a essa tendência. Nos Estados Unidos, por exemplo, planos de transformação industrial têm foco na transição para uma economia verde e contam com o aporte de bilhões de dólares do governo. No Brasil, essa discussão ainda é incipiente.

O governo brasileiro menciona a criação de uma nova política industrial, mas medidas como subsídios para o aumento das vendas de automóveis parecem ultrapassadas e insuficientes para resolver os problemas do setor. Se o objetivo é dinamizar a economia, seja na indústria ou nos serviços, é imprescindível aprender com o sucesso do agronegócio, caso contrário, o país corre o risco de estagnar ou, pior, empobrecer.

Por Estado de Minas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

A produção brasileira de sêmen bovino (raças de corte e de leite) em 2023 foi de 19,431 milhões de doses, recuo de 22% ante os 24,757 milhões de doses do ano de 2022.
Uma recente diretiva da Organização Mundial da Saúde (OMS), publicado em dezembro de 2023, além das fórmulas infantis, permite o consumo de leite de vacas pasteurizado por bebês a partir dos seis meses de idade
O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) é parceiro da 8ª edição do Farm Show, que acontece entre os dias 12 a 15 de março, das 8h às 20h, no Parque de exposições de Primavera do Leste.
Reunião dos Presidentes das Câmaras Setoriais do SAA destaca progressos e pioneirismos, com ênfase na atuação da Associação Grupo Pecuária Brasil e anúncio de novidades pelo Secretário de Agricultura do Estado.