Search
Close this search box.

Agronegócio brasileiro fecha 76 novos acordos comerciais em 2023

1 de janeiro de 2024

Principais destinos dessas exportações foram as Américas e a Ásia, com destaque para o México, a China e o Chile, segundo o balanço divulgado Ministério da Agricultura e Pecuária
Compartilhe no WhatsApp
Agronegócio brasileiro fecha 76 novos acordos comerciais em 2023
GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO/AE Agronegócio Ministério da Agricultura divulgou um balanço do setor do agronegócio em 2023

O setor do agronegócio brasileiro alcançou um recorde em 2023, com o fechamento de 76 novos acordos comerciais com 38 países. Esses acordos abrangem uma ampla variedade de produtos, como carnes, grãos, frutas, vegetais, sementes e produtos florestais. Os principais destinos dessas exportações foram as Américas e a Ásia, com destaque para o México, a China e o Chile.

O resultado foi divulgado nesta quarta-feira, 20, pelo Ministério da Agricultura  e Pecuária (Mapa). Uma das principais conquistas do ano foi a abertura do mercado mexicano para carnes bovinas e suínas brasileiras. Essa medida, que era esperada há 20 anos, permitirá que o Brasil exporte esses produtos in natura para o México, sem a necessidade de processamento térmico prévio. O México é o segundo maior importador mundial de carne suína in natura, o que representa uma grande oportunidade para o setor de carne suína brasileiro.

Além disso, o Brasil obteve avanços importantes nas negociações com a China, seu principal parceiro comercial. O embargo à carne bovina brasileira, que havia sido imposto devido a um caso isolado de Encefalopatia Espongiforme Bovina, foi derrubado. O governo chinês elogiou a transparência e a celeridade das informações prestadas pelo Brasil. O Mapa também conseguiu a habilitação de novas plantas frigoríficas brasileiras para exportação à China e a retomada das exportações de algumas plantas que estavam suspensas.

Acordos importantes para o Agronegócio

Outros acordos importantes foram fechados com o Chile e a União Europeia, segundo a pasta. Com o Chile, o Brasil assinou um acordo para simplificar a habilitação de frigoríficos para exportação de carnes, adotando o sistema de “pre-listing”.

É o primeiro país latino-americano a ter esse mecanismo de habilitação delegada com o Chile. Já com a União Europeia, o Mapa retomou o Mecanismo de Diálogo SPS, essencial para restabelecer o diálogo e avançar em temas sanitários e fitossanitários de interesse mútuo. Em relação ao comércio exterior, as exportações do agronegócio brasileiro atingiram o recorde de US$ 139,58 bilhões nos dez primeiros meses do ano, de acordo com o Mapa. Esse crescimento foi impulsionado pelos setores do complexo soja, complexo sucroenergético e cereais, farinhas e preparações. A Ásia foi o principal destino das exportações, seguida pela União Europeia e pela China, que absorveu a maior parte das exportações brasileiras.

De: Jovem Pan

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Em 2022, quando a Guerra na Ucrânia começou, houve um salto de 188% nas exportações de fertilizantes de Israel ao Brasil
Para Arnaldo Jardim, tendência é a ampliação das possibilidades do produto
Esse fenômeno tem gerado impactos positivos no desenvolvimento de municípios do Piauí que, anteriormente, apresentavam indicadores econômicos mais modestos, transformando suas realidades.
Ambiente de negócios aponta para encurtamento das escalas de abate, o que pode levar ao maior apetite de compra