Search
Close this search box.

Agronegócio abre 105 novos mercados em 50 países

15 de abril de 2024

Desde janeiro de 2023, o governo brasileiro garantiu uma significativa expansão do comércio sem o fechamento de nenhum mercado para o Brasil
Compartilhe no WhatsApp
Agronegócio abre 105 novos mercados em 50 países

Desde janeiro de 2023, o governo brasileiro tem conquistado importantes avanços no campo da diplomacia comercial, abrindo as portas para o agronegócio nacional em 105 novos mercados distribuídos em 50 países ao redor do mundo. Essa significativa expansão ocorreu sem o fechamento de nenhum mercado para o Brasil no mesmo período, informa o jornal O Globo.

Segundo Roberto Perosa, secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), esses novos mercados não apenas representam a ampliação do comércio, mas também incluem locais que antes não importavam produtos brasileiros. Perosa ressalta que uma diplomacia eficaz facilita a abertura de novos mercados, e um dos trunfos do Brasil é sua excelência no controle fitossanitário, aspecto fundamental para a exportação de alimentos.

Agronegócio do Brasil conquistando novos mercados

Entre as prioridades destacadas pelo secretário estão o Sudeste Asiático e os países africanos. Ele destaca que a volta do Brasil ao cenário internacional facilitou as negociações com parceiros estrangeiros, permitindo acesso a mercados de diferentes tamanhos. Perosa enfatizou especialmente a abertura do mercado mexicano para a carne suína brasileira, considerando-a uma vitória de grande relevância.

Dentre os produtos brasileiros que ganharam novos mercados estão o algodão para o Egito, carnes bovina e suína para Cingapura, suco de açaí para a Índia, frango para Israel e Argélia, mamão para o Chile, arroz para o Quênia, pescados para Austrália, Egito e África do Sul, ovos para a Rússia, e café verde para a Zâmbia.

Por Brasil 247

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

São Paulo enfrenta desafios ainda maiores devido aos altos custos para o setor produtivo do leite e por ser o maior mercado consumidor do país.
Para participar é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único e viva no meio rural, com renda mensal de até R$ 218 por integrante
Reunião para discutir o tema foi realizada na terça (21), em Brasília
Em 2023, a CNI contabilizou 85 entraves às exportações nacionais contra 77 no levantamento do ano anterior