Search
Close this search box.

Agronegócio: Clientes fidelizados valem três vezes mais para marcas

1 de julho de 2024

Relatório inédito da SEEDZ afirma que esse público do agro tende a comprar 33% a mais em itens, por ticket, e mantém uma frequência de compra 160% maior
Compartilhe no WhatsApp
Agronegócio: Clientes fidelizados valem três vezes mais para marcas

A SEEDZ, agtech brasileira que integra a cadeia de valor do agronegócio por meio de tecnologia, acaba de lançar o relatório “Fidelização de Produtores e Estratégias de Incentivos no Agronegócio”. As análises mostram que o mercado de fidelidade segue em ascensão e que, no agronegócio, os consumidores fidelizados tendem a valer até três vezes mais para as marcas parceiras, se comparados aos clientes regulares.

Relacionado diretamente ao poder de compra da cadeia do agronegócio, o relatório aborda ainda uma série de vantagens para todos os envolvidos: dados disponibilizados pela SEEDZ, com base em seus programas, mostram que os participantes tendem a comprar 33% a mais em itens por ticket, além de manter uma frequência de compra 160% maior em um período de um ano. Isso acontece porque, para o consumidor, a economia percebida e atingida durante esse tipo de compra permite e estimula investimentos além dos planejados inicialmente. 

Se para os produtores a vantagem aparece em forma de economia, para a indústria, o grande benefício é o aumento dos resultados. Integrando a jornada do cliente nesse mercado, o acúmulo de pontos é o principal aliado para a estratégia de vendas. Segundo o estudo, com os pontos acumulados no programa, cerca de 70% dos participantes optam por trocar diretamente no canal onde compraram e acumularam as moedas. Isso comprova a recorrência e fidelização dos consumidores com os parceiros e destaca a importância constante do estímulo das equipes de vendas para impulsionar o primeiro resgate. 

Os dados verificados nos programas da SEEDZ estão acima dos trabalhados no mercado, onde empresas apontam que clientes fidelizados gastam, em média, 25% a mais por ticket e que a sua frequência de compras aumenta 20%, em comparação com transações em empresas que não participam de programas do tipo.

A tradicionalidade do setor agro sempre fez com que as empresas tivessem seus próprios formatos para realizar campanhas de vendas, mas saber coordenar todas as oportunidades em uma única plataforma é o diferencial capaz de agregar valor à cadeia. “Hoje, somos o maior player de fidelização e incentivos do mercado agro”, explica Matheus Ganem, um dos fundadores e CEO da SEEDZ. 

“O setor funciona como um ciclo e quem sai na frente é quem consegue conectar toda a cadeia. Conseguimos conectar produtores, vendedores e empresas levando valor e renda para o setor, e facilitando o dia a dia de todos. Além disso, com tecnologia, também conseguimos fornecer ainda mais inteligência e dados ao mercado, contribuindo para a revolução no setor”, reforça o executivo. 

Diante desse cenário, e em um momento em que, globalmente, os agricultores têm enfrentado uma série de desafios, de volatilidade nos preços dos insumos a medidas protecionistas e disputas comerciais entre países, bem como pressões regulatórias para alcançar práticas mais sustentáveis, os programas de fidelidade se mostram como grandes aliados na superação de problemas.  Não à toa, esse mercado cresceu 18% nos últimos 12 meses, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf).

Atualmente, a SEEDZ oferece mais de 50 marketplaces individuais, onde os produtores podem resgatar produtos e serviços, pagar contas, recarregar celular e utilizar vales-presente nas melhores lojas. Já são mais de 140 mil agricultores conectados a mais de 1.900 canais de distribuição em 10 países, incluindo grandes empresas agrícolas globais e o maior banco do Brasil.

Para baixar o relatório “Fidelização de Produtores e Estratégias de Incentivos no Agronegócio” completo, clique aqui!

Por Notícias Agrícolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

O Porto, em conjunto com o operador portuário responsável, montou a logística necessária para o recebimento da carga
Inteligência artificial na colheita e distribuição, inteligência artificial no acesso a crédito e influência da China são algumas das inovações no agro
Além do imposto zero para os alimentos, projeto de lei propõe redução de custos dos insumos e trata do crédito ao produtor